Bruce Dickinson: os novos álbuns dão a mesma emoção que o primeiro?

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ronaldo Costa, Fonte: Blabbermouth.net, Tradução
Enviar Correções  

Darryl Sterdan, da QMI Agency, conduziu em 2010 uma entrevista com Bruce Dickinson, vocalista do Iron Maiden. Alguns trechos da conversa podem ser conferidos abaixo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O que significa lançar um 15° álbum? Não pode te dar a mesma emoção que o primeiro.

Dickinson: Bem, realmente não é um jogo de números. Não para nós. Todo álbum que você lança é importante pois pode ser o último - especialmente se você chega ao 15°. Eu gostaria de pensar que este álbum seria um excelente ponto de partida para o nosso próximo álbum ou, igualmente, um grande ponto final se decidirmos nunca mais gravar outro. Não é que pensamos que será nosso último álbum, mas nunca se deve dizer nunca.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Este disco tem algumas das canções mais longas e complexas da banda. Isso seria para algo como desafiar a si próprios? Você, em especial, parece um homem que não só gosta de desafios, mas precisa deles.

Dickinson: Sim. Sem desafios, eu ficaria entediado muito rapidamente. Mas eu acho que você tem que encontrar os desafios adequados. É como disse Clint Eastwood: um homem tem que saber suas limitações. Uma vez que você conhece suas limitações, então você pode excedê-las.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Falando sobre trazer pessoas, você literalmente pilota aviões carregados de fãs e os leva a shows, como parte de um pacote VIP. O que acontece nesses voos?

Dickinson: Nós tentamos os fazer especiais. Os vôos são todos 'voo 666' - que está no cartão de embarque e tudo mais. E nós fazemos até alguns brindes - você tem um chapéu e óculos de sol da Bruce Air, bandeiras e todos os tipos de coisas legais. E a única maneira pela qual você pode adquirir este material é se você está no voo. Você não tem como comprar em um site. E eu assino fotografias também, converso com todos, tiro fotos, saio com a tripulação da cabine e autografo coisas.

"American Idol" precisa de um novo jurado. Interessado?

Dickinson: Absolutamente não. Você não poderia me pagar o suficiente para me convencer a ir num show desses. Acho triste que as pessoas gostem disso. Há um outro programa chamado "Britain's Got Talent", que é claramente um exercício de rir com a incapacidade das pessoas. É triste. Reality shows me deixam completamente desanimado. Eu não saberia te dizer quem ganhou algum desses shows. Eu nunca vi por mais de 30 segundos, o que é mais que suficiente para pensar, "não posso acreditar que as pessoas se sentam em frente à TV para assistir a essa merda".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Leia a entrevista completa (em inglês) na QMI Agency.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Robert Plant: quase saí do Led quando meu filho morreuRobert Plant
"quase saí do Led quando meu filho morreu"

Krisiun: Edu Falaschi não viveu o undergroundKrisiun
"Edu Falaschi não viveu o underground"


Sobre Ronaldo Costa

Nascido na capital paulista em meados dos anos 70, teve a sorte de, ainda bem jovem, descobrir por meio de um primo o debut do Iron Maiden. Quando ouviu "Prowler" pela primeira vez, logo entendeu que aquilo passaria a fazer parte de sua vida. Gosta sobretudo dos clássicos, como Maiden, Judas, Sabbath, Purple, Zeppelin, Metallica, AC/DC, Slayer, mas ouve desde um hard bem leve até um bom death metal. Além da paixão pelo metal e pelo rock em geral, também adora cinema e um bom futebol.

Mais matérias de Ronaldo Costa no Whiplash.Net.

Goo336 Goo336 Cli336 GooInArt Goo336