Iron Maiden: a reação de Bruce Dickinson ao ver músicas da era Blaze no set

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Igor Miranda, Fonte: Eddie Trunk / Ultimate Guitar
Enviar Correções  

O baixista Steve Harris revelou, em entrevista a Eddie Trunk transcrita pelo Ultimate Guitar, qual foi a reação do vocalista Bruce Dickinson ao ver duas músicas de Blaze Bayley, que assumiu o microfone principal da banda entre 1994 e 1999, no repertório da atual turnê, "Legacy of the Beast". Eles estão tocando "Sign of the Cross" e "The Clansman" - o que não é novidade, já que Dickinson interpreta canções da "era Blaze" desde seu retorno à formação, duas décadas atrás.

publicidade

"Ele (Bruce) realmente gosta dessas músicas, então, ele estava pronto para isso. Acho que mistura um pouco o repertório. Sei que esses álbuns não são tão famosos quanto outros, mas eles têm boas músicas", afirmou Harris, durante a entrevista.

Iron Maiden: repertório da Legacy of the Beast não foi escolhido por Steve HarrisIron Maiden
Repertório da Legacy of the Beast não foi escolhido por Steve Harris

publicidade

Eddie Trunk, então, perguntou sobre como os integrantes do Iron Maiden se sentem com relação aos discos com Blaze Bayley - "The X Factor" (1995) e "Virtual XI" (1998) -, já que não foram tão recebidos. "Na época, eu disse que muitas pessoas no futuro iriam entender um pouco melhor esses álbuns e, talvez, dar uma chance a eles. Foi o que aconteceu", respondeu o baixista.

publicidade

"Muitas pessoas estão curtindo esses discos agora. Acho que muitos não conseguem superar o fato de que tivemos outro vocalista. Foi uma dessas coisas. Mas obteve uma recepção melhor no resto do mundo. Acho que muitos estão dando uma segunda chance", completou.

Logo quando voltou, para o álbum "Brave New World" (2000) e sua turnê seguinte, Bruce Dickinson topou cantar "Sign of the Cross" e "The Clansman" nos shows. As duas canções, inclusive, entraram na apresentação feita no Rock in Rio 2001, que foi gravada e lançada posteriormente como CD e DVD ao vivo.

publicidade

Em entrevistas, Dickinson não esconde que admira Bayley. "Eu realmente gosto de Blaze, enquanto ser humano. É um cara amável. [...] Na época, pensei: 'uau, eles poderiam ter escolhido alguém com a voz parecida com a minha'. Porém, escolheram Blaze. Claro, eles pegaram alguém diferente, mas isso veio com um conjunto próprio de desafios", afirmou, em 2017, a Jack Antonio.

publicidade

publicidade



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Queen: Estaríamos fazendo música se Freddie estivesse vivo, mas não sei de JohnQueen
"Estaríamos fazendo música se Freddie estivesse vivo, mas não sei de John"

U2: as 10 melhores músicas de todos os tempos da bandaU2
As 10 melhores músicas de todos os tempos da banda


Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Começou a escrever sobre música em 2007 e, algum tempo depois, foi cofundador do site Van do Halen. Colabora com o Whiplash.Net desde 2010. Atualmente, é editor-chefe da Petaxxon Comunicação, que gerencia o portal Cifras, Ei Nerd e outros. Mantém um site próprio 100% dedicado à música. Nas redes: @igormirandasite no Twitter, Instagram e Facebook.

Mais matérias de Igor Miranda no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin