França: Bandas que valem a pena escutar (Parte I)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Arysson Lima
Enviar correções  |  Ver Acessos

Recentemente, com a elogiada apresentação do GOJIRA no Rock In Rio 2015, muitos fãs de Rock e Metal puderam conhecer uma banda de qualidade ímpar que possui gigantesco potencial para despontar como uma das maiores do mundo. A partir disso, alguns desses fãs (incluindo o autor dessa matéria, estudante do curso de Letras Português/Francês da Universidade Federal de Sergipe) passaram a sentir certa curiosidade a respeito do cenário Heavy Metal Francês. Será que é produtivo? Existe mais alguma banda, atual ou não, que valha a pena escutar? O país não é um grande exportador de bandas do estilo como outros da Europa (Alemanha, Inglaterra, Suécia e Finlândia, citando os mais populares), mas mantêm, em seu underground, algumas bandas excelentes que, se não fazem o mesmo sucesso que o GOJIRA vem fazendo, merecem atenção daqueles que buscam sons diferentes com uma pitada exótica, devido à nacionalidade, ao idioma empregado nas músicas, ou daqueles que querem simplesmente diversificar e ampliar seus conhecimentos concernentes a um cenário Heavy Metal mais cosmopolita, fugindo um pouco à tradição dos países anteriormente citados. Abaixo, pequenas resenhas de alguns álbuns de 10 bandas não muito divulgadas na imprensa, seja francesa ou brasileira, que podem despertar o interesse de leitores que se encaixam nesses perfis.

França: Bandas que valem a pena escutar (Parte II)

NIGHTMARE - INSURRECTION - 2009

Não, eles não são aquela banda de J-Rock. Estamos falando de outra. Surgida em Grenobla, na ativa desde 1979, sendo uma das primeiras bandas do país, o Nightmare é uma das melhores bandas de Metal que a França já exportou. Iniciaram tocando Punk, influenciados por SEX PISTOLS e THE DAMNED, no entanto, em pouco tempo, com as trocas de formações, isso mudou. O Nightmare passou a fazer um som semelhante às bandas contemporâneas da NWOBHM. Com isso, junto a bandas como SORTILÈGE e H-BOMB, passaram representar a elite do Metal francês. "Waiting For The Twilight" (1984) foi o debut da banda e também o primeiro álbum que o autor desse artigo pode ouvir. No entanto, "Insurrection", de 2009, além de muito mais recente, mostra a banda em seu auge, infinitamente mais maduros e inspirados. Se ainda não escutou, faça esse favor a si mesmo, pois esse é um dos lançamentos mais incríveis dos últimos 10 anos. Uma mistura de Thrash, Prog e Power Metal (influências, aliás, incorporadas desde o fim de um hiato de mais de 10 anos), no mínimo, sensacional. Não à toa, de tão talentosos, ainda no início de carreira, abriram alguns shows para o Def Leppard, e estiveram presentes no line-up de alguns festivais importantes, como o Wacken e o Hellfest.

Músicas Chave: The Gospel Of Judas, Eternal Winter, Insurrection, Legions Of The Rising Sun.

Bandas extremas: 10 álbuns que causaram surpresaOh, não!: clássicos que foram "estragados" pelo tempo

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

MISANTHROPE - IRREMEDIABLE - 2008

O Misanthrope é uma das bandas de maior longevidade dentro do cenário francês e são respeitadíssimos. A banda foi fundada em 1988 e os conceitos com que trabalha tornam-lhe distinta, a começar por utilizarem o idioma pátrio nas composições. As partes líricas são explicitamente inspiradas nas obras teatrais de Molière, dramaturgo, escritor e ator francês nascido no século XV. Suas obras são de extrema importância para a literatura e arte mundiais, e uma de suas mais populares peças, "Le Misanthrope" (O misantropo, em português), de 1666, nomeou o grupo. Quanto à sonoridade, é difícil apontar rótulos. Existe toda uma estrutura de Technical Death Metal, mas também influências variadas de música clássica e folclórica. Apesar dos 28 anos de carreira e da vasta discografia, o álbum de maior destaque do Misanthrope é recente: IrremeDIABLE foi lançado em 2008 e é empolgante do início ao fim, com uma história interessante, baseada na vida e na obra do famoso escritor Charles Baudelaire (outra grande personalidade artística francófona), arranjos bastante originais e de muito bom gosto.

Músicas chave: Phenakistiscope, Les retourneurs de Pierre, Le maudit et son spleen, Le passager du hasard.

CARCARIASS - HELL ON EARTH - 1997

Eis aqui um pilar da cena francesa. O Carcariass é uma banda de Technical Death Metal formada em 1991 e até hoje estão na ativa. Não produziram muito durante esse tempo, mas o material que possuem é consistente, bem feito e cativante. Hell On Earth é o primeiro álbum lançado, em 1997, e é bastante calcado na sonoridade de bandas como ATHEIST, CYNIC, DEATH e ACHERON, ou seja, um instrumental bem estruturado e de uma precisão quase que cirúrgica, e com alguma influência de Rock n' Roll, o que torna tudo ainda mais excitante. As vocalizações, no entanto, lembram um pouco as do DEMIGOD e do BELPHEGOR, guturais baixos e rasgados mais abafados. Em certos momentos, até parece que é uma legítima representante da cena de Tampa, Flórida, de tão semelhante que é as bandas lá surgidas.

Músicas chave: Dream of space, To be with you... In your grave, Brain Dead.

BENIGHTED - INSANE CEPHALIC PRODUCTION - 2004

Pra quem gosta de Brutal Death Metal, aqui está um prato cheio. Oriundo de Rodano Alpes, o Benighted foi formado em 1998. Com influências claras de veteranos como IMMOLATION, SUFFOCATION e CANNIBAL CORPSE, e bandas mais atuais como SPAWN OF POSSESSION e DECAPITATED, o BENIGHTED é uma banda agressiva, sólida e extremamente virtuosa. Insane Cephalic Production é o álbum de maior destaque em sua discografia, muito bem executado, com composições realmente impressionantes. Os vocais são variados, com os tradicionais guturais baixos a lá Cannibal Corpse, Pig Squeals e vocais mais rasgados e gritantes que remetem ao Black Metal de MARDUK e MAYHEM, enquanto os temas líricos envolvem violência, mutilação, patologias e etc.

Músicas chave: Foetus, Bestial Breeding, Perpueral Cannibalism.

BLACK RAIN - LICENSE TO THRILL - 2008

Essa é pra quem gosta de Rock N' Roll! Surgida em 2002, na cidade de Annecy, o Black Rain é uma das bandas que vem revivendo o Hard Rock/Glam Metal em pleno séc. XXI. E o fazem bem. Inicialmente, faziam seu barulho calcado em Speed/Thrash, no entanto, ao aderirem à influências, visuais e sonoras, baseadas principalmente em W.A.S.P e MÖTLEY CRUE, encontraram a fórmula perfeita. A banda já lançou, até então, 3 full lengths muito bem recebidos, mas License To Thrill, lançado em 2008, é o que há de melhor dentro da discografia deles. Muito bem produzido, vemos composições partidas de músicos talentosos, e temas clichês ao tipo de música que tocam, sem soarem datados, é claro. Não é a toa que estão sendo reconhecidos em toda a Europa, e brevemente, na América. Uma banda em ascensão que possui todos os méritos para estourar perante a cena Mundial do Heavy Metal.

Músicas chave: Innocent Rosie, N.A.S.T.Y, License To Thrill, Kill'Em All.

LOUDBLAST - DISINCARNATE - 1991

Essa é uma banda especial. Talvez, eles sejam o "Sepultura" do Metal francês. O Loudblast surgiu em Lille, no ano de 1985, e ativos até hoje, são, junto com o AGRESSOR, (banda também presente neste artigo, com o qual gravaram um split em meados de 1987), os pioneiros no Death Metal Francês. Embora não tão conhecidos no Brasil, o grupo alcançou grandes feitos ao longo de sua carreira. Embora a longa e consistente discografia, "Disincarnate", álbum aqui mencionado, foi o primeiro produzido por ninguém mais que Scott Burns, no Morrisound Studios, e lançado em 1991. É talvez o mais representativo lançamento do gênero por uma banda francófona, embora a maioria das letras sejam cantadas em inglês e abordem temas como o hedonismo e a brutalidade. Além disso, há a presença de vocais limpos em algumas passagens. Na Europa, tocaram juntos à bandas como CORONER, DEATH (sendo até mencionados por Chuck Schuldiner em entrevistas), CARCASS, ENTOMBED, SEPULTURA, CANNIBAL CORPSE, SACRED REICH, MANOWAR, IRON MAIDEN, dentre outras. Essencial para qualquer Deathbanger.

Músicas chave: Outlet For Conscience, Dusk to Dawn, Steering For Paradise, Shaped Images Of Disincarnate Spirits.

MASSACRA - HUMANIZE HUMAN - 1995

Talvez, essa banda estaria fora da lista por um simples motivo: eles se dissolveram a mais de 19 anos. No entanto, a importância, o pioneirismo e a originalidade que possuem falaram mais alto. O Massacra surgiu em 1987, em Paris, tocando Death Metal (gênero onipresente em mais de 70% da carreira), mas sempre com um diferencial, a grande influência de Thrash alemão e Norte Americano. Entretanto, não foram os primeiros álbuns da banda, embora excelentes, os responsáveis pela sua originalidade. Esse Humanize Human, lançado em 1995, mostra uma sonoridade aberta a influências de diversos ramos musicais e uma veia bastante Groove Metal, os vocais guturais se tornaram gritos violentos e sagazes. Alguns setores da mídia francesa o consideram uma obra prima dentro do ramo, e de fato, é. Infelizmente, a banda não durou muito após esse lançamento: o vocalist Fred "Death" Duval faleceu em decorrência de um câncer em 1997, dando fim a história desse magnífico grupo.

Músicas chave: Need For Greed, Dejected, Pay For My Tears, Zero Tolerance.

AGRESSOR - NEVERENDING DESTINITY - 1990

Uma das bandas mais velozes surgidas no final dos anos 80, o Agressor é, junto com o Loudblast, um dos pioneiros do Metal extremo na França e no velho mundo. Formados em 1986 em Antibes, o grupo já passou por diversas formações, diluiu-se em 2006 e retornaram em 2011. Neverending Destinity é a melhor coisa que se pode escutar dessa banda, um álbum realmente doentio, com riffs velocíssimos, guturais mais secos que influenciaram boa parte das bandas européias, de Death, Thrash e Black Metal que surgiram posteriormente. Graças a esse álbum, conseguiram seu lugar ao sol na cena Underground. São tão respeitados que James Murphy (Obiturary, Testament, Death), declarou publicamente ser um fã da banda e até chegou a ajudá-los em algumas sessões de estúdio. Chegaram a dividir palco com bandas como KREATOR, CRADLE OF FILTH, OBITUARY, dentre outras de igual destaque.

Músicas chave: Paralytic Disease, Elemental Decay, Bloodfeast, Prince Of Fire.

FAIRYLAND - SCORE TO A NEW BEGINNING - 2009

Uma banda de Symphonic/Power Metal formada em 1998, que, a partir do álbum mencionado, Score To A New Beginning, terceiro e mais recente da discografia, lançado pela Napalm Records, começaram a fazer sucesso além das fronteiras francesas. Não há grandes inovações, mas as influências de bandas finlandesas como Stratovarius, Nightwish, italianas, como Labyrinth e Rhapsody Of Fire, e mesmo o norte-americano Kamelot, são latentes e agradabilíssimas. Os vocais em coro, bateria galopada e teclados virtuosos são os ingredientes principais para a sonoridade majestosa desse álbum. Altamente recomendado para fãs do gênero.

Músicas chave: Across The Endless Sea Part II, Master Of The Waves, A Soldiers Letter, Godsent.

HEAVENLY - DUST TO DUST - 2004

Outra banda que, atualmente, vem representando a França mundo afora. Formada em 1994 em Marseille, Heavenly possui uma carreira vitoriosa, pois conseguiram se manter firme e forte, mesmo com a plena decadência do Metal melódico no mundo inteiro. Dust To Dust, lançado em 2004 pela Noise Records, produzido por Ferdy Doernberg e Sascha Paeth (velho conhecido, responsável pela produção de bandas brasileiras como o ANGRA e SHAMAN) captura a grupo em seu melhor momento. Power/Speed Metal da melhor qualidade. Já saíram em turnê com EDGUY, GAMMA RAY (inclusive, Kai Hansen colaborou com os franceses em algumas sessões de estúdio), STRATOVARIUS, SCORPIONS, SYMPHONY X, e são presença frequente no Wacken Open Air.

Músicas chave: Evil, Victory (Creature of the Night), Miracle, Flight For Deliverance.

[Nota do editor: O corpus desse artigo se consiste em mais de 2 meses de pesquisa em diversos blogs de metal (brasileiros e franceses) páginas de Metal francesas no Facebook, e audição minuciosa de cada um dos álbuns citados. Outras bandas, como HACRIDE, WILDPATH, DEMON'S EYE, ÉTHS, DAGOBA, FURIA e HOLY PAIN, não obtiveram seus álbuns citados para que o artigo não ficasse mais longo do que já estava, mas ainda assim, uma menção honrosa, e serão citados num futuro artigo em continuação a esse.]


França - Bandas que valem a pena escutar

França: Bandas que valem a pena escutar (Parte II)

Todas as matérias sobre "França - Bandas que valem a pena escutar"




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Maiores e MelhoresTodas as matérias sobre "França - Bandas que valem a pena escutar"Todas as matérias sobre "Heavenly"Todas as matérias sobre "Nightmare"Todas as matérias sobre "Loudblast"Todas as matérias sobre "Agressor"Todas as matérias sobre "Fairyland"Todas as matérias sobre "Benighted"Todas as matérias sobre "Black Rain"Todas as matérias sobre "Misanthrope"


Bandas extremas: 10 álbuns que causaram surpresaBandas extremas
10 álbuns que causaram surpresa

Oh, não!: clássicos que foram estragados pelo tempoOh, não!
Clássicos que foram "estragados" pelo tempo


Sobre Arysson Lima

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

Cli336x280