Linkin Park: um exemplo mostra que é a banda mais foda do mundo

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Testa, Fonte: Forbes, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

A Forbes, revista de negócios e economia norte-americana, uma das mais respeitadas do mundo, fez uma matéria sobre como, através da responsabilidade social, a banda Linkin Park consegue melhorar o mundo. Confira trechos do texto de Ruth Blatt. Abaixo, o link da matéria na íntegra, em inglês.

Júnior Bass Groovador: veja-o tocar "Numb", do Linkin Park, em versão forróMetallica: integrantes escolhem álbuns e músicas dos anos 2000

http://www.forbes.com/sites/ruthblatt/2015/01/11/what-linkin...

Se você ainda é jovem e acha que é cedo para ir em um concerto do Linkin Park, uma recente publicação (da Kerrang!) declarou que eles são "A maior banda de rock do planeta", e você terá muitas oportunidades de ir e de tornar o mundo um lugar melhor. Você pode se juntar ao pessoal do "Love Hope Strength" para descobrir se é um doador compatível de medula óssea e salvar a vida de alguém, como vários fãs do Linkin Park tem feito (conheça o trabalho da fundação em www.lovehopestrength.org). Você vai aprender como você pode ajudar o meio ambiente através da Reverb, uma organização sem fins lucrativos que trabalha com o Linkin Park para minimizar o impacto ambiental causado por gases nocivos (reverb.org). Ou você pode visitar os veteranos de guerra da América do Iraque e do Afeganistão, onde você vai conhecer Quan Nguyen, que vai contar um pouco sobre seu projeto de combate ao suicídio de veteranos de guerra (iava.org/about). A instituição inclusive lançou em seu canal um vídeo com imagens tendo a faixa "Wastelands", do álbum "The Hunting Party", como trilha sonora. Confira.

Você também pode conhecer o "Music for Relief" (musicforrelief.org), uma organização fundada pelo Linkin Park em 2005 para arrecadar dinheiro e conscientizar a ajuda direta aos desastres ambientais. o Music for Relief já arrecadou mais de 6 milhões de dólares (mais de 13 milhões de reais) para os sobreviventes de desastres naturais e plantou mais de 1 milhão de árvores para ajudar a combater o aquecimento global. Recentemente, entrou na luta contra o ebola.

Como o Linkin Park consegue fazer isso? Como qualquer outra banda, os seis membros do Linkin Park têm uma equipe de gestão top. Embora eles sempre estejam ativos musicalmente, quando se fala no lado político, sempre estão em diversos pontos do mundo.

Em dezembro de 2004, eles haviam chegado recentemente de uma turnê no sudeste da Ásia, quando um tsunami atingiu o lugar no dia 26 de dezembro, devastando a área onde o Linkin Park tinha se hospedado recentemente.

"Nós nunca pensamos em ter uma organização social que fosse nossa", disse o baixista Dave "Phoenix". "Vimos a devastação e sentimos que deveríamos ajudar e mobilizamos nossa comunidade de fãs e a indústria da música em geral."

Trazendo compaixão consigo, a banda entrou em ação, usando de seus recursos e infra-estrutura. O Linkin Park é de fato a prioridade, hoje eles tem 66 milhões de fãs no Facebook. Em segundo lugar vem sua organização social, que tem uma gestão enorme, com dezenas de funcionários terceirizados e em terceiro ficou a sua rede de colegas e bandas.

"Eu acredito na força dos números", disse Farrell. "Quero reunir o poder de uma multidão para fazer uma mudança real."

A banda percebeu que poderia conseguir um maior impacto através de sua própria compaixão. Eles contribuíram com "Not Alone", um vídeo para conscientizar e levantar fundos para o Haiti após o terremoto em 2010. O secretário geral das nações unidas ficou tão satisfeito com a resposta de mais de 9 milhões de visualizações no youtube que ele pediu para a banda apoiar sua ideia de energia sustentável para o mundo, uma iniciativa que promove um uso consciente e sustentável de energia elétrica. A colaboração veio e foi chamada de "Power The World", que tem vindo a fornecer energia para lugares pobres e que nunca tiveram energia elétrica antes. Confira os dois vídeos.

Mais do que a consciência, a banda vê o "Music for Relief" como uma infra-estrutura para envolver pessoas que querem usar um pouco do que tem e que sabe fazer para fornecer ajuda. Para isso, eles organizam plantio de árvores, em conjunto com seus fãs e colaboradores.

Através de tais atividades, o Linkin Park é capaz de permear sua organização com uma cultura de cuidar, de se importar. De acordo com um recente estudo feito por professores da "Business School EESEC", uma ação social corporativa é eficaz quando é baseada em uma criação de organização de pessoas que estão sendo encorajados a ajudar e a cuidar um do outro, e é isso que a banda faz, encoraja os seus fãs a ajudar.

Na África do sul, em 2012, vinte membros da equipe do Linkin Park plantaram árvores em uma escola primária. "Foi o melhor dia", disse Missy Allgood. "Eles foram tão doces. Estas crianças pequenas viram como os pequenos gestos podem ser grandes e belos. Eles estavam cantando, e cada pessoa da escola tinha lágrimas nos olhos."

O Linkin Park sempre renova sua energia filantrópica. Eles visitam escolas, hospitais e também campos de refugiados. Através dessas práticas, o Linkin Park tem sido capaz de fazer crescer suas atividades de ajuda, mas eles querem fazer ainda mais - "O maior desafio é chegar a descobrir formas de envolver outros artistas do mundo todo", disse Dave. "É ótimo ter artistas apaixonados pelas pessoas e pelo mundo como o Linkin Park, é muito legal colaborar com o mundo. Temos que unir nossas forças e fazer barulho".



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Linkin Park"


Júnior Bass Groovador: veja-o tocar Numb, do Linkin Park, em versão forróJúnior Bass Groovador
Veja-o tocar "Numb", do Linkin Park, em versão forró

Ídolos imortais: Chester Bennington, a voz do Linkin Park

Linkin Park: viúva de Chester Bennington, Talinda anuncia que está noivaLinkin Park
Viúva de Chester Bennington, Talinda anuncia que está noiva

Linkin Park: a fortuna que vale o direito musical de Chester BenningtonLinkin Park
A fortuna que vale o direito musical de Chester Bennington

Linkin Park: como adolescentes de hoje reagem ao ouvir a banda?Linkin Park
Como adolescentes de hoje reagem ao ouvir a banda?

Linkin Park: Shinoda opina sobre comentários de ChesterLinkin Park
Shinoda opina sobre comentários de Chester

Linkin Park: Chamando a policia para apreender erva do SublimeLinkin Park
Chamando a policia para apreender erva do Sublime


Metallica: integrantes escolhem álbuns e músicas dos anos 2000Metallica
Integrantes escolhem álbuns e músicas dos anos 2000

Gorgoroth: As orientações sexuais e políticas de GaahlGorgoroth
As orientações sexuais e políticas de Gaahl

Covers: alguns dos mais legais feitos por bandas de MetalCovers
Alguns dos mais legais feitos por bandas de Metal

Cannibal Corpse: o pescoço gigante de George FisherCannibal Corpse
O pescoço gigante de George Fisher

Sexo: como se comportam os fãs de cada vertente de Metal?Sexo
Como se comportam os fãs de cada vertente de Metal?

Venom: Eu não saio por aí assassinando virgensVenom
"Eu não saio por aí assassinando virgens"

Manowar: o dia em que a banda arregou pro Twisted SisterManowar
O dia em que a banda arregou pro Twisted Sister


Sobre Rafael Testa

Nascido em Juiz de Fora, Minas Gerais, tem 23 anos, é estudante de sistemas de informação e torcedor fanático do Vasco da Gama e do Tupi Football Club. Se interessou por rock/metal depois do grande tio Roney mostrar-lhe o Iron Maiden. Tem o gosto musical muito variado, curte do thrash metal do Slayer ao metalcore do All That Remains. Acredita que existem bandas boas atualmente e faz questão de apresentá-las.

Mais matérias de Rafael Testa no Whiplash.Net.