Matérias Mais Lidas

imagemO hit da Legião Urbana cuja letra fala sobre esperança de Renato em se curar da AIDS

imagemMax e Iggor convidam Jairo, detonam no Rio e alfinetam: "Verdadeiro Sepultura"

imagemA lenda do Rock que se arrepende de nunca ter dormido com Jimi Hendrix

imagemPodcast diz que prática comum no black metal hoje seria "coisa de esquerdomacho"

imagemQuando Slash tentou entrar pro Kiss mas foi rejeitado por um motivo cruel

imagemA sincera resposta de João Gordo para quem o acusa de ser "traidor do movimento"

imagemPink Floyd: Roger Waters relembra a última vez que viu Syd Barrett

imagemO hit dos Engenheiros do Hawaii que faz uma dura crítica à panelinha do rock nacional

imagemO sensato conselho que Lulu Santos deu para o novato Herbert Vianna

imagemDez clássicos do rock e do heavy metal que não têm bateria

imagemBittencourt começou a fazer tai chi chuan no camarim após beque de Mariutti bater forte

imagemPrika explica critérios para entrar na Nervosa: "Fascista na minha banda não toca!"

imagemEddie Munson faz metaleiros virarem novos crushes da geração TikTok, diz site

imagemMúsicos famosos fizeram teste para o AC/DC sem que ninguém soubesse, conta baterista

imagemNando Reis e a enigmática música que ele queria usar para seduzir Marisa Monte


Dream Theater 2022

Leaves' Eyes: a nova Skjaldmö e o novo disco. Confira entrevista exclusiva.

Por Leonardo Daniel Tavares da Silva
Fonte: Daniel Tavares
Em 15/04/18

Em abril de 2016, Elina Siirala, substituiu Liv Kristine no posto de frontwoman da banda alemã LEAVES' EYES. E no início deste ano, depois de fazer sua estreia ao vivo para 20 mil fãs em Jakarta, na Indonésia, e se apresentar em vários festivais (Metal Female Voices, Wave Gotik Treffen, Masters of Symphonic Metal, Full Metal Cruise, entre outros) a banda lançou seu sétimo álbum de estúdio, "Sign Of The Dragonhead", o primeiro com a nova vocalista. Conversei com a banda, hoje formada por Elina Siirala (voz), Alexander Krull (voz), Thorsten Bauer (guitarra, baixo), Pete Streit (guitarra), Joris Nijenhuis (bateria), sobre o "Sign of The Dragonhead", sobre a cultura viking, mas também sobre como os fãs tem recebido Elina e vários outros assuntos, que você confere logo abaixo.

Daniel Tavares: O novo álbum está sendo lançado hoje. Quais as suas expectativas com este álbum? O que vocês receberam de feedback das pessoas que já o ouviram?[Nota: a entrevista foi feita antes do lançamento do novo disco, mas por motivos alheios a nossa vontade só estamos enviando agora]

Alex: O feedback tem sido surpreendente até agora. Nós recebemos um monte de resenhas ótimas e os fãs adoraram os clipes que nós lançamos para "SIGN OF THE DRAGONHEAD", "ACROSS THE SEA" e "JOMSBORG". Nós acabamos de ter a chance de tocar estas canções ao vivo nos nossos shows de lançamento aqui na Alemanha e todas soaram muito bem e os fãs adoraram. "SIGN OF THE DRAGONHEAD" acabou de entrar no número 21 da lista oficial de discos alemã como a melhor estreia de metal entre todas aquelas bandas do mainstream! É um ótimo tempo para o LEAVES’ EYES!

Daniel Tavares: O que vocês diriam agora sobre a nova vocalista, Elina Siirala? Como vocês a recrutaram? Como as pessoas estão reagindo à sua performance durante os shows?

Tosso: Elina tem tanto uma ótima presença no palco quanto uma voz poderosa, que se encaixa muito bem com a música sinfônica e pesada de LEAVES’ EYES. Quando ficou claro que Liv Kristine queria sair da banda em abril de 2016, Alex e eu tivemos que pensar sobre quem poderia ser a nova vocalista. Basicamente, nós apenas convidamos uma pessoa para o estúdio para sessões de canto e foi Elina. A banda de Elina tinha aberto nossos shows duas vezes no Reino Unido em 2015, então nós sabíamos que ela era uma grande cantora e artista. Quando nos conhecemos no nosso quartel general, no Mastersound, aqui na Alemanha, houve imediatamente uma excelente conexão e vibração com ela e ela foi corajosa o suficiente para assumir o papel como nossa nova front lady. Alguns dias depois, tocamos juntos na Indonésia em frente a 21.000 pessoas e Elina fez um ótimo show. Desde então, já tocamos muitos outros shows e festivais como headliners na Europa, e é claro que fizemos duas grandes turnês norte-americanas! A reação dos fãs e da imprensa foi fantástica!

Daniel Tavares: Eu tenho que perguntar porque as pessoas querem saber. Como é o seu relacionamento com a ex-vocalista Liv Kristine atualmente? Vocês seguem o trabalho atual um do outro? Você acha que ela pode cantar novamente com a banda em alguma ocasião especial, algum dueto com Elina ou alguma aparição especial num aniversário de disco, por exemplo

Tosso: são quase dois anos desde que a Liv deixou a banda e nós seguimos caminhos separados. Desde então, tocamos muitos shows e fizemos muitas turnês com Elina (por exemplo, 2 turnês norte-americanas completas com o SABATON e SONATA ARCTICA) e lançamos "FIRES IN THE NORTH" e o novo álbum "SIGN OF THE DRAGONHEAD". Agora, estamos muito ocupados agendando shows e turnês para o nosso novo álbum juntos e estamos muito felizes da forma como as coisas estão indo com a nossa banda. Portanto, não há planos para uma nova colaboração com o Liv.

Alex: Estamos em contato por causa do nosso filho e, em 2016, gravei algumas de suas aparições como convida, como "Tanzwut" ou "Eden's Curse" no Mastersound Studio.

Daniel Tavares: E quais novas faixas que você acha que serão tocadas ao vivo? Você está planejando tocar "Sign of The Dragonhead" em sua totalidade em algum show?

Elina: Já tocamos cinco faixas do novo álbum em nossos shows de lançamento e vamos tocar ainda mais durante a turnê europeia em abril / maio. É difícil escolher quais, uma vez que poderíamos facilmente tocá-las todas ao vivo! Então talvez possamos fazer exatamente isso quando houver uma oportunidade e uma ocasião especial para isso.

Tosso: As novas músicas, como "JOMSBORG" e "SIGN OF THE DRAGONHEAD", são incríveis e são feitas para serem tocadas ao vivo.

Daniel Tavares: Vocês poderiam resumir pra gente exatamente o que o "sinal do Dragonhead"? Não o álbum, mas o conceito.

Alex: "SIGN OF THE DRAGONHEAD" começa com a faixa título, que se conecta diretamente com o álbum "King of Kings". Os vikings buscaram por novos horizontes, como nós fazemos nós mesmos com a banda! As sagas nos contam sobre o Rei Harald Fairhair, seu dracar [N.T. navio viking] chamado "Draken" (dragão) e sua lendária tripulação, os berserkers guarda-costas reais vestidos de lobo. Mas o "Sign of the Dragonhead" não é um álbum completamente conceitual apenas sobre este personagem. Nós temos mais um monte de estórias muito interessantes e diferentes no novo álbum. Por exemplo, a canção "Völva" é sobre mulheres da era viking que usavam magia. Os Vikings acreditavam que uma völva poderia prever o futuro em seus rituais pagãos, conectar-se ao outro mundo e dar conselhos importantes aos Jarls, o líder dos Vikings, também.

Daniel Tavares: Todo mundo, no mundo inteiro, sabe ao menos um pouco sobre a mitologia nórdica, mesmo em países que tenham, eles mesmos, uma mitologia forte. Nós temos até um super herói baseado nas estórias dos homens do Norte, Thor, que é conhecido em toda parte. Por que vocês acham que a mitologia nórdica tem tanto apelo em países estrangeiros?

Tosso: As terras e a cultura nórdica nunca foram tão influenciadas pelo Império Romano e pelo cristianismo como a maioria dos outros países europeus. Eu acho que essa é uma das razões pelas quais a mitologia nórdica é tão interessante e fascinante. Ao mesmo tempo, os nórdicos tiveram um enorme impacto em muitos lugares europeus, como França, Inglaterra, Alemanha, Itália e também a Rússia.

Alex: Esta é com certeza um motivo para os vikings terem se espalhado por quase todo o mundo, até mesmo pela América. Eu sou parte da cena de reencenação viking, que também é uma cena global, quase como a cena do metal. Muitos metalheads também participam! A canção "Jomsborg" é muito pessoal para mim e combina a saga épica dos viking com os vikings modernos: a faixa é sobre o lendário reduto viking e os jomsvikings! Meu pai e sua família tem raízes nessa área, por isso é muito especial para mim escrever uma canção sobre isso. Hoje em dia, existe lá o maior grupo de reencenação viking, chamado "Jomsborg" e eu sou um membro de honra neste grupo viking também. A canção também é uma homenagem à toda a reencenação viking no mundo inteiro. Quando tenho tempo e nós não estamos em turnê, eu também faço treinamentos de batalha e vou aos eventos medievais e vikings para me juntar a meus irmãos e irmãs por lá! A reencenação Viking é como uma paixão pela história viva ou até mesmo um estilo de vida. E não é apenas por causa das batalhas desses eventos medievais, que são sempre o destaque de tais festivais. Tem também a roupa, mercados, acampar e conhecer outras pessoas com a mesma paixão. E como as pessoas se encontrando em eventos e, você não vê celulares lá e coisas assim. As pessoas até tentam reproduzir a cozinha e tudo; de joias, roupas, todo o estilo de vida para casas, navios, réplicas de armas antigas e tudo combinado com os mercados medievais. É como um tempo fora da vida moderna.

Daniel Tavares: Sobre "Vikings", a série de TV, vocês assistem? Vocês acham que ela faz justiça e é verdadeira em relação a sua história?
Tosso: Eu realmente gosto de vikings, a série de TV, porque é muito divertido. Mas você não deve vê-lo como um documentário preciso histórico de acordo com as sagas. Prefiro apenas apreciar o show.

Alex: Eu acho que músicas como "Rulers of Wind and Waves " se adequariam muito bem ao programa de TV VIKINGS.

Daniel Tavares: E o que vocês conhecem da mitologia brasileira também? O que vocês conhecem da cultura e música brasileira? Falando sobre música especificamente, que artistas brasileiros vocês conhecem ou mesmo tiveram alguma influência na sua vida e carreira?

Tosso: Eu adoro tocar violão e guitarra clássica. Então eu sei sobre a magia da Bossa Nova e eu amo um monte de obras de Heitor Villa-Lobos. Em se falando de metal, o Brasil presenteou o mundo com o Sepultura. Um dos shows mais empolgantes que eu vi quando era adolescente foi o Sepultura aqui na Alemanha, no começo dos anos 90.

Alex: Nós fizemos uma jam com Max e Igor em sua turnê europeia com o Sodom em 1989 em nossa sala de ensaio do ATROCITY. Foi incrível! Igor na bateria, Max no baixo, Matze (ex-guitarrista do ATROCITY) na guitarra e eu nos vocais. Nós tocamos algumas covers loucas de metal, haha - acho que Max tem até um vídeo desta sessão! Isso foi alguns anos antes de você se juntar à banda, Tosso, haha

Daniel Tavares: E agora que o Brasil está em nosso foco, quando iremos ver a LEAVES' EYES no Brasil?

Alex: Seria maravilhoso voltar logo com o novo álbum e tocar para os nossos fãs brasileiros que são incríveis !!! Diga a seus produtores para nos trazer de volta!

Tosso: Sim, espero que possamos voltar em breve ao seu excelente país. Tivemos um tempo fantástico em 2006 e 2015 no Brasil. Os alemães adoram o Brasil por sua atitude em relação à vida, ao clima, à comida e às lindas mulheres.

Daniel Tavares: Por último, mas não menos importante, deixe uma mensagem para todos os fãs brasileiros da LEAVES' EYES.

Tosso: Muito obrigado a todos os nossos fãs brasileiros. Confiram o "Signo of The Dragonhead" e nos veremos em turnê em breve.

Alex: Obrigado pela entrevista e pelo apoio. Nós amamos o Brasil. Nos veremos o quanto antes.

Comente: Gostou da vocalista Elina Siirala? Ou Liv Kristine é insubstituível?

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Liv Kristine: "Fui forçada a deixar o Theatre of Tragedy"

Theatre of Tragedy: Liv diz que foi demitida igual a Tarja no Nightwish

Liv Kristine: fui demitida de minha própria banda!

Kiss: como foi demitir Eric Carr em seu leito de morte

O Whiplash.Net protege algumas bandas e prejudica outras?


Sobre Leonardo Daniel Tavares da Silva

Daniel Tavares nasceu quando as melhores bandas estavam sobre a Terra (os anos 70), não sabe tocar nenhum instrumento (com exceção de batucar os dedos na mesa do computador ou os pés no chão) e nem sabe que a próxima nota depois do Dó é o Ré, mas é consumidor voraz de música desde quando o cão era menino. Quando adolescente, voltava a pé da escola, economizando o dinheiro para comprar fitas e gravar nelas os seus discos favoritos de metal. Aprendeu a falar inglês pra saber o que o Axl Rose dizia quando sua banda era boa. Gosta de falar dos discos que escuta e procura em seus textos apoiar a cena musical de Fortaleza, cidade onde mora. É apaixonado pela Sílvia Amora (com quem casou após levar fora dela por 13 anos) e pai do João Daniel, de 1 ano (que gosta de dormir ouvindo Iron Maiden).

Mais matérias de Leonardo Daniel Tavares da Silva.