Matérias Mais Lidas

imagemA bizarra exigência de Ace Frehley para participar da última turnê do Kiss

imagemVital, o ex-Paralamas que virou nome de música e depois foi pro Heavy Metal

imagemEngenheiros do Hawaii e as tretas com Titãs, Lulu Santos, Lobão e outros

imagemRegis Tadeu explica porque Ximbinha é um dos melhores guitarristas do Brasil

imagemMax Cavalera revela como "selou a paz" com Tom Araya, vocalista do Slayer

imagem"Stranger Things" traz cena com "Master of Puppets", do Metallica

imagemO álbum do The Who que Roger Daltrey achou "uma m*rda completa

imagemLobão explica porquê todo sertanejo gostaria, no fundo, de ser roqueiro

imagemO grave problema do refrão de "Eagle Fly Free", segundo Fabio Lione

imagemEdu Falaschi descobriu que seu primo famoso tem mais seguidores que ele no Instagram

imagemAndreas Kisser conta quais os dez álbuns que mudaram a sua vida

imagemAlice Cooper diz que em sua equipe "todo mundo é tratado como a banda"

imagemPink Floyd: Gilmour nega alegação de Waters sobre "A Momentary Lapse of Reason"

imagemProdutor de "Temple of Shadows" conta problemas que teve com voz de Edu Falaschi

imagemGregório Duvivier: "Perto de Chico Buarque, Bob Dylan é uma espécie de Renato Russo!"


Airbourne 2022

Metallica: a paixão de Lars Ulrich pelo vinil

Por Bruce William
Fonte: Loudersound
Em 17/10/18

Durante conversa com a Loudersound, Lars Ulrich falou de sua paixão pelo vinil e sobre colecionar álbuns no formato.

"É a coisa do ritual. Correr seus dedos na lateral para abrir o plástico e eventualmente usar a unha pra rompê-lo. Então você abre e vai conferir se tem encarte, esperando ver uma capa dupla. Ao invés disto, você pode apenas ir ao computador e clicar três vezes e ter 140 mil músicas ao seu alcance. Mas é uma coisa completamente diferente. Eu ainda tenho meus velhos discos, de vez em quando dou uma checada neles. Estaria mentindo se não existisse um lance nostálgico nisto, é muito legal poder sentar e ouvir música e estar ali apenas pra isto, pra ouvir música. Quando você está no carro a música é uma trilha sonora de fundo, assim como quando você está cozinhando ou olhando entediado pela janela de um avião. Antigamente você parava, sentava e mergulhava imensamente na música, no encarte com as letras e fotos e deixava de lado as demais coisas da vida, era fantástico".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Sempre há muitas pessoas que vão no sentido contrário das coisas, então quando algo se torna comum há aqueles que navegam no sentido oposto, esta é a natureza da cultura pop, da humanidade em geral. Hoje em dia a maioria das pessoas ouvem música em MP3 comprimidos nos metrôs, aviões, então a volta do vinil é, em parte, um movimento anti-MP3, há os que querem algo com qualidade sonora melhor, e provavelmente também querem estabelecer uma relação com a música, ao invés de apenas encará-la como trilha sonora de fundo. Não estou dizendo que algo não é válido, mas apenas que eu percebo que muitas pessoas querem vivenciar uma experiência mais profunda com a música. Tenho três filhos, o mais velho adora ir para lojas procurar discos, livros, DVDs, pôsteres, talvez ele seja até mais intenso que eu, que sou ligado apenas nos LPs. Ele vem me pedindo discos de presente em aniversários e datas especiais, e ele tem um aparelho simples de 50 dólares no quarto, onde já aconteceu de eu ir e ouvir um vinil do Radiohead, Artic Monkeys ou Miles Davies, o que obviamente aqueceu o coração de seu pai. Muitos artistas hoje em dia lançam edições limitadas que se tornam ítens de colecionador, parece que não apenas esta coisa está de volta, mas que provavelmente nunca vai deixar de ser assim".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Daí perguntaram para Lars qual o primeiro disco que ele comprou: "Quando eu estava com nove anos, em 1973, meu pai me levou para assistir ao Deep Purple em Copenhagen. No dia seguinte eu saí da escola e fui de bicicleta até uma loja de discos e perguntei o que eles tinham da banda, e eles me venderam o ´Fireball´. Foi ali que tudo começou. Nos anos seguintes eu comprei toneladas de discos de bandas como Sweet, Slade, Status Quo, Deep Purple... muitos singles e 45s... isto entre 1974 e 1977. Depois passei a ouvir coisas como Thin Lizzy, Rainbow Judas Priest, e assim foi".

Veja também:

Lars Ulrich: Dinamarquês agilizado e fissurado por discos

imagemLars Ulrich: ele vendeu seus discos pro Metallica ter o que comer

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Satan: Brian Ross diz que o Metallica fez um ótimo trabalho ao defender Metal britânico


USA Today: as 20 maiores bandas de todos os tempos nos EUA


Exodus: "Rick Rubin é uma verdadeira fraude", diz Gary Holt


Sobre Bruce William

Bruce William pensava em ser um motoqueiro rebelde mas descobriu que é um Wieder Blutbad nerd apaixonado por uma Fuchsbau. Avy jorrāelan, CatW!

Mais matérias de Bruce William.