Arandu Arakuaa: blog entrevista Nájila Cristina

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Jakline Costa, Fonte: Fãs Arandu Arakuaa
Enviar correções  |  Ver Acessos

FAS ARANDU ARAKUAA: Fale um pouco sobre suas principais influências na música, como se tornou vocalista e como ocorreu seu primeiro contato com a Arandu Arakuaa.

Stratovarius: em turnê pelo Brasil, guitarrista reclama da cerveja localBateria: imagine se ele tocasse um equipamento mais decente

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

NÁJILA: Tem vários artistas que levo como influência. Sempre gostei de cantar, desde criança, e cantava de tudo Queen, Raul Seixas, Paralamas do Sucesso, Kid Abelha, Pink Floyd... Aos 14, me apresentaram o Metal e fiquei fascinada com aquele modo de cantar; e busquei cantar do mesmo modo. Acompanhava vocalistas como Chuck Schuldiner, ex vocal do Death; Glen Benton, vocal do Deicide; Angela Gosso, ex vocalista do Arch Enemy; Pompeu, vocal do Korzus ... Em 2008 comprei um baixo de um amigo com intuito de formar um Power trio, eu ficaria com o vocal e o baixo, mas não passou de um ensaio rsrs. Em 2010, depois de alguns ocorridos, voltei a procurar estar em uma Banda; fiz um anúncio e divulguei na internet, logo recebi propostas e me interessei pela proposta do Zândhio; fiz o teste e estamos ai .

FAS ARANDU ARAKUAA: Sua voz tem um timbre bem particular; você se dedicou a algum tipo de técnica para desenvolvê-la?

NÁJILA: Sempre procuro fazer alguns minutos de aquecimento vocal, controle respiratório, trabalho diafragma e beber água. A questão do vocal gutural é mais pratica; é cantar o álbum da banda favorita tentando fazer igual. Essa é minha técnica rsrs.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

FAS ARANDU ARAKUAA: A Arandu Arakuaa é uma banda bem corajosa, pois ousou quando decidiu misturar tudo de mais autêntico, em termos de cultura brasileira, a um estilo musical cuja tradição é bem fechada, o Metal. Dessa forma, a Arandu ultrapassou as fronteiras de um estilo que segue padrões internacionais; tornando-o uma base que sustenta não somente alguns tipos de expressão musical; mas sim, uma expressão realmente artística. Como vocalista, o público se dirige diretamente a você no palco, sendo que a sua visão da receptividade das pessoas, quanto ao trabalho de vocês ao vivo, é bem mais intensa que a visão dos demais integrantes. Como tem sido essa experiência, como você tem observado essa receptividade às apresentações da Arandu Arakuaa?

NÁJILA: É Sempre positiva; e isso me deixa bastante feliz. Sempre acreditei na banda e apoio sua mensagem que a meu ver, além de tudo que se explicita como a temática indígena, é o respeito a tudo; respeito ao modo de como tudo é. A galera que se identifica com a banda tem essa mentalidade de respeito; é um publico receptivo.

FAS ARANDU ARAKUAA: O que a banda Arandu Arakuaa representa para você?

NÁJILA: É mais uma família que a vida me trouxe. Tenho carinho imenso por todos da banda, admiro a ideia da banda e aprecio quem se une a essa ideia.

FAS ARANDU ARAKUAA: Há alguma curiosidade sobre a banda que você gostaria de compartilhar com a gente?

NÁJILA: Os primeiros ensaios da banda foram em uma kit onde o Zândhio morava, no 2º andar. As vezes, para não dar microfonia, eu tinha que ir para fora da casa. Agora imagina a vizinhança assistindo a pessoa berrando na varandinha... Era bem hilário as expressões da galera (risos).

FAS ARANDU ARAKUAA: Você gostaria de deixar algum recado para os fãs?

NÁJILA: Primeiramente agradeço a todos que estão nessa empreitada junto com a banda; o apoio e o convite de Fãs Arandu Arakuaa. É muito bom ver que a galera que é fã da banda, é fã de verdade; sempre apoiando e divulgando nosso trabalho. Desejo tudo de bom para essa galera, e se sintam abraçados. Muito obrigada!




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Arandu Arakuaa"


Stratovarius: em turnê pelo Brasil, guitarrista reclama da cerveja localStratovarius
Em turnê pelo Brasil, guitarrista reclama da cerveja local

Bateria: imagine se ele tocasse um equipamento mais decenteBateria
Imagine se ele tocasse um equipamento mais decente


Sobre Jakline Costa

Formada em química, atualmente envolvida com qualquer tipo de trabalho literário. Meu primeiro contato com o rock foi por volta dos 12 anos de idade, quando fui em uma loja e comprei sem ao menos conhecer, uma camiseta do Iron Maiden. Chegando em casa meu tio todo orgulhoso ficou decepcionado ao saber que mesmo com a camiseta não conhecia nenhum som da banda e a partir daquele momento o objetivo de vida dele foi me ensinar os caminhos do rock. Graças a ele hoje conheço de Iron a Led e tenho todas as minhas influências musicas. Obrigada tio.

Mais matérias de Jakline Costa no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280