Pantera: A versão de Vinnie Paul sobre o fim da banda

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fernando Portelada, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

Em uma entrevista com a Metal Hammer do Reino Unido em 2014, o ex-baterista do PANTERA, Vinnie Paul Abbott, relembra como a banda começou sua decadência em meio ao seus maiores sucessos, após o vocalista do grupo, Philip Anselmo, recorrer à heroína para aliviar suas dores nas costas.

Metal: nomes do gênero que assumiram ser cristãosStoner Rock: Um guia básico para o estilo

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Isso é quando a coisa das drogas começou e tudo começou a ir de mal a pior com ele", disse Vinnie. "Isso é quando a banda e ele começaram a se separar e ele começou a pedir seu próprio ônibus de turnê. Nós o víamos antes do show e depois ele sumia, e você nunca sabia que Phil ia acabar encontrando. Você podia encontrar o pitbull que todos conhecíamos e amávamos, ou você poderia encontrar um cara completamente estragado de heroína, e não fazia aquilo que deveria."

"Começou a ser difícil naquele ciclo de turnês, e nós nunca tirávamos uma folga, então nunca estávamos longe disso."

"Muitos dos elementos começaram a aparecer, especialmente com ele. Quero dizer, muitos de nó estavam com dores. Eu tinha de ligar com inflamação nos tendões, mas nunca precisei de drogas para lidar com isso."

"Nenhum de nós tinha qualquer pista de que ele estava usando heroína - nós costumávamos ser os caras mais anti-drogas do mundo - e então ele teve a overdose em Dallas, quando tocamos nosso maior show de boas-vindas para 18.000 pessoas, a primeira coisa que me ocorreu é que ele tinha passado mal por conta do calor. Quando eu o vi levantando, azul, eu pensei: 'O que diabos?' Se não fosse pelo nosso técnico de bateria, que foi procurar os paramédicos, Anselmo não estaria mais conosco. E seria um choque realmente grande, porque nenhum de nós fazíamos ideia."

"Definitivamente foi de estar tudo bem, para algo muito mais trabalhoso, em não saber o que ia acontecer."

"Nós continuamos trabalhando e, na verdade, nossa intenção não era parar. Até Phil decidir que ele preferia ir fazer o DOWN e o SUPERJOINT RITUAL, nós não tínhamos parado. Sentíamos como se fossemos os ROLLING STONES do heavy metal, e poderíamos ter sido."

Vinnie, que é irmão do falecido guitarrista do PANTERA, "Dimebag" Darrell, e Anselmo não se falaram desde a separação do PANTERA em 2003, mas a relação dos dois ficou ainda pior quando Vinnie indiretamente culpou o vocalista pela morte de "Dimebag", sugerindo que algumas afirmações feitas por Anselmo algumas semanas antes na mídia, teriam incitado o assassino do guitarrista.

Quando perguntando se ele ache que Vinnie Paul estaria algum dia aberto a uma reunião, Anselmo falou ao Artisan News: "Você sabe, essa seria uma pergunta para Vinnie Paul; Eu não sei, mas vou dizer mais uma vez eu o amo. Eu sinto sua dor todos os dias. Dime era meu irmão. Rex [Brown, baixista do PANTERA], também era meu irmão."

Ele continua: "Nesta vida, uma coisa que eu aprendi é que não precisa de um sangue puro para fazer uma família. É somente as relações e o quão forte você aguenta este laço, e, mais uma vez, minha porta sempre estará aberta para Vince."

A namorada de longa data de Dimebag, Rita Haney, chamou Vinnie e Anselmo para acertar suas diferenças, dizendo aos produtores de "Behind The Music Remastered: Pantera", que perdoou o vocalista após inesperadamente ficar cara a cara com ele após um show na Califórnia.

Quando perguntado sobre os persistentes rumores de uma reunião do PANTERA com Zakk Wylde (BLACK LABEL SOCIETY, OZZY OSBOURNE), preenchendo a vaga de Dimebag na guitarra, Vinnie conta à Metal Hammer: "Tudo o que posso dizer é que rumores são rumores."

"Não estou interessado nisso, porque não é Dime e para mim, sem Dime não existe PANTERA."

"Essa é minha razão. Deixei isso para trás. Eu segui em frente."

"Eu toco em uma banda chamada HELLYEAH e eu realmente amo fazer isso."

"Estou ansioso para continuar em frente. Não gosto de viver no passado."




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Pantera"Todas as matérias sobre "Down"Todas as matérias sobre "Damageplan"Todas as matérias sobre "Vinnie Paul"


Pantera: O histórico das turnês pelo BrasilPantera
O histórico das turnês pelo Brasil

Pantera: o segredo da capa de Vulgar Display of PowerPantera
O segredo da capa de Vulgar Display of Power


Metal: nomes do gênero que assumiram ser cristãosMetal
Nomes do gênero que assumiram ser cristãos

Stoner Rock: Um guia básico para o estiloStoner Rock
Um guia básico para o estilo


Sobre Fernando Portelada

25 anos, Blogger, Podcaster, Gamer, Leitor de Quadrinhos, Ouvinte de Rock, Jornalista, e chato acima de tudo. Ouviu Imaginations From The Other Side do Blind Guardian aos 13 anos, emprestado por um amigo de escola. Ainda é um de seus álbuns preferidos.

Mais matérias de Fernando Portelada no Whiplash.Net.

adGoo336