Lamb Of God: "sempre haverá alguém mais rápido que você"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nathália Plá, Fonte: Blabbermouth.net, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

O site australiano KillYourStereo.com entrevistou recentemente o baterista Chris Adler dos metaleiros de Richmond, Virginia, LAMB OF GOD. Seguem alguns trechos da conversa.

Kerrang!: álbuns fantásticos com capas constrangedorasFotos de Infância: Cradle Of Filth

KillYourStereo.com: Li que vocês consideram que «o novo álbum do LAMB OF GOD, "Resolution"» se assemelha mais com seus primeiros trabalhos do que o "Sacrament" e "Wrath", mas você diria que ele também leva a novas direções?

Chris: Por questão de necessidade, ele teve de levar a novas direções. Ele lembra o "As The Palaces Burn" e "Ashes In The Wake" no modo como ele desnuda a estrutura de verso/refrão que era mais proeminente em nossos dois últimos álbuns. Sabemos que viemos fazer nosso sétimo álbum, e eu nunca ouvi ninguém dizer, "Ah sim, eu conheço essa banda. Adoro o sétimo álbum deles." Sempre tivemos que vir e fazer algo que realmente se distinguisse de tudo que já fizemos antes, e estamos muito orgulhosos do que conquistamos.

KillYourStereo.com: "As The Palaces Burn" e "Ashes In The Wake" tiveram muito cunho político liricamente. Que tipo de idéias líricas são exploradas no "Resolution"?

Chris: Bem, o Randy «Blythe, vocal» compos muito das letras e eu não quero falar por ele, mas o conceito básico do álbum é o despertar de um pesadelo encontrando-se em outro ainda pior. O Randy recentemente comemorou um ano sóbrio, e antes disso não parecia que ele estava tão distante disso. É algo que significa muito para ele e todos ao seu redor, e parte da mensagem de "acorda, caralho" realmente aparece no "Resolution".

KillYourStereo.com: Você diria que o novo álbum te mantém bem ocupado com as baquetas?

Chris: «Risos» Sim, mantém. Eu voltei para casa ano passado no dia 23 de novembro depois de nossa última corrida de shows na Austrália com o METALLICA. Desde então eu não bebi, não fumei e tenho ido para a academia todos os dias. Estou tentando correr 70 km por semana. É algo que eu tinha de fazer; todos estamos ficando mais velhos e se quisermos continuar levando nossa música ao limite como temos feito nós temos que nos cuidar.

KillYourStereo.com: Se você fosse dizer algumas palavras de inspiração para bateristas de metal aspirantes, quais seriam?

Chris: Não persiga a velocidade, porque sempre haverá alguém mais rápido que você; é a realidade da coisa. Todos me perguntam como eu consigo bater tão rápido e uma certa parcela disso é treino, mas há um limite até onde você consegue chegar. Conheça seu instrumento e divirta-se. Se você não estiver se divertindo, então não faz sentido tocar um instrumento.

Leia a entrevista na íntegra no KillYourStereo.com
http://www.killyourstereo.com/interviews/457/lamb-of-god




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Lamb Of God"


Kerrang!: álbuns fantásticos com capas constrangedorasKerrang!
álbuns fantásticos com capas constrangedoras

Lamb of God: Stefanie Stuber canta faixa no The Voice alemão e conquista juradosLamb of God
Stefanie Stuber canta faixa no The Voice alemão e conquista jurados

Em 31/08/2004: Lamb Of God lançava seu maior clássico, Ashes Of The Wake

Randy Blythe: puto com fã no memorial de Oderus UrungusRandy Blythe
Puto com fã no memorial de Oderus Urungus

Metallica: Chris Adler ainda se impressiona com Lars UlrichMetallica
Chris Adler ainda se impressiona com Lars Ulrich

Lamb of God: Stefanie Stuber canta faixa no The Voice alemão e conquista juradosLamb of God
Stefanie Stuber canta faixa no The Voice alemão e conquista jurados


Fotos de Infância: Cradle Of FilthFotos de Infância
Cradle Of Filth

Guitarra: em vídeo, o solo mais destrutivo que você já viuGuitarra
Em vídeo, o solo mais destrutivo que você já viu

Massacration: saiba quem é o baterista que tocava de verdadeMassacration
Saiba quem é o baterista que tocava "de verdade"

Metal Hammer: dez capas que provocam ânsia de vômitoMetal Hammer
Dez capas que provocam ânsia de vômito

Kiko Loureiro: ele intimidou Chris Adler quando mostrou CD soloKiko Loureiro
Ele intimidou Chris Adler quando mostrou CD solo

Dave Navarro: coisas que você não sabia sobre eleDave Navarro
Coisas que você não sabia sobre ele

Slayer: como tocar Raining Blood em seu casamentoSlayer
Como tocar Raining Blood em seu casamento


Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336