Sebastian Bach: vocalista fala do Rock N' Roll All Stars

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Juliana Negri, Fonte: Sebastian Bach
Enviar correções  |  Ver Acessos

A primeira vez que ouvi Skid Row eu tinha só 14 anos e estava dividida entre a rebeldia do punk, a força do heavy metal e o sonho adolescente das baladas hard rock. Em 1996, quando a banda esteve em São Paulo para o Monsters of Rock, eu tive a oportunidade de conhecer pessoalmente o líder do Skid Row: uma foto, um autógrafo, um sorriso e um "muito obrigado". Foi o que eu ganhei do simpático e extrovertido Sebastian Bach.

Guitarras: as 15 músicas mais complicadas para tocarReligião: os rockstars que se converteram

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Muito tempo se passou de lá pra cá. Ele deixou o Skid Row, fez incursões como ator em séries e filmes, lançou sua carreira solo e agora figura ao lado de grandes nomes da história do rock para uma turnê inédita na América Central e América do Sul com o supergrupo Rock n Roll All Stars. Tive uma conversa rápida e descontraída com o vocalista, que se prepara para uma série de shows com sua banda solo e, na sequência, viaja a São Luís para o METAL OPEN AIR. Ele fala sobre a maratona de shows, sua carreira e suas experimentações em Hollywood.

Como surgiu a idéia de participar do Rock n Roll All Stars?

SEBASTIAN: Eu sou parte de outra banda parecida com o próprio Matt, na qual tocamos os maiores hits do Guns N' Roses. Nós já estamos na estrada juntos tem mais ou menos um ano, e quando surgiu a idéia do Rock n Roll All Stars, ele não hesitou em me chamar.

O que os fãs podem esperar deste projeto?

SEBASTIAN: De mim, garanto que vocês podem esperar o melhor (risos). É um projeto em que os maiores beneficiados são os fãs dos membros dessas grandes bandas que estão envolvidas. O Rock n Roll All Stars também pode ser considerado um marco na história do Gene (Simmons - KISS), já que esse é o primeiro projeto paralelo à banda que ele participa. Ter um gigante da história do rock tocando baixo no mesmo palco junto com várias outras estrelas é simplesmente maravilhoso. Para que vocês entendam, nós tocamos somente as melhores e maiores músicas de nossas carreiras, ou seja: é um hit atrás do outro do Guns, Deep Purple, Kiss, Skid Row, Collective Soul, Alice in Chains...

Você já conhece São Luís?

SEBASTIAN: Eu nunca estive no nordeste brasileiro (não que eu me recorde), e eu sou fã de conhecer novos lugares...

... São Luís é uma ilha...

SEBASTIAN: Mesmo? Que insano! Tem praia? Tenho certeza de que vou adorar! Estou adorando fazer parte desse projeto também por essa razão: conhecer novos lugares. Agora a Austrália e a Europa querem o Rock n Roll All Stars, então eu vou viajar bastante e me divertir muito, tenho certeza disso!

Você vai tocar pela América do Sul com a sua banda, vem ao Brasil e fica por aqui um bom tempo... Como você está se preparando pra isso?

SEBASTIAN: Eu estou muito animado para essa turnê maluca! Eu toco em vários lugares da América do Sul com o meu projeto e na América Central e do Sul com o Rock n Roll All Stars... Para dizer a verdade, também fico um pouco preocupado, afinal, eu não sou mais um menino! Essa será uma maratona insana e que deve me causar um enorme desgaste físico, já que são praticamente várias noites cantando. Logo em seguida, irei ao METAL OPEN AIR. Será um desafio e eu espero não chegar exausto em casa, mas tenho certeza de que quando eu estiver no nordeste, terei mais tempo para conhecer a cidade (de São Luís) e os meus fãs por lá.

Como você tem administrado sua carreira musical x sua carreira de ator?

SEBASTIAN: Sabe qual a parte engraçada nisso tudo? É que eu nunca quis ser ator, mas sempre que precisam de um rockstar em um filme ou uma participação, resolvem me chamar (risos)! Depende do papel que estou fazendo na verdade. O rock é minha primeira paixão, eu nunca quis ser ator, sempre quis cantar mais do que tudo na minha vida. Em breve será lançado o filme "Rock Of Ages", no qual atuo ao lado de atores consagrados como Catherine Zeta Jones e Alec Baldwin. Nesse caso foi um trabalho bem mais árduo e tenso para atingir às expectativas. Quando fiz "Gilmore Girls", mal sabia onde estava me metendo, mas o hilário foi que eu ganhei mais notoriedade na série do que com o próprio Skid Row ao redor do mundo. Em uma ocasião, eu estava na Itália e liguei a televisão do meu quarto no hotel e estava passando "Gilmore Girls"... Foi aí que eu parei para pensar na repercussão da minha participação na série, que foi ótima.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Falando em atuação ainda, você está em uma série chamada "Adults Only". Pode nos contar um pouco sobre o seu personagem?

SEBASTIAN: É uma série que tem sido divertida de fazer... É até um pouco boba, mas eu gosto. Em "Adults Only" eu faço o Shifty, um ex-medalhista olímpico que por conta de problemas financeiros resolve ir trabalhar como gerente de uma loja de filmes pornográficos. É uma comédia.

Como tem sido a repercussão de "Kicking & Screaming"?

SEBASTIAN: Eu tive ótimos reviews nesse último disco, já são mais de 600 mil visualizações no Youtube e isso é muita coisa nos dias atuais. Os shows têm sido maravilhosos, os fãs respeitam e admiram a carreira que construí depois do Skid Row.

Mande uma mensagem aos fãs do Brasil.

SEBASTIAN: Eu só tenho a agradecer ao público brasileiro pelo apoio nesses 25 anos de carreira. É um público apaixonado, alegre e que não pode perder meus shows por aí e nem a minha participação no METAL OPEN AIR! Espero todos vocês!




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Metal Open Air"Todas as matérias sobre "Sebastian Bach"Todas as matérias sobre "Skid Row"


Nikki Sixx: Sebastian Bach tem que sair dessa de ex-Skid RowNikki Sixx
"Sebastian Bach tem que sair dessa de ex-Skid Row"

Sebastian Bach: O Skid Row é feliz sendo banda pequenaSebastian Bach
"O Skid Row é feliz sendo banda pequena"


Guitarras: as 15 músicas mais complicadas para tocarGuitarras
As 15 músicas mais complicadas para tocar

Religião: os rockstars que se converteramReligião
Os rockstars que se converteram


Sobre Juliana Negri

Jornalista musical e produtora de shows internacionais. Trabalhou com diversas bandas internacionais ao longo dos anos e é fanática pelo Iron Maiden. Atualmente faz parte da equipe da Negri Concerts e do festival METAL OPEN AIR. @juliananegri

Mais matérias de Juliana Negri no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280