Paul McCartney: Johnny Marr fala das sessões com o ex-Beatle

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Nacho Belgrande, Fonte: Playa Del Nacho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 14/02/13. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?


13 acessosRed Rose Speedway: teria Paul McCartney ainda que provar algo?5000 acessosOut: os 100 álbuns mais gays de todos os tempos segundo a revista

JOHNNY MARR concedeu um raro relato do tempo que ele passou trabalhando com PAUL MCCARTNEY logo após ele ter deixado os SMITHS em 1987.

Logo após seu desligamento da banda de Manchester, Marr tornou-se músico de estúdio e foi convidado para tocar com McCartney, já que o ex-Beatle estava ‘de olho nele’. Apesar de tais sessões nunca terem progredido para algo permanente ou alguma gravação oficial, Marr se abriu em uma nova entrevista com o site The Auto Jubilator sobre o tempo deles juntos: ”Eu não fiz nenhuma sessão de gravação com ele, por assim dizer, mas nós nos encontrávamos para jornadas de 8 a 9 horas num dia, e só tocávamos e tocávamos e tocávamos muito intensamente, e bem alto. O que era muito bom, obviamente. Ele era muito bom!”, afirmou Marr.

“Ele consegue tocar aquele baixo e cantar muito bem, devo dizer. Foi um período divertido. Foi a primeira coisa que fiz quando os Smiths se separaram. Eu o vi umas duas vezes depois disso. Não tocamos juntos, mas ele é sempre muito amigável e muito educado.”

Perguntado sobre o que a dupla havia tocado enquanto conduziam jams juntos, ele mandou: “Tocávamos ‘I Saw Her Standing There’, ‘Twenty Flight Rock’, ‘Tutti Frutti’. Eu o fiz tocar ‘Things We Said Today’, e eu acho que tocamos umas coisas do Wings. Lembro-me de ‘C-Moon’. Foi divertido. Eu e ele cantando as harmonias de ‘I Saw Her Standing There’ – foi um belo momento também. Eu só tinha uns 23, talvez 24 anos de idade.”

“Eu acho que ele só estava me testando, porque ele tinha gostado do que eu tinha feito. Os Smiths tinham convidado Linda para tocar e cantar em ‘The Queen Is Dead’, o que ela infelizmente não pôde fazer, então ele ficou sabendo da gente. Eu acho que ele gostava do jeito que eu tocava, então foi legal.”

Texto na íntegra – em inglês- no link abaixo:

http://playadelnacho.wordpress.com/2013/02/14/johnny-marr-re...

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 14 de fevereiro de 2013


Paul McCartney em São PauloPaul McCartney em São Paulo
Um ensaio sobre a finitude

13 acessosRed Rose Speedway: teria Paul McCartney ainda que provar algo?568 acessosPaul McCartney em SP: sempre arrepia o fim de um show desse senhor413 acessosMadonna: filho da cantora canta e toca Beatles ao piano462 acessosRio Rock City: Por que há poucas parcerias no Rock e no Metal?0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Beatles"

Muhammad AliMuhammad Ali
Roqueiros comentam morte de lenda do boxe

Capas de discosCapas de discos
Agora com ícones da cultura pop

Ozzy OsbourneOzzy Osbourne
"Quando John Lennon morreu, o meu mundo parou!"

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Beatles"0 acessosTodas as matérias sobre "Smiths"0 acessosTodas as matérias sobre "Paul McCartney"


OutOut
Os 100 álbuns mais gays segundo a revista

ÍconesÍcones
Gigwise elege os 14 mais marcantes mascotes de bandas

Jason NewstedJason Newsted
Revelando porque ele deixou o Metallica

5000 acessosMetallica: Falha geral no sistema de som durante show no RIR5000 acessosTom Araya: "Não sou ateu; acredito em Deus!"5000 acessosTarja: agredida sexualmente por fã durante show no México em 20005000 acessosOzzy Osbourne: A "homenagem" a Dio com anão em disco2078 acessosShredding: os dez discos essenciais do estilo dos anos 805000 acessosVivian Campbell: "Dio não conseguia se comunicar comigo"

Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online