Black Country Communion: Glenn e Joe voltam a se falar

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Nathália Plá, Fonte: classicrockmagazine.com, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 12/11/12. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?


5000 acessosBlack Sabbath: O acidente que tirou as pontas dos dedos de Iommi5000 acessosAngra: A carta aberta de Edu Falaschi sobre a sua saída

Glenn Hughes afirma que ele e Joe Bonamassa estão se falando após a discussão que azedou o lançamento do último álbum do Black Country Communion, Afterglow.

O comentário veio justo quando o disco alcançou a melhor marca da banda nas paradas, chegando à posição No48 na Billboard dos E.U.A em sua primeira semana de vendas. Em 2011 o segundo álbum, 2, alcançou a posição No71 enquanto o Black Country, de 2010, chegou à de No54.

No fim de semana, Hughes tuitou: “Joe B e eu conversamos na noite passada sobre o amor por nossa banda e nossa querida amizade. Ouvimos nossas vozes em alto e bom som. O BCC vive no Afterglow.”

Posteriormente, ele adicionou uma mensagem para os fãs: “Eu estou tão impressionado com a reação ao Afterglow. Todos nós queremos agradecer a vocês por seu apoio. Significa muito.”

A faixa título do álbum chama atenção por sua mensagem. O tecladista Derek Sherinian diz que ele tem muito orgulho da música enquanto o baterista Jason Bonham a aclama como uma “obra prima”.

Hughes disse à Classic Rock: “Eu me peguei olhando para as letras que estou escrevendo. O rock’n'roll não vai mudar o mundo – o Sting tentou e se ele não consegue, não não conseguiremos. Então o que eu tento fazer é, eu conto às pessoas como é ter sobrevivido a essa guerra que travei para superar meus vícios e meus medos. Eu acredito que as pessoas também passam por isso.”

“Toda essa experiência da composição da Afterglow – Como diabos compusemos isso? Quem é esse cara? Eu me lembro de escrever a música no meu computador. Eu peguei meu violão. Eu nunca usei um capo na minha guitarra antes mas dessa vez eu usei – e me peguei compondo músicas como a Afterglow.“

“Ao ouvir as letras que escrevi nos anos 80 e 70, penso, ‘Que tanto de merda é esse!’ Agora eu sinto que tenho algo a dizer. Sinto que me encontrei como compositor. Eu me tornei um músico melhor e uma pessoa melhor”.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Glenn Hughes"

Deep PurpleDeep Purple
"As coisas desabaram devido a muito sexo, drogas e Rock'N'Roll!"

Black SabbathBlack Sabbath
Os DEZ vocalistas que passaram pela banda

VocalistasVocalistas
Os 10 melhores da história do rock

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Black Country Communion"0 acessosTodas as matérias sobre "Glenn Hughes"0 acessosTodas as matérias sobre "Joe Bonamassa"

Black SabbathBlack Sabbath
O acidente que tirou as pontas dos dedos de Iommi

AngraAngra
A carta aberta de Edu Falaschi sobre a sua saída da banda

Batom, laquê...Batom, laquê...
Como formar uma banda de Hard Rock em 69 lições

5000 acessosHeavy Metal: "um conforto para os jovens brilhantes"5000 acessosCovers inusitados: COB tocando Britney? Shakira tocando ACDC?5000 acessosRock Brasileiro da Década de 705000 acessosSepultura: "Vejo os caras tocando e não tem a mesma pegada"5000 acessosThrash Metal: dicas de dez ótimas bandas underground5000 acessosAlfabeto do Rock: as 15 melhores músicas de Metal

Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online