Trail Of Tears: banda implode e membros lavam roupa suja

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Daniela Pozzobon, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 22/01/13. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?


5000 acessosHeavy Metal: "um conforto para os jovens brilhantes"5000 acessosCovers inusitados: COB tocando Britney? Shakira tocando ACDC?

A cantora Cathrine Paulsen, da banda norueguesa TRAIL OF TEARS lançou a seguinte declaração:

Ronny Thorsen decidiu deixar o TRAIL OF TEARS. A banda apóia sua decisão, embora pensamos que o momento é muito ruim. A razão para essa decisão são os vários problemas ocorridos durante a gravação do (novo álbum do TRAIL OF TEARS) 'Oscillation', onde Ronny contribuiu com letras e vocais.

Fazer o álbum foi um processo muito difícil para todos. Ronny sentiu que o processo estava indo devagar demais. Enquanto isso, outros trabalharam bastante para finalizar a coisa. O maior contraste entre os que passaram quase todo o dia dos últimos três anos para fazer o álbum o melhor possível e aqueles que ficaram mais ocupados forçando alguns na banda à beira do colapso, é a principal razão desse conflito.

Eu tenho que falar o que está em minha mente dessa vez, e realmente penso que eu preciso falar a verdade.

Ao longo dos anos o TRAIL OF TEARS sofreu vários rompimentos. Da última vez a banda inteira abandonou Ronny. Eu preciso dizer que existem razões quando uma banda inteira abandona assim. Ronny era responsável pela sua turnê no México na época. Ele disse à banda que havia um contrato para a turnê, o que não havia. No México, tudo deu errado, e sem contrato a banda não tinha direito algum. Ronny agiu de má fé e os mandou ao México sem contrato - e mentiu sobre isso. É por isso que a banda o deixou da última vez.

Eu fui tirada da banda em 2004. Após 'A New Dimension Of Might' (2002), eu esperei novas músicas. Então recebi um SMS dizendo que eu não me queriam mais na banda. Nas revistas eu lia que havíamos concordado que eu desistiria. Mas isso nada mais foi do que uma mentira inventada. Eu nunca desisti, eu fui chutada sem nenhuma explicação.

Por muitos anos, Ronny e eu não tivemos contrato. Eu estava devastada após esse tratamento e especialmente quando eu tive que ler todas aquelas mentiras nas revistas. Eu me sinto ok sobre isso agora, mas eu quero finalmente dizer o que aconteceu.

Quando a banda abandonou Ronny Thorsen depois da turnê no México, eu o contatei pela primeira vez em anos. Eu queria dizer que apesar de me sentir mal sobre ser chutada da banda, eu pensava que era triste ouvir que a banda tinha se separado. Então ele me chamou para trabalhar com ele novamente, ele queria continuar o TRAIL OF TEARS. Eu tinha minhas dúvidas sobre o assunto, mas senti que eu ainda tinha muito a fazer na banda. Como eu disse, nunca foi minha decisão deixá-la na primeira vez.

Eu fui colocando o novo TRAIL OF TEARS no lugar. Ofereci aos meus colegas da banda LUCID FEAR que se juntassem à banda. Foi assim que Bjørn Erik Næss e Cato Jensen se tornaram parte dela. Endre Moe tocou com Cato no CUTTHROAT, e o trouxemos a bordo também. Eu disse ao Ronny que eu esperava que ele me respeitasse, e não me apunhalasse pelas costas novamente.

Durante essa cooperação, eu senti frustração e tristeza muitas vezes. Eu descobri que eu ainda não tinha nenhuma razão para acreditar no Ronny e enquanto eu e o resto da banda começamos a ler notícias sobre a banda no Facebook. Isso significa que ele não se comunicava com a banda mais. Eu não posso trabalhar assim, então é fácil apoiar a decisão dele de deixar a banda.

Ronny tomou essa decisão em Outubro, mesmo assim ele ainda comandava o show sozinho, tomando decisões pela banda sem nem perguntar ou comunicar ao resto de nós. Isso se torna ainda mais errado quando todos os outros fazem a maior parte do trabalho dessa banda.

Eu me sinto uma porcaria escrevendo isso, mas eu não vou tolerar mais nada além da verdade. Isso é difícil para mim, porque eu sou uma pessoa honesta que realmente se importa com aqueles que me cercam. Isso significa cuidar dos interesses dos outros caras, além do meu. Eu tenho que impor um limite e colocar um fim ao que está acontecendo atrás da cortina, antes que mentiras se espalhem por todo o mundo novamente.

Um breve tempo após a declaração acima foi postada na página do Facebook do TRAIL OF TEARS, Ronny Thorsen lançou sua resposta, oferecendo seu lado da história:

Uau, que dia!

Eu recém cheguei em casa após jantar fora com minha esposa por causa do seu aniversário. Na metade do jantar, meu telefone começa a ir à loucutra com mensagens de todo o lugar chegando. Aparentemente eu deixei o TRAIL OF TEARS.

Após ler algumas declarações na página oficial do Facebook do TRAIL OF TEARS eu posso honestamente concluir que uma certa cantora perdeu o que ainda lhe restava de sanidade. É realmente fascinante quanto absurdo e mentiras uma pessoa é capaz de cuspir.

Com toda honestidade, o clima de trabalho na banda realmente tem sido difícil por algum tempo. Isso foi o caso por algum tempo e a coisa toda cresceu quando Cathrine e o guitarrista Bjørn Erik Næss se tornaram um casal há aproximadamente um ano atrás e começaram a formar sua própria aliança dentro da banda.

Foi uma decisão mútua entre os membros que terminaríamos e lançaríamos o novo album e então nos separaríamos pois não era mais possível concordar plenamente sobre como gerenciar essa banda.

Eu quero deixar perfeitamente claro que eu tive toda intenção de fazer exatamente isso, lançar um último álbum matador e então todos continuaríamos com outros empreendimentos musicais. Isso, obviamente, não foi possível.

Cathrine diz em sua declaração que o momento é ruim. Bem, sem brincadeira. Eu não tinha intenção de anunciar qualquer partida antes de honrarmos os compromissos e lançarmos este album final. Foi meu desejo sincero que todos pudessem agir normalmente, como adultos normais e fazer a coisa certa, frente aos fãs e também aos nossos parceiros de negócios. Novamente, uma viagem de ego do lado dela evitou que isso acontecesse.

O que é interessante que a Cathrine deixou de mencionar é que o baixista Endre Moe E o baterista Bjørn Dugstad Rønnow também decidiram deixar a banda. Nós três decidimos fazer isso porque estamos cansados e completamente estafados do drama de Cathrine e seu namorado guitarrista. Então, para dizer nas palavras da própria Cathrine, quando vários membros saem, realmente há um motivo para isso. Então, três membros deixaram você e seu namorado, Cathrine, incluindo o único membro original e fundador da banda, então talvez você deva olhar no espelho e se perguntar se é culpa de todos os outros ou se o problema está mais perto de você do que gosta de pensar.

Eu fui mais do que justo com Cathrine e fiquei ao lado dela e apoiei seu comportamento quando poucos o fariam. Eu também acho desconcertante que Cathrine tenha escolhido ficar na banda o tempo que ficou como se tudo fosse sombrio, frustrante e triste como ela diz que foi.

Sobre seus comentários sobre o que aconteceu no México há sete anos atrás, eu nem vou comentar, pois é absolutamente retardado alguém ter opiniões tão fortes sobre algo que nem fez parte.

Você estava no México, Cathrine? Não, você não estava.

Na última vez que a banda teve saídas de membros, eu escolhi usar a diplomacia recusando a me rebaixar ao nível dos que saíram, que tentaram bater o novo recorde mundial de falação-de-merda. Por isso, eu deixei que pessoas que eu considerava amigos sofressem uma lavagem cerebral por somente ouvirem um lado da história. Bem, isso não vai acontecer novamente e dessa vez eu não vou me calar.

Porque eu fui bloqueado da página oficial da banda no Facebook (muito maduro), você pode ler minhas palavras na minha própria página pessoal.

Assim, enquanto algo termina, outra coisa começa.

Eu tenho planejado lançar uma nova banda há algum tempo e haverá algumas notícias sobre isso num futuro próximo.

TRAIL OF TEARS foi parte de mais de metade da minha vida desde que começou há mais de 15 anos atrás. Foi uma jornada tremenda e eu me diverti muito.

De agora em diante, vamos olhar adiante. Haverá muito mais para ser encontrado no futuro!

Se cuidem todos vocês, obrigado pelo seu apoio incrível e eu espero vê-los em breve!

O sétimo álbum do TRAIL OF TEARS, "Oscillation", será lançado em 22 de Março pela Massacre Records, da Alemanha. O CD foi gravado no começo do ano no Sound Suite Studio em Marseille, na Fraça, com o produtor Terje Refsnes.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 22 de janeiro de 2013

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Trail Of Tears"

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Trail Of Tears"

Heavy MetalHeavy Metal
Pesquisa indica que gênero é apreciado por alunos brilhantes

Covers inusitadosCovers inusitados
COB tocando Britney Spears? Shakira tocando ACDC?

A década perdida?A década perdida?
Rock Brasileiro da Década de 70

5000 acessosAs novas caras do metal: + 40 bandas que você deve conhecer5000 acessosVício: Phil Anselmo relata como é ser viciado em heroína5000 acessosJoão Gordo: Crente? Vai tomar no cu quem tá acreditando!5000 acessosRock Star: em vídeo, 5 fatos sobre o filme5000 acessosGuns N' Roses: O longo processo que culminou com a volta de Slash e Duff5000 acessosMetallica: as dez músicas mais difíceis de tocar na guitarra

Sobre Daniela Pozzobon

Criada ao som de clássicos do rock’n’roll, a Jornalista e Professora de inglês hoje em dia tenta gerenciar seu tempo entre trabalho e a paixão pela música. Na sua playlist rola desde Hard Rock "farofa" até Death Metal não esquecendo, obviamente, os gênios que a fizeram se apaixonar pelo estilo, como Aerosmith, The Rolling Stones, entre outros. Nas horas vagas, busca conhecer novos sons e acompanhar as notícias do mundo rocker.

Mais matérias de Daniela Pozzobon no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online