Overkill: "nós sempre aprendemos com nossos erros"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Victor Lira, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

A Sonic Excess recentemente conduziu uma entrevista com o vocalista Bobby "Blitz" Ellsworth da banda veterana de Thrash Metal OVERKILL. Veja abaixo alguns trechos.

450 acessosTudo no Shuffle: Thrash Metal, 10 Grandes Riffs5000 acessosAlfabeto do Rock: as 15 melhores músicas de Metal

Porque três anos entre lançamentos? o OVERKILL sempre teve uma programação consistente... turnê, lançamento, turnê. Parece que vocês precisavam de um necessário período de descanso.

"Bom, você sabe, nós lançamos o 'Immortalis', no final de 2007, o último lançamento foi em novembro daquele ano, ou em outubro. E esse nós lançamos em janeiro, então é pouco mais de 2 anos e alguns meses de intervalo, o que é um pouco mais longo para nós. Geralmente temos um ciclo de 18 a 20 meses, mas nós fizemos muitos shows para o 'Immortalis'. Encerramos a turnê em abril desse ano, alguns shows em “off” no México e alguns festivais durante o verão. Mas a ideia era continuarmos a turnê, porque se ela está bem nós temos toda uma vibe para gravar. Quando você abandona a estrada e começa a escrever um álbum, a coisa legal é que você leva a estrada para dentro do estúdio".

Eu quero perguntar a sua opinião sobre o novo momento que o thrash vive atualmente. Muitas bandas de adolescentes praticando quase um tributo a grupos como o OVERKILL.

"Acho isso maravilhoso. Eu lembro do início quando fui influenciado pelo New Wave Of British Heavy Metal, e você se torna parte do 'exército' do movimento. Mas, eventualmente, você tem que apresentar algo original. Qual é a sua contribuição para isso? E você começa a ver isto em bandas como o WARBRINGER, MUNICIPAL WASTE E GAMA BOMB. É uma vibe legal, até aonde me diz respeito, um momento único na história da música. Especialmente para o metal, porque você consegue ver as duas extremidades dele. Eu quero dizer, se você tem 20 anos e está em uma banda de thrash como o MUNICIPAL WASTE, você vê de onde tudo vem quando você vai num show do MEGADETH ou do SLAYER".

Esse é o vigésimo quinto aniversário do OVERKILL desde o seu primeiro lançamento, "Fell the Fire". Vocês vão fazer alguma coisa especial para comemorar este aniversário? Lançar um DVD?

"Estamos planejando isso agora. Quer dizer, no processo de conversar sobre isso, mas nós não queremos fazer uma turnê completa. Nós achamos que é claro que vamos dar maior destaque para algumas músicas na turnê do EUA, como o material do 'Ironbound', mas eu acho que nós faremos mais alguns shows especiais. Um nos EUA, outro na Europa, e com isso, nós filmaremos. Nós filmaremos os dois e depois vamos levá-los para a sala de edição".

Algum plano de tocar o "Fell the Fire" na íntegra?

"Temos conversado sobre isso. Isso foi cogitado alguns anos atrás, mas nós não sabemos se o faremos. Quando se trata de conversar sobre o futuro, nosso problema é que vivemos o presente, o agora. Então, obviamente, você tem que planejar coisas para isso, mas ao mesmo tempo o que é realmente importante para nós é o que diz respeito a esse lançamento mais do que o que diz respeito à próxima fase".

Qual é o momento da carreira que mais te marcou quando você olha para trás na carreira do OVERKILL?

"Um momento marcante da carreira foi obviamente conseguir um contrato, em 1984. Essa foi uma experiência louca e inesquecível. Eu acho que no passar dos anos, o que aconteceu é que você se torna quase um viciado em estar no topo, e estar no topo para mim é estar no palco. É quase como uma droga. Isso sempre acontece, e você sempre quer mais e mais".

Existe algum ponto negativo que você consegue lembrar, e pode declarar para nós?

"Bem, nós somos uma banda que se auto gerencia, então os pontos baixos são responsabilidade nossa. Quando você é uma banda auto gerenciada, não há culpa para se passar [risos]. Você é o culpado pelo seu sucesso ou pelo seu fracasso. Levando isso em conta, eu suponho que todas as decisões que tomamos, no que diz respeito a alguns álbuns que nós não demos o devido suporte, e as turnês que fizemos, é tudo nossa responsabilidade. Mas eu sinto que esses passos são necessários. Isso tudo nos trouxe o 'Ironbound' em 2010. Isso baseado no sucesso ou no fracasso, ou na combinação dos dois. Se você se torna muito velho para aprender as coisas, então realmente acabou pra você. Depois, você deve passar por cima dos movimentos. E eu acho que uma das coisas sempre promove, nos ame ou nos odeie, nós sempre aprendemos com nossos erros e seguimos em frente independente do jeito que o clima popular está no momento".

Leia a matéria completa (em inglês) neste link.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Metal HammerMetal Hammer
Revista elege os melhores discos de metal do ano até agora

450 acessosTudo no Shuffle: Thrash Metal, 10 Grandes Riffs449 acessosOverkill: elétricos e agressivos em "The Electric Age"238 acessosOverkill e Crowbar: bandas se juntam para "Metal Alliance Tour"619 acessosOverkill: "I Hear Black", para Bobby Blitz, foi "um equívoco"509 acessosOverkill: Years of Decay soa como se tivesse sido lançado ontem0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Overkill"

Thrash MetalThrash Metal
Álbuns injustiçados nos anos noventa.

Guitar WorldGuitar World
11 Álbuns Essenciais do Thrash Metal

LoudwireLoudwire
Os 10 melhores álbuns de Thrash NÃO lançados pelo Big 4

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Overkill"

Alfabeto do RockAlfabeto do Rock
As 15 melhores músicas de Metal

Max CavaleraMax Cavalera
A opinião de Lemmy, Kiko Loureiro, Vinnie Paul e outros

Ozzy OsbourneOzzy Osbourne
"Eu detesto a expressão Heavy Metal!"

5000 acessosGarimpeiro das Galáxias: Beldades globais e sua paixão pelo rock5000 acessosOs roqueiros mais chatos das redes sociais5000 acessosLady Gaga: "o Iron Maiden mudou a minha vida!"5000 acessosQuem ouve Heavy Metal ouve apenas Heavy Metal?5000 acessosRhapsody: não somos uma banda de Heavy Metal, diz Luca Turilli2098 acessosPlanno D: assista Detonator no Divã do Destino

Sobre Victor Lira

Aprendi a gostar de rock and roll aos 11 anos, sob influência do meu pai, rockeiro nato. Comecei ouvindo Led Zeppelin e Rush, mas me tornei um fissurado por Metal quando ouvi Dio. Hoje sou fã incondicional do Heaven & Hell e de Megadeth.

Mais matérias de Victor Lira no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online