Angra: Aquiles detona ex-companheiros de banda em workshop

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Seguir Whiplash.Net

Por Igor Soares, Fonte: O Povo
Enviar correções  |  Ver Acessos

Matéria de 24/11/14. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

No dia 20 de novembro de 2014 o baterista Aquiles Priester esteve em Fortaleza, onde realizou um Workshop antes dos shows do Noturnall em Quixadá e na capital cearense.

1904 acessosKiko Loureiro: improvisando com sua nova guitarra5000 acessosCourtney Love: "Parei com drogas e transei como um coelho"

As informações são de Ronnald Casemiro, do Blog Ceará and Rock, ligado ao Grupo de Comunicação O POVO. A matéria pode ser lida na íntegra no link abaixo.

http://blog.opovo.com.br/cearaerock/2014/11/21/em-workshop-a...

Durante a apresentação, o baterista executou músicas do Hangar e do Noturnall, com as participações especiais de Juninho Carelli e Fernando Quesada. Entre uma música e outra Aquiles respondeu perguntas do público e fez algumas declarações polêmicas sobre sua saída do Angra.

De acordo com o baterista, pouco tempo após começar a ministrar workshops, o empresário do Angra o ligou para dizer que a banda deveria receber uma porcentagem (algo em torno de 20%) pelas apresentações. O baterista ainda teria questionado a cobrança, pois “sequer usava a marca Angra nos eventos”. A taxa teve que ser paga e isso seria apenas o começo.

Aquiles ainda disse que nos shows da banda, os produtos mais vendidos eram os de sua marca e isso logo teria feito com que uma nova regra fosse instituída: Tudo que fosse vendido nos shows, independente da marca, seria dividido entre todos os integrantes. “Depois disseram que apenas produtos do Angra poderiam ser vendidos nos shows”, afirmou o baterista.

Depois de sua saída do Angra, o baterista foi indicado por John Petrucci (Dream Theater) para excursionar com o músico Tony MacAlpine. “Traumatizado” com as lembranças do Angra, Aquiles pensou bastante antes de aceitar o convite. Já na turnê, ele não se sentia a vontade pra vender seus produtos, até ser aconselhado pelo guitarrista.

“O cara me disse pra vender meus produtos, pois eu tinha que fazer grana. O guitarrista! Enquanto aqueles outros dois imbecis, mesmo ganhando em cima da minha marca, me proibiram de fazer meus ‘merchans’ (…) eles têm uma técnica muito grande, mas a ganância é tão grande que acabou com a banda”, afirmou Priester.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Seguir Whiplash.Net



Kiko LoureiroKiko Loureiro
Improvisando com sua nova guitarra

AngraAngra
As cinco melhores composições de Andre Matos

AngraAngra
Show da tour do "Angels Cry" disponível na íntegra

Heavy MetalHeavy Metal
50 lições para ser um vocalista brasileiro do gênero

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Angra"0 acessosTodas as matérias sobre "Noturnall"


Courtney LoveCourtney Love
"Parei com drogas e fodi como um coelho"

Heavy MetalHeavy Metal
Os 11 melhores álbuns dos anos 2000 segundo o Loudwire

Ultraje a RigorUltraje a Rigor
Roger compra confusão com veganos no Twitter

5000 acessosMike Mangini: um dos bateristas mais rápidos do mundo?5000 acessosDonald Trump: o que Max e Igor Cavalera pensam a respeito dele?5000 acessosHugo Mariutti: indignado com piada sobre a realidade da cena metal no Brasil5000 acessosTurnê de despedida: dez bandas que anunciaram o fim mas ainda estão na ativa5000 acessosMetallica: Chris Adler ainda se impressiona com Lars Ulrich5000 acessosTool: as crianças que farão você voltar a ter esperança na banda

Sobre Igor Soares

Brasiliense de nascimento e piauiense de coração, Igor é Geógrafo e Desenvolvedor Web. Acessa o Whiplash.Net desde os primórdios e o Iron Maiden, sua banda favorita, é uma das razões dele ter se tornado colaborador do site.

Mais matérias de Igor Soares no Whiplash.Net.