Queen: Adam Lambert assina com gravadora logo após sair da RCA

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Wesley Augusto, Fonte: Billboard
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 19/01/15. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Dizem que você não consegue deixar um bom homem para baixo, mas nos caso de Adam Lambert, ele ficou menos de 24 horas.

1471 acessosQueen: Adam Lambert ficou aterrorizado com primeiros shows5000 acessosMTV Unplugged: As 25 melhores apresentações da história

O artista solo e vocalista atual do Queen conta à Billboard que ele achou um novo lar na Warner Bros. Records, e que a gravadora entrou em contato com ele logo após a notícia de que ele havia deixado a RCA Records.

“No dia seguinte, a Warner Bros. entrou em contato conosco, o que eu achei que foi fantástico e foi como um alívio”, diz Lambert. “Foi assustador fazer aquele anúncio para o mundo.”

Lambert e seu time de gestão se juntaram e pensaram, decidindo ir aos produtores e compositores suecos, Max Martin e Shellback. Os dois trabalharam com Lambert pela primeira vez meses depois da quase vitória no Idol e a colaboração gerou dois hits, “Whataya Want From Me”, que chegou ao 10º lugar na Billboard Hot 100, e “If I Had You”, que passou 20 semanas nas paradas, chegando ao 30º lugar.

“Eu marquei um encontro com Max Martin e Shellback. Nós começamos a falar sobre a vida, política, moda, tudo”, Lambert lembra. “Eles disseram ‘Você parece diferente, Adam’ e eu disse ‘Eu me sinto um pouco diferente.’ E eu pedi a ajuda deles.”

Quatro anos após seu primeiro trabalho juntos, o trio continuou onde parou, com Martin e Shellback se oferecendo para serem produtores executivos do próximo lançamento do artista de 32 anos, o primeiro de seu contrato com a Warner Bros., previsto para ser lançado no início do verão.

Como Martin disse com exclusividade à Billboard: “Shellback e eu percebemos pela primeira vez em 2009 que um talento como de Adam Lambert não aparece muito frequentemente. Nós amamos a experiência, então torcemos para que nossos caminhos se cruzassem novamente. Então quando Adam veio até nós com uma nova oportunidade de trabalharmos juntos, nós aceitamos e até sugerimos uma relação mais profunda em que teríamos a chance de realmente ajudar o Adam a definir a música do álbum. Nós nos juntamos ao melhor parceiro na Warner Brothers e mal podemos esperar para que todos ouçam o álbum. Nós estamos orgulhosos com o trabalho e esperamos que gostem tanto quanto nós!”

O criador de hits descreve a experiência como “uma grande jornada”. Lambert certamente concordaria. Leia mais sobre como isso aconteceu abaixo:

O que era importante para você em um novo contrato?
Adam: Achar um novo lar em que eu me encaixasse. Como você sabe, eu deixei a RCA por diferenças criativas. Eles são ótimos. Eu tenho uma ótima relação, mas eu não senti que nós queríamos as mesmas coisas para o próximo capítulo, então eu decidi deixá-los.

Como você, Max e Shellback se reconectaram?
Adam: Eu estrava trabalhando com demos e marquei uma reunião com eles. Eles são dois dos meus produtores favoritos e estão no topo. Eu amo tudo o que fazem, e eu estava animado de nos reunirmos novamente após termos trabalhado em “For Your Entertainment”. Foi bom se juntar e rir. Havia um ar casual e humilde, e quando você está no estúdio, é isso que quer. Eu toquei uma música para eles e ficamos animados. Eles ouviram meu crescimento pessoal e as coisas que eu queria dizer por meio das letras. Resumindo, eles se ofereceram para serem produtores executivos desse álbum, e esse pareceu ser um grande momento.

O que você acha deles fazerem músicas tão inegáveis?
Adam: Os dois são gênios no que fazem. E a vibe que criam não tem ego, é sobre fazer uma música boa. E é assim que deve ser. E eles me deixam ser eu mesmo.

Houve rumores de uma participação de Tove Lo, além de outro. Você pode revelar algum colaborador?
Adam: Eu não posso, mas posso dizer que o primeiro single sairá em abril. Eu acho que as pessoas se surpreenderão. O álbum é como uma nova era para mim – emocionalmente, sonoramente. É fresco, é novo. Ainda sou eu. Ainda é o que os fãs conhecem e gostam, mas é 100% um novo capítulo.

E foi gravado na Suécia?
Adam: Sim, eu passei dois meses em Estocolmo no começo de 2014 escrevendo as músicas. Foi um período bem focado. Eu não tenho uma vida social lá, eu não tinha nenhum compromisso profissional então eu ia para o estúdio quase todos os dias. Era bom; me permitia pensar sobre onde eu estava em minha vida e onde estive, o que eu queria dizer e como eu queria dizer, e eu trabalhei com pessoas incríveis.

O que você pode nos dizer sobre o álbum sonoramente? Você pode nos dar uma dica sobre o que estava ouvindo?
Adam: Eu queria que fosse algo mais interno e mais fundamentado. Um pouco menos teatral e extravagante. Eu queria trazer um pouco mais. Estar em turnê com uma banda de rock britânica, e ido à Londres bastante esse ano, ensaiando com eles e fazendo aparições na TV, acho que isso afetou meu som e onde estamos o levando. [A Europa] está bem a frente na curva, ou nela, e eu fui influenciado por isso. Vocalmente, é bem mais íntimo comparado ao que fiz no passado. Há um pouco mais de ousadia, conflito interno e poesia.

Você foi ao compositor nº 1 do mundo, o quão importante são os hits para você?
Adam: Acho que está bem claro o que queremos com esses dois caras. Eles são mestres. Eles são gênios da melodia. Parece muito simples e muito complexo. E eu amo isso. É sem esforço e gracioso. Eles sabem o que as pessoas querem ouvir e que a melhor maneira de alcançá-las é pelo rádio. É uma das razões pelas quais eu queria trabalhar com eles – por causa de suas especialidades na área.

Faz seis anos desde que a América o viu pela primeira vez no Idol, o que você aprendeu sobre o ramo da música nesse tempo?
Adam: Quando você entra rapidamente com a trajetória após o American Idol, é fácil ver o ramo como um fã veria: você não vê os prós e contras. E você aprende quando está dentro. Com “Trespassing”, eu aprendi bastante sobre rádio. Eu aprendi muito sobre meus fãs com o passar dos anos – da importância e como você tem que ouvi-los. Estar no palco com o Queen e me lembrar das coisas mais importantes de música e performance são as coisas mais atemporais: transcende competições de popularidade. Tem mais a ver com a verdade, emoção, honestidade e a conexão com a audiência, a música e o momento. [A turnê com o Queen] tem sido boa para mim em nível de confiança. Me fez sentir que estou no caminho certo e humilde ao mesmo tempo. Eu estou entrando em uma posição que costumava ser ocupada pelo maior vocalista de todos os tempos. Tentar viver com esse legado tem sido desafiador e recompensador.

Agradecimento: Adam Lambert Brasil
Tradução: Carolina Martins C.
Fontes: Adam Lambert/Twitter e Billboard

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

QueenQueen
Adam Lambert ficou aterrorizado com primeiros shows

1529 acessosQueen: "Bohemian Rhapsody" tocada com uma única nota2486 acessosSom de Peso: os sete melhores discos ao vivo de Rock0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Queen"

Smoke on the WaterSmoke on the Water
Gravação que reuniu bandas clássicas em 1989

QueenQueen
"Não sabia que Freddie era gay", diz Brian May

QueenQueen
The Voice é o insulto final à música, diz May

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Queen"

MTV UnpluggedMTV Unplugged
As 25 melhores apresentações da história

Andre MatosAndre Matos
"Fui praticamente coagido a ser vocalista do Viper!"

SlipknotSlipknot
Corey Taylor abandona os palcos se o Guns se reunir

5000 acessosAC/DC: como Angus responde a um copo de cerveja atirado?5000 acessosMarcelo Maiden: Uma impressionante coleção de ítens do Iron Maiden5000 acessosSlipknot: pornografia inspirou primeiro álbum da banda5000 acessosMetallica: "tão grande quanto a Coca-Cola"5000 acessosGuns N' Roses: Izzy era o coração frio da alma quente da banda5000 acessosSepultura: conheça o ônibus de turnê da banda

Sobre Wesley Augusto

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online