HIM: o sentimento por trás de ''Tears On Tape''

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por John Wins, Fonte: Team Heartagram, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 24/04/13. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?


511 acessosHIM: petição para show de turnê de encerramento no Brasil5000 acessosPorn Metal: Filmes para inspirar os headbangers solitários

A seguir todo o processo e análise que fez o novo CD do HIM, "Tears On Tape" vir a ser uma das grandes obras dos criadores do Love Metal:

Há muito mais em uma gravação que simples notas, letras ou sons. Um impactante pedaço de música sempre está envolto em emoção. Amor, ódio, tristeza e alegria ressoam em grandes imagináveis decibéis. No final do dia, o sentimento de uma música irá continuar enquanto a melodia se vai e apenas resoa.
 
HIM mantém a filosofia no mais alto nível em seu oitavo álbum de estúdio inédito, 'Tears On Tape' [Razor & Tie]. O platinado quinteto de vendas - Ville Valo (vocal), "Linde" (guitarra), "Migé" (baixo), "Burton" (teclados), e "Gas" (bateria) - encontra-se na divisa da vibe rock n' roll, sintentizadores soando e elegantes letras cinematográficas. Você vai, sem dúvida, sentir cada lágrima que derramou.

Depois da forte turnê 2010 de "Screamworks: Love in Theory and Practice, Chapters 1-13", a banda começou a projetar o seu próximo passo musical. No entanto, não foi tão fácil como esses cinco músicos esperavam.
 
De repente, em 2012, 'Gas' sofreu uma lesão no nervo de sua mão, e seus médicos não tinham certeza se ele voltaria a tocar bateria novamente. "Nós estávamos com o coração partido", admite Valo. "Nós esperamos oito meses para ele se curar. Durante esse tempo, eu escrevi a maior parte do material para o álbum com um violão em casa. Foi um mecanismo para lidar com o stress. Eu tinha que fazer algo, para então me focar em tentar fazer canções melhores do que o possível. Por um grande milagre, 'Gas', curou-se, e nós fomos capazes de começar este próximo capítulo juntos. "
 
O "próximo capítulo" mostra Valo e cia. se arriscando em um novo território mais uma vez, sem deixar de manter os pilares de sua marca "Love Metal" é claro. Gravaram o album em sua terra natal, Finlândia no Finnvox Studios em Helsinki, mesmo lugar onde trabalharam na sua estréia Greatest Lovesongs e em Love Metal de 2003. Além disso, aproveitaram a colaboração do amigo de longa data Hiili Hiilesmaa para a produção e Tim Palmer [U2, Ozzy Osbourne, Pearl Jam, Robert Plant] para mixar. O registro também ostenta pinturas do amigo de anos, Daniel P. Carter da Rádio BBC para a arte do CD.
 
Sempre envolvido, Valo extraiu inspiração de doo-wop dos anos 50 e 60, examinando as relações pessoais, e ponderando questões existenciais. "Foi um momento muito solitário", ele prossegue. "O último álbum eu tinha realmente na minha cabeça. Desta vez, eu estava constantemente olhando em volta de mim. Eu queria que este fosse super simples. Eu comecei a tentar imagens e harmonias de cinquenta artistas como The Ronettes ou Roy Orbison usaria. Eu queria para descrever momentos humanos de revelação emocional tão simples quanto possível. Na época, o verão estava chegando ao fim. Na Finlândia, o sol não se põe todo no verão. Então, fica escuro e super inverno. As mudanças nas estações são muito pesadas. Você pode senti-las emocionalmente e fisicamente. As folhas começaram a cair, isso era como eu estava descrevendo o outono de um homem - um homem finlandês para ser exato. "
 
Esse outono começa no primeiro single "All Lips Go Blue". Um potente, poderoso riff pontuado por teclados pressentidos, violão plangente, e uma melodia melancolicamente doce. Ele revela: "É como uma faixa escondida na memória. Nós todos vamos morrer, então não vamos nos preocupar com isso agora. Vamos viver primeiro. Isso é como eu vejo. A música combina tudo o que coletivamente amamos como músicos. É uma boa indicação de onde está vindo, mas não revela todas as coisas."
 
Segue as instrumentais, como a introdução "Unleash the Red", "Trapped in Autumn", "Lucifer's Chorale", e "Kiss the Void" também expandido a paleta sonora e adicionando a complexidade dramática.
 
"Eu canalizei Dario Argento e Goblin", ri Valo. "Essas peças permitem que o álbum respire e lhe-de uma sensação de outro mundo. Além disso, ter a intro é uma coisa muito metal de se fazer. Ozzy Osbourne e Iron Maiden fizeram isso!"
 
À medida que o álbum navega em mares, tudo culmina ao fim brutalmente feliz de "W.L.S.T.D." Ninhada, guitarras bombásticas escorregam no vazio de um gancho girando carregado por Valo - "Quando o amor começa a morrer, eu morrerei".
 
"O amor é o meu mundo", afirma. "Eu sou dependente de relacionamentos, emoções, e o fato de ter alguém por quem cuidar e morrer. Eu diria que todo mundo é assim.
 
"De muitas maneiras, a faixa título cintilante encapsula mentalidade a obra inteira. "As letras dessa música tem um duplo significado" ele continua." É onde eu estava emocionalmente quando o outono estava chegando. Ao mesmo tempo, a maioria das letras são baseadas em descrever minhas canções favoritas crescendo. Tears On Tape são as lágrimas derramadas em meus artistas favoritos na fita. Eles criaram marcos musicais em minha vida. É uma canção de amor para a música. Se a vida é um disco de vinil e alguém levanta a agulha, ela termina. Como um disco, a vida gira em diferentes modos e lugares. É sônica companheira desde o nascimento até a morte."
 
A morte sempre soa bem nas mãos do HIM. Desde sua formação em 1992, a banda tem cultivado uma base global de ardorosos fãs que usam o logo "Heartagram" orgulhosos. Ao longo de sete álbuns anteriores, eles se tornaram os primeiros finlandeses a alcançar vendas de platina nos EUA geral, ultrapassando as vendas de 1,75 milhões de álbuns e mais de 1 milhão de downloads digitais na América do Norte sozinhos. Juntando-se a Razor & Tie, eles estão marchando em sua próxima fase, com Tears On Tape.
 
Para Valo, o outono começou e ele está mais brilhante do que nunca. "A coisa toda precisava de uma sensação cinematográfica", conclui Valo. "Nós somos seres microscópicos em uma grande imagem. É muito pessoal. Ao final do dia, porém, todo mundo tem seus segredos, mas um monte de pessoas têm os mesmos segredos. Nós todos vivemos através das mesmas estações."

Tears On Tape, o oitavo álbum de inéditas do HIM tem produção de Hilli Hiiesmaa e mixagem de Tim Palmer. O CD sai no dia 26/04 na Finlândia, 29/04 na Europa e 30/04 na América do Norte.

Para mais informações acesse: HIM Brasil
http://facebook.com/himbrasil
O maior conteúdo sobre HIM em português!

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

511 acessosHIM: petição para show de turnê de encerramento no Brasil0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "HIM"

Sedentos por SangueSedentos por Sangue
Confira 5 belas canções sobre Vampiros

Bandas de rockBandas de rock
O logo pode ser tão memorável quanto o maior hit

EsquisiticesEsquisitices
Algumas exigências bizarras de astros para shows

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "HIM"

Porn MetalPorn Metal
Filmes para inspirar os headbangers solitários

Rock in RioRock in Rio
Algumas das maiores vaias em edições nacionais

CoverCover
15 bandas que são quase tão boas quanto o original

5000 acessosSlipknot: Qual é o significado e a tradução do nome da banda?5000 acessosHard Rock: as 100 maiores bandas do estilo segundo a VH15000 acessosAC/DC: setlist, fotos e vídeos do show arrasador com Axl Rose4383 acessos2000 a 2002: 10 shows/turnês pouco comentados4890 acessosRob Halford: "Eu não morro sem trabalhar com Lady Gaga antes"1533 acessosMetal Temple: Rob Halford eleito vocalista dos sonhos

Sobre John Wins

John Wins é aspirante a jornalista, além de ser designer e escritor. Trabalha como roteirista/apresentador no Heavy Talk e como administrador/editor no HIM Brasil. Grande pesquisador do metal nacional e principalmente do metal finlandês. Para mais informações, acesse: twitter.com/johnwins. Força Sempre!

Mais matérias de John Wins no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online