Noturnall: Tecladista fala sobre como viver da música

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Lucas Steinmetz Moita, Fonte: Heavy Talk
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 05/07/16. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

O tecladista Júnior Carelli, do SHAMAN e NOTURNALL, fala em entrevista exclusiva ao Heavy Talk sobre de que forma é possível viver de música nos dias atuais e sobre empreendedorismo no meio artístico. Abaixo você pode assistir ao vídeo ou ler trechos da entrevista.

2511 acessosHugo Mariutti: CD solo e o destino do Shaman5000 acessosAxl no AC/DC: O fiasco que se transformou numa surpreendente união

[Heavy Talk] Hoje em dia pra uma banda de metal, como existe uma crise geral, há muito corte de gastos. Tem sido comum as bandas não terem mais condições de manter um tecladista e trocam por um notebook. O que faz a diferença para um tecladista não perder o emprego em uma banda e conseguir se destacar?

[Juninho Carelli] Se o cara for esperto, ele que gravou aquele som no notebook e já ganhou uma graninha ali. O tecladista no rock é essencial e as pessoas não enxergam isso. Porque o rock é guitarra, o visu principal do rock é na guitarra. A partir do momento que você consegue se descolar disso e acabar sendo um frontman, um cara que tem linhas principais na música, um cara que se destaca também pelo visual que passa, pois o público se impressiona com o visual. Não é só aquele cara que fica no fundo parado... Você vê o Fábio Laguna, é um cara que se mexe, tem aquele teclado de molas... Então você vê que os tecladistas que se destacam não se destacam unicamente pelo som. É um conjunto de coisas como qualquer guitarrista. Você vê um guitarrista tocando sentado e parado é diferente de ver um cara que tá agitando. Então acho que a história é a mesma.

E engraçado você tocar nesse assunto, porque eu estou desenvolvendo com a produtora um congresso que é para os músicos, não só do metal, do Brasil inteiro. Os caras que já vivem de música de alguma forma. Por exemplo, eu vivo de música e tenho a produtora. Minha vida é dividida em duas. A gente tá fazendo esse congresso pra mostrar para os músicos que não é só tocar. Por exemplo, o Mike Orlando já deu entrevista pra gente. Um dos 100 guitarristas mais importantes do mundo não vive só de guitarra, ele mixa na casa dele. Então a gente tá fazendo esse congresso para as pessoas terem acesso a esse tipo de informação, e saberem que os ídolos delas não são glamourizados pra caralho. Às vezes o cara se fode pra trampar em outras coisas relacionadas à música pra fazer uma grana. A gente tá dando grandes exemplos para as pessoas conseguirem viver mais de música e pararem de pensar que querem ser o Metallica. O Metallica hoje em dia só o Justin Bieber vai chegar lá.

Para ler a entrevista completa, acesse:
http://www.heavytalk.com.br/2016/06/entrevista-juninho-carel...

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

2511 acessosHugo Mariutti: CD solo e o destino do Shaman0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Shaman"

Andre MatosAndre Matos
Blaze Bayley é uma lição de humildade para todos nós

Andre MatosAndre Matos
Vídeo de 2000 explicando saída do Angra

ShamanShaman
Thiago Bianchi quebra taça de cristal com a voz

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Noturnall"0 acessosTodas as matérias sobre "Shaman"0 acessosTodas as matérias sobre "A.N.I.E"


Axl no AC/DCAxl no AC/DC
O fiasco que se transformou numa surpreendente união

Van HalenVan Halen
Eddie explica os segredos do seu modo de tocar

Elvis PresleyElvis Presley
De que ele morreu?

5000 acessosVinil: quais são os dez discos mais valiosos do mundo?5000 acessosPunk: 10 músicos que são mais ricos do que você pensa5000 acessosSinceridade: e se as capas de discos dissessem a verdade?5000 acessosMetallica: se encontrar James Hetfield, não peça para bater uma foto5000 acessosGuns N' Roses: em vídeo, o momento em que Steven Adler tem que sair do palco3938 acessosMetaleiro: popularizado no 1º RIR, termo continua polêmico

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 05 de julho de 2016


Sobre Lucas Steinmetz Moita

Formado em Jornalismo pela Unisinos, atua em duas áreas bastante bipolares: música pesada e teologia. Proprietário do site CristianismoHardcore.com.br, atuou durante 5 anos com o Programa MoitaRock, entrevistando diversos artistas nacionais e internacionais (como Andre Matos, Angra, Sebastian Bach e Blind Guardian). O Programa MoitaRock foi extinto, mas o trabalho com vídeo e entrevistas continua em HeavyTalk.com.br, ao qual também administra.

Mais informações sobre Lucas Steinmetz Moita

Mais matérias de Lucas Steinmetz Moita no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online