Matérias Mais Lidas

imagemRock in Rio: Pitty alfineta a produção do festival ao revelar qual seria sua exigência

imagemAnitta é a maior roqueira que existe hoje no Brasil, diz integrante do Titãs

imagemSérgio Moro elege banda clássica de Rock como sua favorita

imagemJoão Gordo compara anarcocapitalistas com quem acredita em terraplanismo

imagemBruce Dickinson revela qual é sua música preferida do Iron Maiden

imagemQuando Derico, do Programa do Jô, descobriu que Ian Anderson tocava tudo errado

imagemVídeo de clássico do Kiss é disponibilizado no canal oficial da banda

imagemRock in Rio libera ingressos extras e novamente dia do metal é único que não esgota

imagemPrika diz que fez "tudo errado" na primeira turnê da Nervosa, mas aprendeu lição

imagemNergal diz que vocalista do Arch Enemy é mais corajosa do que muito metaleiro homem

imagemA reação de Jimi Hendrix ao assistir King Crimson ao vivo

imagemGeddy Lee e Alex Lifeson tocam clássica do Rush em evento nos EUA

imagemAlice In Chains faz o primeiro show em três anos; confira setlist

imagemO hit da Legião que Renato Russo compôs para Cássia Eller e traz coincidência trágica

imagemNova Fã que descobriu Metallica por Stranger Things quer cancelar banda e reúne provas


Stamp

Accept: brasileiro teria sido escalado para criação de capa

Por Felipe Cipriani Ávila
Fonte: Patrícia Mikolaiczyka
Em 07/09/14

Julio Marinho é um artista gráfico e web designer gaúcho que trabalhou com o Accept entre os anos de 2012 e 2013. Ele ficou responsável pelo site e por toda a concepção gráfica do vinho oficial do conjunto alemão, entre outras ocupações. Dentre vários outros trabalhos já realizados ao longo de sua trajetória, foi o criador da capa do álbum mais recente da banda gaúcha Tierramystica, intitulado "Heirs Of The Sun". A namorada do artista entrou em contato e narrou uma história interessante. Segue abaixo o depoimento de Patrícia Mikolaiczyka:

"No final de 2013, a banda alemã Accept começou a gravar aquele que seria o seu terceiro álbum com Mark Tornillo nos vocais. Na época, a banda usava em seu marketing trabalhos do artista gráfico brasileiro Julio Marinho, que já havia sido o responsável pelo desenvolvimento do Website da banda e também por Backdrops, camisetas, etc. Quando o álbum começou a ser gravado, segundo Julio, Gaby Hoffmann, empresária da banda, informou a ele que a temática para a capa do novo disco deveria abordar a libertação do ser humano da escravidão da máquina do sistema, e também deveria simbolizar a fúria que a máquina ACCEPT estaria descarregando nas novas faixas. Após concluir a arte, sem saber muito porque, Julio foi informado que a banda não utilizaria mais essa temática e que outra arte estava em discussão. A arte desenvolvida foi engavetada e nunca utilizada. Apesar da banda solicitar os originais, Julio não autorizou que a peça fosse utilizada em outros materiais.".

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

Confira abaixo a imagem de autoria de Julio Marinho:

E aí, leitores, o que acharam da capa do brasileiro?

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Dream Theater 2022


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

A honesta sensação de Udo ao ouvir primeiro álbum sem ele no Accept

Udo revela se sabia ou não que nasceu na mesma cidade que Hans Donner, da Rede Globo

Udo Dirkschneider comenta em entrevista o novo álbum "My Way"

Udo relembra época no Accept: "Fui demitido da minha própria banda"

O curioso motivo pelo qual Udo (ex-Accept) usa cabelos curtos desde 1982

Quando UDO se arriscou no hard rock com "Faceless World" (vídeo).

Accept encerra um ciclo com "Too Mean to Die"

Accept: metal em alto nível com "The Rise of Chaos" (vídeo).

Kerrang: As 50 piores capas de todos os tempos

Sala de Som: 5 discos pra começar a ouvir heavy metal

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1983

Gibson: os 50 melhores covers da história do rock

Nirvana: Dave Grohl comenta sobre o funeral de Kurt Cobain


Sobre Felipe Cipriani Ávila

Headbanger convicto e fanático, jornalista (graduado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - PUC Minas), colecionador compulsivo de discos, não vive, de modo algum, sem música. Procura, sempre, se aprofundar no melhor gênero de música do mundo, o Heavy Metal, assim como no Rock'n'Roll, de um modo geral, passando pelo clássico, pelo progressivo, pelo Hard setentista e oitentista, e não se esquecendo do Blues. Play It Loud!

Mais matérias de Felipe Cipriani Ávila.