Matérias Mais Lidas

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemO clássico dos Rolling Stones que levou mais de 30 anos para ser tocado ao vivo

imagemA simpatia de James Hetfield ao conversar com pais de bebê que nasceu durante show

imagemKiko Loureiro defende surgimento de banda que seria "Greta Van Fleet do Iron Maiden"

imagemRitchie Blackmore revela como o impactou a chegada de Jimi Hendrix na Inglaterra

imagemOzzy Osbourne dá sua opinião sobre o streaming e dispara contra Spotify; "É uma piada"

imagemOzzy Osbourne diz que está bem aos 73 anos, mas sabe que sua hora vai chegar

imagemOzzy Osbourne é visto caminhando com dificuldade ao sair de estúdio

imagemLuciano Hang processa vocal do Fresno e quer indenização de R$ 100 mil por danos morais

imagemA visão de Arnaldo Antunes sobre sua timidez no período da adolescência

imagemLars Ulrich diz que shows do Metallica na América do Sul foram incríveis

imagemFreddie Mercury revelou em 1985 como foi conciliar carreira solo e o Queen

imagemConfira as músicas que o Iron Maiden está ensaiando para turnê que passa pelo Brasil

imagemMetallica faz doação para complexo de saúde e educação em Curitiba


Stamp

Indústria: 17 coisas que bandas novas simplesmente não entendem

Por Nacho Belgrande
Fonte: Playa Del Nacho
Em 27/02/14

Texto original de Ari Herstand

Falar mal de outras bandas da sua cena não macula a reputação delas. Estraga a sua.

Agir desinteressadamente de braços cruzados nos fundos da plateia durante as apresentações de outras bandas não lhe confere uma aura de bacana. Cantar junto na frente do palco sim.

Agir como um astro do rock não é tão importante quanto soar como um.

A imagem é de fato importante. Bermudas cáqui são para pais num churrasco. Não para músicos no palco.

Ser respeitoso e amigável vai levar você muito mais longe do que ser superior e qualificado.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Ir aos shows das outras bandas é A coisa MAIS importante que você pode fazer para apoiar sua cena.

Os guardiões da sua cena são amigos uns dos outros. Seja amigo de um e você será amigo de todos. Pise na bola com um e prepare-se para entrar na lista negra.

Você não precisa da imprensa para lotar um show. Você precisa de valores sólidos de trabalho.

Materiais físicos de divulgação ainda são incrivelmente importantes. Saia pro mundo e pendure pôsteres e distribua panfletos. Não passe o tempo todo no Facebook.

O Facebook está morrendo. Se todo seu plano de divulgação se baseia nele, você está condenado.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Você precisa conquistar sua cidade antes de cair na estrada. Se ninguém está pouco se fudendo para você na sua quebrada, o que lhe faz pensar que as pessoas vão se importar com você em qualquer outro lugar?

Sair em turnê não quer dizer nada sem que as pessoas de fato apareçam em seus shows. Não saia em turnê a menos que você saiba como vai atrair o público para todos os shows.

Tocar em todo canto da cidade o tempo todo enfraquece seu poder de captação de público. Faça shows mais espaçados entre um e o outro de modo que você possa promover um grande show a cada 6-8 semanas.

CONTUDO, quando você está bem no começo, você precisa tocar em todo canto e em qualquer canto o tempo todo para ganhar experiência de palco. Grave todos os shows. Uma vez que VOCÊ amar ouvir a seu set gravado [e pessoas que não sejam da sua família ou amigos digam a você que amam sua banda] daí você pode marcar shows DE VERDADE e cobrar couvert.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Se você é RUIM, você não merece receber cachê. Fique bom primeiro. Daí você pode começar a cobrar.

Ninguém na indústria fonográfica quer saber se sua música é boa. Eles lhe dão atenção pelo fato de você ter sido bem-sucedido por seus próprios méritos.

Faça um esforço para ajudar outros na sua cena. Isso vai lhe dar retorno no futuro.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

[an error occurred while processing this directive]

Racismo: documentário aborda preconceito contra negras no Metal



Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande.