Marilyn Manson: ex-tecladista chateado porque cantor não morreu em janeiro

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Narcissus Narcosis
Enviar Correções  

Stepher Bier (também conhecido como POGO ou M.W.GACY), tecladista do MARILYN MANSON entre os anos de 1990 e 2006, deliberadamente usa as suas redes sociais para tecer comentários nada amistosos sobre o ex-chefe.

publicidade

Na última semana, o tecladista mostrou frustração em saber que janeiro está terminando e o cantor não é um dos vários artistas mortos do mês.

"Eu estou genuinamente espantado com a quantidade de entertainers e músicos proeminentes que morreram nos últimos 30 dias. Muito ruim que Brian Warner não seja um deles."

publicidade

MARILYN MANSON não se pronunciou, pois está ocupado com as suas produções na TV e na música.

Entendendo o caso:

Em agosto de 2007, Pogo entrou com um processo contra o vocalista pedindo 20 milhões de dólares, sob a alegação de que MANSON tinha utilizado o dinheiro da banda para comprar presentes para a esposa (Dita Von Teese), drogas, esqueleto de uma criança, uma máscara feita de pele humana e animais empalhados. Em dezembro do mesmo ano, MANSON processou o tecladista de volta alegando que POGO não cumpriu os deveres como membro da banda nas gravações do álbum nem na promoção do grupo.

publicidade

Em uma entrevista no ano seguinte, MANSON diz que tocou os teclados no álbum "The Golden Age of Grotesque", pois, além de não demonstrar interesse em participar da produção do álbum, Gacy ainda faltava em algumas sessões do estúdio. O tecladista recebe créditos em apenas três faixas do álbum.

publicidade


WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin