Iron Maiden: por que escolheram Blaze e não Michael Kiske ou Geoff Tate? Nicko responde

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Igor Miranda
Enviar Correções  

O baterista Nicko McBrain, do Iron Maiden, refletiu sobre a passagem do vocalista Blaze Bayley pela banda em recente transmissão ao vivo feita pelo canal de Aquiles Priester no YouTube. Bayley fez parte do Maiden entre 1994 e 1999, substituindo Bruce Dickinson.

Saúde: mais de 60% dos músicos sofrem de problemas mentais

Metal: 101 motivos para perceber que você ouve há muito tempo

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Durante o bate-papo, Nicko foi perguntado se considerava Blaze Bayley, de fato, a melhor opção para substituir Bruce Dickinson. Ele também foi questionado se um vocalista como Michael Kiske, que havia acabado de deixar o Helloween e estava trabalhando com Rod Smallwood (empresário do Iron Maiden) na época, não poderia funcionar de forma mais adequada para a banda.

Nicko, então, respondeu, conforme transcrito pelo BraveWords: "Não me entenda mal, mas nós ouvimos milhares de pessoas. Tivemos pessoas ouvindo CDs, fitas, fotos, currículos e tudo o mais. Com relação a Michael Kiske... realmente queríamos um cantor britânico. Geoff Tate foi especulado e foi algo como: 'bem, ele é americano e essa é uma banda britânica'. Houve um pouco desse viés".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em seguida, o baterista comentou que Blaze Bayley tinha uma performance irregular, de certa forma, durante sua passagem pelo Iron Maiden. "O lance com o Blaze é que ele cantava muito bem em algumas noites, era brilhante. E tinham várias outras noites em que não era tão bom", afirmou.

Iron Maiden: quando Nicko McBrain ofereceu coração a Deus e pediu Jesus na vida deleIron Maiden
Quando Nicko McBrain ofereceu coração a Deus e pediu Jesus na vida dele

Apesar disso, os álbuns gravados com Blaze, "The X Factor" (1995) e "Virtual XI" (1998), foram elogiados por Nicko McBrain. "Tivemos esses dois discos, 'The X Factor' e 'Virtual XI'. E, claro, tivemos aquele esquema de divulgação com os times de futebol e tudo o mais. Ele estava em sua glória! Então, sim, fizemos dois grandes álbuns. Ame ou não, fez parte da história do Maiden e eu não interpreto isso de outra forma", concluiu.

Assista à entrevista na íntegra no player de vídeo a seguir (em inglês, sem legendas).




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Saúde: mais de 60% dos músicos sofrem de problemas mentaisSaúde
Mais de 60% dos músicos sofrem de problemas mentais

Metal: 101 motivos para perceber que você ouve há muito tempoMetal
101 motivos para perceber que você ouve há muito tempo


Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Começou a escrever sobre música em 2007 e, algum tempo depois, foi cofundador do site Van do Halen. Colabora com o Whiplash.Net desde 2010. Atualmente, é editor-chefe da Petaxxon Comunicação, que gerencia o portal Cifras, Ei Nerd e outros. Mantém um site próprio 100% dedicado à música. Nas redes: @igormirandasite no Twitter, Instagram e Facebook.

Mais matérias de Igor Miranda no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL Cli336x280 CliInline