CPM 22: banda faz primeira apresentação online sem Japinha e Fernando

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Igor Miranda
Enviar Correções  

O CPM 22 fez, na noite do último sábado (20), sua primeira apresentação sem o baterista Ricardo Japinha, afastado após o vazamento de conversas dele, datadas de 2012, com uma fã de 16 anos. O show, online, aconteceu durante a live "João Rock e Você", do festival João Rock, de Ribeirão Preto (PS).

Sessão Set: O lado nerd de Ricardo Japinha, do CPM 22!

Os Trapalhões: uma homenagem ao Heavy Metal em 1985

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Matheus Ramos - Instagram @cpm22
Matheus Ramos - Instagram @cpm22

Além da ausência de Japinha, a performance virtual também não contou com o baixista Fernando Sanches, que anunciou sua saída do CPM 22 um dia antes do afastamento do baterista. O motivo para Sanches ter deixado a formação não foi revelado. O músico apenas informou que se dedicaria a outros projetos, como as bandas O Inimigo e Bonus Cup e seu estúdio.

CPM 22: Japinha é afastado da banda após vazamento de conversas com fã de 16 anosCPM 22
Japinha é afastado da banda após vazamento de conversas com fã de 16 anos

Para a live no festival online do João Rock, o CPM 22 adotou um formato acústico. Além dos três integrantes remanescentes - o vocalista Japinha e os guitarristas Luciano e Phil -, a banda se apresentou com o baixista Ali Zaher Jr e não contou com ninguém na bateria ou qualquer instrumento de percussão.

Não foi confirmado se Ali continuará no CPM 22. Em contato com a reportagem na última semana, a assessoria de imprensa do João Rock havia confirmado que a banda seguia confirmada no evento e que está "com nova formação".

O vídeo da live não está mais disponível no canal do João Rock no YouTube. Porém, internautas divulgaram algumas filmagens que mostram um pouco do show. Confira:

Japinha é afastado do CPM 22

No último dia 10 de junho, o CPM 22 anunciou o afastamento de Ricardo Japinha. O motivo, segundo a banda, foi o vazamento de uma conversa do músico com uma fã de 16 anos. O diálogo ocorreu em 2012.

"Após os últimos acontecimentos, decidimos pelo afastamento do nosso baterista, Ricardo Japinha, reafirmando nossa posição de não compactuar com atitudes desrespeitosas com quem quer que seja. A banda continua", dizia a nota.

As conversas em questão, datadas de 2012, foram divulgadas na página Exposed Emo, em que mulheres denunciam, anonimamente, supostos assédios e abusos sexuais de músicos das bandas de rock do Brasil, especialmente as do chamado emocore. Na maioria das situações, são divulgados apenas relatos, mas no caso de Japinha, prints das conversas também foram revelados.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Trechos das conversas podem ser visualizados em reportagem do G1, que também entrevistou o músico.

O caso ganhou repercussão adicional nas redes sociais após o baixista Fernando Sanches ter divulgado que deixaria o CPM 22. O motivo não foi revelado, mas como a banda havia anunciado que estava até trabalhando em um novo álbum recentemente, fãs começaram a debater se o caso envolvendo Japinha teria relação com a saída de Fernando.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Pelas redes sociais, Japinha havia publicado um comunicado após o vazamento da conversa - e antes de seu afastamento da banda - em que declarava: "Quem me conhece, de verdade, sabe da minha índole e do meu caráter, e que jamais agiria com o intuito de machucar alguém, seja física ou psicologicamente. Abomino qualquer forma de desrespeito ou abuso contra quem quer que seja. Humildemente, coloco-me à disposição para quaisquer esclarecimentos em face de qualquer pessoa que tenha se sentido mal ou prejudicada, por algum mal entendido. Por fim, informo que todas as medidas legais cabíveis já foram tomadas, para evitar a propagação de informações que não condizem com a verdade".

O comunicado no Instagram não esclareceu se os prints da conversa divulgados são reais, mas Japinha confirmou ao 'G1' que as capturas de tela são verdadeiras e que a conversa, de fato, aconteceu. "Aquela conversa aconteceu. Isso eu não tenho medo de admitir. Logicamente se eu pudesse voltar no tempo e não ter mais aquela conversa, até pela dor de cabeça que ela gerou, eu não teria. Mas se fosse me arrepender, eu me arrependeria de ter tido essa conversa, e não de ter feito alguma coisa errada, porque eu não fiz", disse, em entrevista concedida também antes de ser afastado do CPM 22.

O baterista disse que se sente incomodado com a situação e que não faria de novo, mas declarou que estava apenas brincando e que não fez nada de errado. "Essa conversa específica realmente incomoda, incomoda até a mim. Eu fiz uma brincadeira naquele momento com a menina. Falei que eu tinha oitenta anos. Ninguém em sã consciência conseguiria acreditar. A menina fala que não adianta mentir, sabia que eu tinha 38. Aí eu dei risada", afirmou.

Japinha contou que "estava rolando um clima meio de paquera" e que foi procurado pela fã. "Perguntei se ela tinha namorado. Ela falou que sim. Aí eu recuei. Brinquei e falei que não, eu tinha ciúmes. E aí ela falou que tinha 16 também, aí que eu recuei mais. Eu não tenho essa mania. Eu não gosto. Na estrada, chegava ao ponto de eu pedir RG para as meninas para não ter que tomar nenhum susto nesse sentido. E o principal: eu nunca vi essa menina pessoalmente. Nunca falei com ela", disse.

Questionado pela reportagem do 'G1' sobre o suposto "recuo" de Japinha, o baterista disse que "conversar não mata ninguém". "Eu não fiquei falando que queria... Tudo bem, teve um papo lá de virgindade. Eu até brinquei em relação a virgindade. Mas nunca querendo... sabe? Depois que ela falou que tinha namorado, eu já evito mulher com namorado. E já brinquei falando que tinha ciúme. Foi esse o sentido da conversa", afirmou.

O músico declarou que consultou três advogados para saber se havia crime naquela conversa e todos eles declararam que não há. Ele revelou, ainda, que pode processar internautas que o chamarem de "pedófilo" e "estuprador", embora não goste de "brigar". "Não gosto de briga, sou da paz. Sou espiritualizado, religioso. Só que aí começou a esbarrar na banda. Os meninos da banda falaram: pô, se posiciona aí, Japinha, tão enchendo o saco. Sua imagem. É o Japinha do CPM", disse.

Com relação à saída de Fernando, Japinha disse não saber o motivo. "Eu não conversei com o Fernando ainda. Mas ele já tinha um desentendimento dentro da banda. Não só comigo, mas com outros integrantes, o Luciano. Para mim, (o motivo) não foi falado", afirmou.

A entrevista completa com Japinha pode ser conferida no 'G1'.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Sessão Set: O lado nerd de Ricardo Japinha, do CPM 22!


CPM 22: ficaram com medo de tocar no dia do metal no Rock in RioCPM 22
Ficaram com medo de tocar no dia do metal no Rock in Rio

Raimundos: Japinha, do CPM 22, fala sobre letras polêmicas dos colegasRaimundos
Japinha, do CPM 22, fala sobre letras polêmicas dos colegas


Os Trapalhões: uma homenagem ao Heavy Metal em 1985Os Trapalhões
Uma homenagem ao Heavy Metal em 1985

Johnny Depp: a banda que poderia ter desbancado o GunsJohnny Depp
A banda que poderia ter desbancado o Guns


Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Começou a escrever sobre música em 2007 e, algum tempo depois, foi cofundador do site Van do Halen. Colabora com o Whiplash.Net desde 2010. Atualmente, é editor-chefe da Petaxxon Comunicação, que gerencia o portal Cifras, Ei Nerd e outros. Mantém um site próprio 100% dedicado à música. Nas redes: @igormirandasite no Twitter, Instagram e Facebook.

Mais matérias de Igor Miranda no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280