Matérias Mais Lidas

imagemO clássico da Legião inspirado em novela da TV Globo e acusado de plagiar The Doors

imagemO clássico dos Paralamas que Gilberto Gil escreveu a letra e ditou pelo telefone

imagemTúnel do Tempo: 25 músicas que mostram por que 1991 é um ano tão celebrado

imagemComo o clássico "Angel Dust" fez o guitarrista Jim Martin sair do Faith No More

imagem"Não existe esta coisa de New Wave of British Heavy Metal", diz Paul Di'Anno

imagemTúnel do Tempo: 25 músicas que mostram por que 1988 é um ano inesquecível

imagemO álbum do Kiss que infelizmente é ignorado pela banda, segundo Andreas Kisser

imagemSupla explica por que fala sempre misturando português com inglês

imagemCinco músicas que são covers, mas você certamente acha que são as versões originais

imagemMarky Ramone sobre o CBGB: "Era como um lixão, mas era o nosso lixão"

imagemRock in Rio 1991, Maracanã lotado, e o Guns N' Roses ameaçou não subir ao palco...

imagemTico relembra trauma que o fez entrar na Fazenda e briga bizarra com Sérgio Mallandro

imagemOzzy acha que suas novas músicas deveriam ter sido gravadas pelo Black Sabbath

imagemO álbum de David Bowie que Mick Jagger disse que achou "horrível"

imagemEdu Falaschi e as versões de "Bleeding Heart" que "dá uma tristezinha" de ouvir


Stamp

Instrumental, dicas de hoje: versão dos Beatles e Globo Repórter

Por Zé Elias
Fonte: Allmusic
Em 01/01/20

MARCUS MILLER, "Come together"

Quando o cara não se limita a apenas copiar a genialidade dos Beatles... Esta é de 1995.

JIM BOWEN, "Freedom of expression"

Música que apareceu na trilha sonora do filme "The vanishing point", de 1971, e é até hoje o tema do "Globo Repórter", com diferentes versões ao longo dos anos. Só que a original é psicodélica, ouça inteira!

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

In-Edit
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Câncer na língua: entenda a doença de Bruce Dickinson


Sobre Zé Elias

José Elias da Silva Neto é paulista de Santo André, nasceu em 1965. Mora em Poços de Caldas, MG. É designer gráfico, baixista e palmeirense. O primeiro rock ouviu com 2 anos de idade, "Wooly Booly", de Sam the Sham and the Pharaos. Em 1972, foi apresentado ao "Machine Head" do Deep Purple e ao "Santana 3". Uns anos depois vieram a coletânea "1962-1966" dos Beatles e "No Mean City", do Nazareth. Aí virou mania. Quem tá sempre no player: Jethro Tull, Queen, Led Zeppelin, Genesis, Gentle Giant, Dixie Dregs, Emerson Lake & Palmer, Rush, Focus. E alguma coisa de jazz anos 30-40, música erudita, MPB. O que não lhe faz a cabeça: rock farofa, solos muito longos e metal muito zoeira.

Mais matérias de Zé Elias.