The Doors: Tributo à banda com grandes nomes do rock

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Marcio Millani, Fonte: Brave Words & Bloody Knuckles, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 12/06/14. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Uma galera de respeito no mundo do rock juntou-se para prestar tributo a uma das mais queridas e influentes bandas de todos os tempos, THE DOORS, em novo CD intitulado Light My Fire – A Classic Rock Salute To The Doors, a ser lançado no próximo dia 24 de junho pelo selo Purple Pyramid Records. Produzido pelo extraordinário BILLY SHERWOOD, o álbum apresenta novas interpretações de clássicos do THE DOORS que definiram uma geração inteira, como “Light My Fire”, “Riders On The Storm”, “Break On Through (To The Other Side)”, “Love Her Madly”, “L.A. Woman”, “People Are Strange”, entre muitas outras.

933 acessosDream Theater: próximo álbum não sai antes de 20195000 acessosJames Hetfield: "Você não iria gostar de mim se soubesse minha história"

É uma oportunidade única para ouvirmos alguns feras arrasando nessas canções seminais. Não apenas um, mas dois membros da banda YES; o mago dos teclados RICK WAKEMAN e o guitarrista STEVE HOWE, juntaram-se a IAN GILLAN, do DEEP PURPLE, na clássica “Light My Fire” que, como WAKEMAN explica, “sempre foi uma daquelas icônicas faixas que os tecladistas ficam ligados pelo fato de não haver muitas músicas com solos de teclado ou órgão, se comparadas às de seus colegas das seis cordas. Trata-se também de um solo onde há oportunidade para interpretação, de modo que o que for feito nunca será igual ao original, o que é muito agradável para se tocar.” HOWE também se entusiasma, “Foi um prazer tocar nesse álbum, pois o THE DOORS foi uma banda que ouvi muito nos anos 60, simplesmente os ouvia em todo lugar que frequentava, seja em casa de amigos, restaurantes, gigs e bares em Londres. Tenho certeza que os ouvi no Middle Earth, então um bar da moda. Quando saíram as reedições, voltei a ouvir as músicas, principalmente 'Light My Fire'”.

Da mesma maneira outro lendário tecladista, GEOFF DOWNES, exaltou a genialidade do tecladista do THE DOORS, RAY MANZAREK, dizendo, “Realmente foi um privilégio ter sido chamado para participar deste projeto. RAY MANZAREK foi um dos tecladistas pioneiros no rock, e exerceu muita influência em mim bem como em muitos outros. Seu estilo era totalmente único, e elemento integral no modo como o THE DOORS soava.

Já STEVE MORSE, guitarrista das bandas DIXIE DREGS e DEEP PURPLE, lembra que o THE DOORS foram “uma trilha sonora, literalmente, para alguns dos tempos mais memoráveis, bons e maus, que passei em minha adolescência. Assim como muitos de meus favoritos, eles eram ousados, improvisando e sem medo do que a mídia poderia dizer, tudo isto com uma liberdade lírica que se mantém até hoje.” ELLIOT EASTON, da banda THE CARS, afirma, “Tive um momento maravilhoso reinterpretando “Spanish Caravan'”, uma música que EASTON achou “desafiadora e muito recompensadora!” E o guitarrista de jazz fusion LARRY CORYELL conclue, “THE DOORS foram os representantes não oficiais de LA para o mundo, e olha que o som de LA era sempre excitante. Quantas vezes por volta de 65-66 eu e minha esposa Julie dirigíamos pelas estradas de LA escutando 'Love Me Two Times', e pensando como o THE DOORS representavam o som de LA assim como THELONIUS MONK representava o som de NYC.”

Aquele som continua a ecoar no espaço e no tempo, tocando a cada nova geração ao redor do mundo e mantendo a chama do THE DOORS acesa e mais blilhante do que nunca! O produtor BILLY SHERWOOD resume tudo quando declara, “a música do THE DOORS existirá para sempre, e espero que tenhamos prestado um tributo à banda da melhor maneira possível.”

Tracklisting:

As faixas são:

“L.A. Woman” – Jimi Jamison (Survivor), Ted Turner (Wishbone Ash) and Patrick Moraz (Moody Blues)
“Love Me Two Times” – Lou Gramm (Foreigner), Thijs van Leer (Focus) and Larry Coryell
“Roadhouse Blues” – Leslie West (Mountain), Brian Auger and Rod Piazza
“Love Her Madly” – Mark Stein (Vanilla Fudge) and Mick Box (Uriah Heep)
“Riders On The Storm” – Joe Lynn Turner (Rainbow), Tony Kaye (Yes), and Steve Cropper (Booker T. & The M.G.’s)
“The Crystal Ship” – Edgar Winter and Chris Spedding
“Intro (People Are Strange)” - Keith Emerson, Jeff “Skunk” Baxter and Joel
Druckman (John Fahey)
“People Are Strange” - David Johansen (NY Dolls) and Billy Sherwood (Yes)
“Touch Me” – Robert Gordon, Jordan Rudess (Dream Theater), Steve Morse and Nik Turner (Hawkwind)
“The Soft Parade” - Graham Bonnet (Rainbow), Christopher North (Ambrosia) and Steve Hillage (Gong)
“Hello, I Love You” - Ken Hensley (Uriah Heep) and Roye Albrighton (Nektar)
“Spanish Caravan” – Eric Martin (Mr. Big) and Elliot Easton (The Cars)
“Alabama Song (Whiskey Bar)” – Todd Rundgren and Geoff Downes (Yes / Asia) and Zoot Horn Rollo (Captain Beefheart)
“Break On Through (To The Other Side)” – Mark Farner (Grand Funk Railroad) and Chick Churchill (Ten Years After)
“Light My Fire” – Ian Gillan (Deep Purple), Rick Wakeman (Yes) and Steve Howe (Yes)
“The End” – Pat Travers and Jimmy Greenspoon (Three Dog Night)

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

933 acessosDream Theater: próximo álbum não sai antes de 201925 acessosEm 04/06/2007: Dream Theater lança o álbum Systematic Chaos9 acessosEm 06/03/1989: Dream Theater lança o álbum When Dream And Day Unite42 acessosEm 29/01/2016: Dream Theater lança o álbum The Astonishing1547 acessosSons of Apollo: transcendendo a comparação ao Dream Theater1658 acessosDream Theater: 5 solos em que John Petrucci mostrou suas influências0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Dream Theater"

Dream TheaterDream Theater
As pessoas não ouvem mais discos completos, diz Petrucci

FlashbackFlashback
Os 10 melhores álbuns do ano de 1992

Rock ProgressivoRock Progressivo
Como Mike Portnoy entende o estilo?

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Doors"0 acessosTodas as matérias sobre "Yes"0 acessosTodas as matérias sobre "Cars"0 acessosTodas as matérias sobre "Dream Theater"0 acessosTodas as matérias sobre "Rainbow"0 acessosTodas as matérias sobre "Foreigner"0 acessosTodas as matérias sobre "Mr Big"


HetfieldHetfield
"Você não iria gostar de mim se soubesse minha história"

Edu FalaschiEdu Falaschi
O fax com convite de seleção para o Iron Maiden

Fotos de InfânciaFotos de Infância
Marilyn Manson muito antes da fama

5000 acessosAnos 90: bandas de hard rock e metal que decepcionaram os fãs5000 acessosMegadeth: Mustaine fala sobre satanistas, gays e gatos5000 acessosOzzy Osbourne: dando "chega mais" em Mônica Apor na coletiva4914 acessosQueensryche: por que Tate cuspiu nos companheiros de banda?5000 acessosPink Floyd: Nick Mason bate McLaren avaliada em mais de 60 milhões5000 acessosManowar: A vida real e nada épica dos Reis do Metal?

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 13 de junho de 2014


Sobre Marcio Millani

Nasceu e sempre morou em São Paulo. É formado em Sistemas de Informação e pós-graduado em Língua Portuguesa, mas não atua em nenhuma das duas áreas. É baixista, mas também curte brincar com guitarra e bandolim. Participou das bandas paulistanas Centúrias e Mixto Quente, ambas com discos lançados pelo selo Baratos Afins na década de 80. Participou também de inúmeras bandas cover de Blues, Classic Rock e Fusion. Além destes estilos gosta de Progressivo, Jazz, Bluegrass e música clássica.

Mais matérias de Marcio Millani no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online