Factory of Dreams: Cyber Metal direto de Portugal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Vicente Reckziegel, Fonte: Witheverytearadream
Enviar correções  |  Comentários  | 


5000 acessosQuais são os rockstars mais chatos do mundo?5000 acessosSílvio Santos: "The Number Of The Beast" em ritmo de festa

Hoje trago a entrevista realizado com Hugo Flores, mentor do “Factory of Dreams”, conjuntamente com Jéssica Lehto. Mostrando muita simpatia e conhecimento, Hugo dá um panorama geral sobre tudo que envolve a banda e os planos futuros. Aconselho conhecer mais do trabalho desta dupla, pois realmente vale a pena entrar nessa “Fábrica de Sonhos”…

Vicente: Para começar, conte-nos um pouco sobre a trajetória da Factory of Dreams.

Hugo Flores: A banda teve inicio em 2008, quando eu estava procurando uma vocalista para iniciar um novo projeto que fosse menos complexo que o meu “Project Creation”. Já tinha composto cerca de 13 músicas que queria testar com um novo vocal. Encontrei a Jéssica com uma voz fantástica e que assentava muito bem no estilo do que tinha produzido. Até hoje editamos três álbuns e já estamos trabalhando no ambicioso quarto CD. Os temas dos álbuns abordam quase sempre temas de ficção cientifica, com conceitos algo surrealistas e complexos. Mas este próximo álbum será diferente, com uma história que se aproxima de um filme. Será uma aventura de ficção científica, onde duas personagens principais lutarão pela sobrevivência num mundo invadido por algo único. Esta narrativa terá ligações aos meus outros projetos, “Project Creation” e “Sonic Pulsar”.

Quem invadiu a Terra? Que segredos estão guardados no estranho Jardim e Vale? O que está refletido nas ondas do mar e na costa? São alguns dos mistérios que podem esperar para este quarto CD.

Vicente: Apesar de ter apenas cinco anos de existência, vocês já possuem 3 discos e um Single lançado, algo não tão comum nos dias atuais, em que as bandas levam vários anos entre cada lançamento, não é verdade?

Hugo Flores: Sim, temos um bom ritmo, e acho que o método de trabalho que eu e a Jéssica temos funciona muito bem. Eu componho as músicas e as letras e a Jéssica cria e grava todos os vocais. Para o próximo CD espero conseguirmos editar dois Singles, e dois videoclipes.

Vicente: Seu mais recente álbum, “Melotronical”, foi lançado no ano passado, Como foi a gravação, e a divulgação na mídia especializada?

Hugo Flores: Foi o que teve maior divulgação na mídia e a melhor aceitação por parte dos fãs. A gravação correu muito bem, pois os métodos de gravação e equipamento de estúdio foram mais apropriados para o som que eu queria ter. A Jéssica também estava muito inspirada e por isso, foi rápido gravar o álbum, sendo a mistura o que demorou mais tempo.

Vicente: E o mais importante, a reação dos fãs ao material?

Hugo Flores: Foi muito boa, e há músicas que julgo que ficarão para a história de Factory of Dreams, como “Back to Sleep” e “Protonic Stream”. São músicas que, por mais vezes que os fãs ouçam, continuam a gostar e a descobrir coisas novas. Mas isso também é algo de diferente no nosso som, pois nós tentamos que as músicas sejam muito ricas em orquestrações e ambiências, e com várias audições conseguimos discernir coisas novas dentro da música!

Vicente: Fale um pouco sobre seus discos anteriores. Conseguiram alcançar seus objetivos com eles?

Hugo Flores: Com “Poles” conseguimos abrir as portas para uma nova base de fãs, o que foi um excelente começo para o Factory of Dreams. “Poles” é um álbum muito especial porque é totalmente espontâneo e as melodias são muito pessoais. Ele foi o abrir de uma nova janela na minha forma de compor.

O segundo disco foi mais difícil de ser assimilado, por ser mais progressivo, mas os dois vídeos que produzimos ajudaram a reforçar a base de fãs.

O “Melotronical”, como seria de esperar, é o que mais sucesso teve.

Vicente: Para quem ainda não conhece, como você classificaria o som do Factory of Dreams?

Hugo Flores: Cyber Metal, ou Metal Progressivo-sinfônico.

Vicente: Chama a atenção à qualidade dos seus videoclipes. Esta é uma preocupação da banda, fazer tudo da maneira mais profissional possível?

Hugo Flores: Completamente, só não fazemos mais porque um clipe custa muito dinheiro! Mas a qualidade é algo que nos preocupa e ter um bom vídeo como o “Back to Sleep” faz toda a diferença. Basta ver o número de visualizações que tem esse vídeo que daqui a pouco tempo chegará aos 300.000. Ajuda sempre a criar uma imagem, e a demonstrar o mundo que queremos mostrar com os álbuns ou com uma música em especial.

Vicente: Como está a cena Portuguesa para o Rock e Metal hoje em dia? Há espaço adequado para shows de bandas locais?

Hugo Flores: Há espaço, mas para um nicho. As grandes rádios nada divulgam o Metal nem gêneros mais progressivos. No entanto, todos os dias nascem bandas novas, outras morrem e outras se mantêm na cena com mais ou menos ajuda. Mas há Metal português e recomenda-se, basta procurar e ouvir.

Vicente: O que você conhece das bandas de Rock e Metal do Brasil?

Hugo Flores: Eu conheço algumas bandas brasileiras desse gênero, principalmente o Hydria, do qual gosto muito da vocalista Raquel. Conheço também Angra, Sepultura e outras. Sepultura é, claro, uma referência na cena Metal brasileira e mundial.

Vicente: Em poucas palavras, fale um pouco sobre as seguintes bandas:

After Forever: Boa banda, que rompeu com o metal mais usual, com uma voz soberba da Floor, apesar de eu não ser grande fã dos guturais que também usavam.

Enya: Gosto. Tenho algumas infuências de Enya, acho que o estilo musical que ela criou é único, com riqueza melódica e ambiental fantásticas.

Iberia: Não conheço o suficiente para dar opinião!

Nightwish: Uma referência no gênero do metal sinfônico. Na minha opinião perderam identidade com a saída da vocalista anterior, a Tarja. Mas em relação à nova ‘Era’, vou divergir de muita gente, mas musicalmente prefiro de longe o “Dark Passion Play” do que o ultimo álbum. Melodicamente é mais rico e cativante, apesar de umas falhas no vocal em duas músicas (na minha opinião).

Moonspell: Banda única em Portugal e no mundo que começou com um álbum que, para mim, marcou uma geração, o ‘Irreligious’, e que continua com uma presença no metal fortíssima, É de louvar o trabalho do Moonspell e de Fernando Ribeiro.

Vicente: Quais são as principais influências para o Factory of Dreams?

Hugo Flores: Pessoalmente não tenho influências quando componho, é simplesmente o que me apetece fazer no momento. Mas como tudo o que fazemos tem por base a experiência acumulada, apenas posso dizer o que mais gosto de ouvir e que inclui David Arkenstone, Pink Floyd, Rush, Nightwish, Ayreon, Devin Trownsend, ultimamente o Deathstars e o Birthday Massacre, entre outros…

Vicente: Deixe um recado para os fãs Brasileiros, tanto aqueles que já conhecem, como para aqueles que desejam conhecer mais sobre o Factory of Dreams.

Hugo Flores: Vão ao nosso facebook para receberam todas as novidades sobre o próximo álbum. Vamos ter amostras do CD, vídeos de making-of e mais novidades. Espero que gostem do nosso som, divulguem também o mais que puderem.

O nosso youtube também vai recebendo novidades de novos vídeos, podem se subscrever.

Obrigado pela ótima entrevista!

http://www.facebook.com/fdofficial
http://www.facebook.com/hugofloresofficial
http://www.reverbnation.com/factoryofdreams
http://www.youtube.com/projectcreation
http://twitter.com/factoryofdreams

Clipe “Back to Sleep”.

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Factory of Dreams"

HumorHumor
Quais são os rockstars mais chatos do mundo?

Sílvio SantosSílvio Santos
"The Number Of The Beast" em ritmo de festa, ôôôeeee

AC/DCAC/DC
As 10 melhores músicas da banda com Bon Scott

5000 acessosButcher Babies: Conheça o Porn Metal de ex-coelhinhas da Playboy5000 acessosLobão: show mais curto da história do Rock não pertence a ele5000 acessosOrtografia: como deveriam realmente se chamar as bandas?5000 acessosIron Maiden: Bruce Dickinson cita Donald Trump durante show em New York4274 acessosSepultura: versão de "Johnny B. Goode" no Música Boa ao Vivo5000 acessosKorn: vocalista diz que Sepultura os copiou em Roots

Sobre Vicente Reckziegel

Servidor público, escritor, mas principalmente um apaixonado pelo Rock e Metal há pelo menos duas décadas. Mantêm o Blog Witheverytearadream desde Dezembro de 2007. Natural e ainda morador de uma pequena cidade no interior do Rio Grande do Sul, chamada Estrela. Há muitos anos atrás tentou ser músico, mas notou que faltava algo simples: habilidade para tocar qualquer instrumento. Acredita na música feita no Brasil, e gosta de todos os gêneros, desde Rock clássico até Black Metal.

Mais matérias de Vicente Reckziegel no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online