Cannibal e Testament: produtor fala sobre os shows e conta causos com artistas

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Leonardo Daniel Tavares da Silva, Fonte: Rock CE
Enviar correções  |  Ver Acessos

Apesar de ter uma cena metal engajada e batalhadora, além de bandas que beiram as três décadas de estrada, só a partir dos últimos anos o Ceará entrou no mapa das grandes bandas de rock e heavy metal. O que começou quase timidamente com HELLOWEEN, KREATOR, EXODUS e MOTORHEAD, agora transformou-se num fervilhante caldeirão de atrações como DEEP PURPLE, SAXON, TANKARD, ENTOMBED, POSSESSED, GUNS N' ROSES, DREAM THEATER, OBITUARY, BLIND GUARDIAN, NIGHTWISH, SONATA ARCTICA, entre muitos outros. Mais recentemente, dois grandes sonhos dos headbangers fortalezenses foram confirmados quase ao mesmo tempo: os mestres do Death Metal CANNIBAL CORPSE e a maior banda de heavy metal de todos os tempos, o IRON MAIDEN. E como se isso não fosse o bastante, as duas bandas ainda vem acompanhadas de TESTAMENT e ANTHRAX, respectivamente. Dando início a uma série de entrevistas com os responsáveis pela mudança, ou melhor, pela ampliação deste cenário, conversamos com Jonatan Oliveira, o nome por trás da Produções 4U. A produtora iniciou os trabalhos em 2015 e já é responsável pela realização de um dos maiores shows do ano, CANNIBAL CORPSE e TESTAMENT. Além de falar da cena, do que o motiva a batalhar pelo rock e metal, Jonatan contou causos de seu trabalho junto aos artistas. Vale a pena conferir.

Separados no nascimento: Cazuza e Lauro CoronaVanessa Frehley: amor sem limites ao Kiss

Daniel Tavares: Em primeiro lugar, o que te levou a produzir shows de metal em Fortaleza?

Jonatan Oliveira: Eu sempre gostei muito de música. E desde os 18 anos que trabalho com eventos. Então quando surgiu a ideia de trabalhar com isto profissionalmente eu pensei por que não produzir shows? Era algo que eu tinha vontade de fazer a algum tempo. Já havia feito algumas pesquisas sobre como funcionava o mercado.

Daniel Tavares: E os shows que você tem trazido a Fortaleza, SONATA ARCTICA, NIGHTWISH, TARJA, TIM RIPPER, fazem parte do seu gosto pessoal ou foi mais uma questão de aproveitar as oportunidades que iam aparecendo?

Jonatan Oliveira: Eu gosto bastante de todas as bandas que trouxe até então, contudo a escolha sempre é pensando em agradar o público, tudo sempre é pensando neles é dai que vem o nome da produtora 4U. As oportunidades aparecem aos montes. Hoje mesmo devo ter umas 30 propostas de possíveis shows para estudar, mas tento sempre escolher o que há de melhor para nossa cidade.

Daniel Tavares: E você tem consciência de que fez muita gente contente quando anunciou o show do CANNIBAL CORPSE+Testament? Antes disso, as pessoas achavam que nunca teríamos oportunidade de ver o Cannibal em nossa cidade.

Jonatan Oliveira: Foi bem legal a recepção quando o show foi confirmado. Não recordo bem mas nosso show foi um dos primeiros a ser confirmado no Brasil. Foi uma grande honra. Ver aquela multidão de compartilhamentos é incrível. A ajuda das pessoas é vital para os nossos eventos serem um sucesso. Uma pessoa compartilhando o show por 10 horas não tem a força de 1.000 pessoas compartilhando o show ao mesmo tempo. Para você ter uma ideia, Daniel o lançamento do show do NIGHTWISH foi a quarta notícia mais lida da semana no jornal O Povo. Isso mostra a força da cena da nossa cidade.

Daniel Tavares: E sobre esse show, CANNIBAL CORPSE+Testament, o que você tem pra adiantar pra galera que ainda não tenha sido dito?

Jonatan Oliveira: O show de domingo vai ser incrível. O maior desafio desse ano sem sombra de dúvidas. Para nossa equipe vai ser como um ensaio para um festival, pois são 4 bandas fodas e uma grande estrutura, mais de 6 horas de muito rock.

Daniel Tavares: Dessas trinta propostas que você mencionou, existe alguma coisa que você já tenha como revelar?

Jonatan Oliveira: Não tem nada fechado ainda, apenas negociações. Pedra Letícia, que foi um show que bombou na internet, estamos quase fechando. Falta mais achar uma data boa. E também tem uma grande lenda do power metal que nunca pisou aqui.

Daniel Tavares: Você pensa em fazer algum dia algum grande festival, com muitas bandas, dois palcos, etc, tipo Monsters of Rock ou algum festival europeu?

Jonatan Oliveira: Esse é o sonho de qualquer produtora de rock. Espero um dia chegar lá, quem sabe ano que vem, com a ajuda da galera vamos conseguir!

Daniel Tavares: O que você tem achado da resposta do público? Tem valido a pena todo o trabalho e investimento para trazer essas atrações para Fortaleza (e agora também pra outras cidades, como foi com o Tim Ripper)?

Jonatan Oliveira: Tem valido a pena demais! A galera tem apoiado bastante tudo que nossa produtora tem feito. Olha que é só o começo...

Daniel Tavares: E você pretende trazer algum outro tipo de atração, fora do mundo metal, tipo a nova formação do Legião, ou Ira!, Titãs, etc

Jonatan Oliveira: Pretendo sim. Eu cheguei a entrar em contato com a nova formação do Legião Urbana, mas fiquei muito ocupado com esses shows de agora e a negociação esfriou um pouco... Tem vários outros shows na agulha que queremos muito fazer. A ideia da produtora é ir atendendo os pedidos do público, então se a galera pedir Legião vai rolar Legião, se pedirem Cannibal vai rolar Cannibal, se pedirem NIGHTWISH vai rolar NIGHTWISH. Aqui é tudo ao contrário, primeiro a galera pede, depois vamos atrás de realizar.

Daniel Tavares: E a vinda do IRON MAIDEN em 2016, como você, como produtor, enxerga isso? Que benefícios isso traz? Que dificuldades isso pode gerar?

Jonatan Oliveira: A vinda do IRON MAIDEN é sensacional!!! Eu enxergo que isto é resultado de toda a movimentação da galera na internet, indo aos shows que rolaram por aqui. Também essa resposta boa que tivemos em nossos shows, graças a galera todos com bom público, deram a confiança que o mercado precisava para investir mais ainda em shows do estilo. Quanto mais tivermos shows com música de qualidade tivermos por aqui, mais popular esse tipo de música vai se tornar aqui, o que é ótimo!

Daniel Tavares: E sobre o contato com os músicos? No seu trabalho você está onde muitas pessoas gostariam de estar, sem precisar fazer campana nos aeroportos nem em porta de hotel. Como tem sido isso pra você? Que coisas legais aconteceram e você gostaria de contar?

Jonatan Oliveira: É muito legal, né? Ver todos seus ídolos de perto, conversar com eles, fazer parte da vida deles. Eu evito tietar. Na verdade enxergo que minha função é fazer eles se sentirem tão bem ao ponto de quererem voltar aqui sempre. Mas não deixa de existir grandes momentos, como na volta de Mossoró com o TIM RIPPER. Estávamos todos felizes pois era o fim da tour e o Tim pediu para ligar o ipad dele no bluetooth do carro, Ai começamos a ouvir "Heaven and Hell" do DIO e ele começou a cantar como eu sempre faço quando estou sozinho hehehe! Foi irado. Todo mundo no carro acompanhou. Foi bem legal. Teve uma hora que ele me entregou um cd sem nada escrito. Eram músicas inéditas de um novo trabalho dele que nem estavam masterizadas ainda. E tinha cada música irada. Ai ele explicava de onde veio a ideia de cada música. O Tim ainda me deu a munhequeira dele. Outro momento irado foi com o NIGHTWISH. Tipo sentei na mesa com a Floor e o Tony Kakko e conversamos sobre tudo que você possa imaginar, sobre comida vegetariana, sobre filhos, qual melhor lugar do mundo na opinião de cada um... É tipo uma conversa entre amigos mesmo, bem de boa. Lembro que perguntei ao Tony porque ele cantava músicas tão românticas se a vida romântica dele é tão estável (tipo ele é casado a vários anos tem filhos é fiel e tal), ai ele disse que pesquisava muito e sempre gostou muito de ouvir, então ele tem tipo uma empatia. Acredito que o Tony Kakko era aquele cara que dava conselhos para os amigos e amigas na escola. Uma outra cena legal foi, tomando umas cervejas com o Marco, ele pegou um violão dele mesmo, bem rústico, no quarto do hotel e começou a tocar lá...Músicas diferentes, não eram músicas do NIGHTWISH. Foi bem legal. Foi tipo um luau de amigos. E com a TARJA eu destaco quando fomos a praia. Ela cuidando da filhinha...Foi lindo...E tipo eles todos são super simpáticos, simples...

Daniel Tavares: Tradicionalmente as mídias como TV e jornais impressos não dão muito apoio ao metal, a não ser que se trate de bandas de grande porte, como o já citado IRON MAIDEN. É decepcionante não ver alguns shows que rolaram aqui nos espaços tipo "Agenda" dessas mídias. Eu tenho notado que você vem tentando quebrar esse paradigma. Isso tem trazido um resultado palpável em termos de público e retorno do investimento?

Jonatan Oliveira: Acho importante todo tipo de divulgação. Acredito sim que vale muito fazermos isto sempre, no NIGHTWISH fizemos até uma campanha de spots na Jovem Pan.

Daniel Tavares: Acho que podemos fechar por aqui. O espaço é seu para convidar o pessoal para o show do Cannibal+Testament, agradecer, dar bronca, dizer o que quiser.

Jonatan Oliveira: Galera, vamos lotar o armazém no dia 15! Está na mão de vocês combinar com os amigos para todo mundo ir ao show e Fortaleza literalmente tremer no domingo!!! Até para quem tá sem grana pode comprar o ingresso no site parcelando em 12 vezes!!! Então não tem desculpa. Lembrem-se, quem trouxe o CANNIBAL CORPSE e Testament foram vocês e juntos vamos fazer muito mais!!! \,,,/

Para participarem das promoções e saber primeiro o que vai rolar na cidade acessem:
http://www.facebook.com/Producoes4U/
#FortalezaVaiTremer #FortalezaCapitalDoMetal

Resumo dos horários:
Abertura da casa: 18h00
Show Encéfalo: 18h15 - 18:45 (30 minutos)
Show Facada: 19h00-19:35 (35 minutos)
Show Cannibal Corpse: 20h00-21:30
Show Testament: 21h50
Término do evento: 23h30



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Cannibal Corpse"Todas as matérias sobre "Testament"


Testament: como eles acataram pedido da gravadora para disco alternativo em 1994Testament
Como eles acataram pedido da gravadora para disco alternativo em 1994

Thrash Metal: Álbuns injustiçados nos anos noventa.Thrash Metal
Álbuns injustiçados nos anos noventa.


Separados no nascimento: Cazuza e Lauro CoronaSeparados no nascimento
Cazuza e Lauro Corona

Vanessa Frehley: amor sem limites ao KissVanessa Frehley
Amor sem limites ao Kiss


Sobre Leonardo Daniel Tavares da Silva

Daniel Tavares nasceu quando as melhores bandas estavam sobre a Terra (os anos 70), não sabe tocar nenhum instrumento (com exceção de batucar os dedos na mesa do computador ou os pés no chão) e nem sabe que a próxima nota depois do Dó é o Ré, mas é consumidor voraz de música desde quando o cão era menino. Quando adolescente, voltava a pé da escola, economizando o dinheiro para comprar fitas e gravar nelas os seus discos favoritos de metal. Aprendeu a falar inglês pra saber o que o Axl Rose dizia quando sua banda era boa. Gosta de falar dos discos que escuta e procura em seus textos apoiar a cena musical de Fortaleza, cidade onde mora. É apaixonado pela Sílvia Amora (com quem casou após levar fora dela por 13 anos) e pai do João Daniel, de 1 ano (que gosta de dormir ouvindo Iron Maiden).

Mais matérias de Leonardo Daniel Tavares da Silva no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin