Gorgoroth: As orientações sexuais e políticas de Gaahl

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Fonte: Blabbermouth
Enviar correções  |  Ver Acessos


Götz Kühnemund da revista Rock Hard alemã conduziu em outubro de 2008 uma entrevista reveladora com Gaahl (Kristian Espedal), frontman do GORGOROTH, em que o polêmico cantor de Black Metal falou pela primeira vez publicamente sobre a sua orientação sexual e política.

Guitar World: os 100 piores solos de guitarra da históriaEnjaulados: Os crimes mais chocantes da história do rock

Rock Hard: Acho que foi muito corajoso de sua parte se assumir gay. Gostaria de fazer uma ou duas perguntas sobre o tema, se você não se importar.

Gaahl: "Claro, sem problemas."

Rock Hard: Falamos em outra oportunidade que um velho vídeo ao vivo do JUDAS PRIEST causou grande impressão em você. O fato de Rob Halford assumir influenciou a exposição pública de sua preferência sexual?

Gaahl: "Não. Rob Halford foi uma grande inspiração musical, mas nada além disso. Não me parece que eu assumi algo, pois a coisa toda não era importante para mim. Tudo evoluiu de forma muito natural. Eu sinto o que sinto e nunca fiz segredo sobre isso."

Rock Hard: Mas há pessoas que não aceitam a homossexualidade. É verdade que você foi atacado por alguém no backstage do Wacken Open Air?

Gaahl: "Foi algo que ocorreu pelas minhas costas. Ninguém nunca me ofendeu de frente para mim."

Rock Hard: Mas King (baixista do GORGOROTH) presenciou algo e me falou depois (NOTA: um tumulto aconteceu envolvendo King e outros no backstage do Wacken, aparentemente iniciado por declarações homofóbicas de certa pessoa que deu entrada em um hospital logo depois). Como as pessoas estão tratando você?

Gaahl: "De forma absolutamente positiva. Não sinto nenhuma animosidade contra mim."

Rock Hard: Mas há pessoas de extrema-direita na cena Black Metal para quem você, como homossexual declarado, se tornou um inimigo.

Gaahl: "É possivel. Meu conceito de arte, especialmente de Black Metal, tem a ver com honestidade, sem concessões. Realmente não me importa a reação das outras pessoas ou os sentimentos que isso possa provocar.

Rock Hard: Algumas pessoas procuraram a Rock Hard oferecendo informações sobre o seu passado que colocariam "luz" sobre muitas coisas. Desde que você revelou sua homossexualidade, estas fontes silenciaram. Existe uma conexão?

Gaahl: "Sim. Muito provavelmente. (risos) Parece que eu deixei algumas pessoas sem ação. E sinto muito por isso. (risos) Mas estas informações poderiam também ser relacionadas a certos fatos nos anos 90."

Rock Hard: Você quer dizer, algo relativo a política?

Gaahl: "Sim."

Rock Hard: Você assumiu ter se associado a grupos de extrema direita naquela época.

Gaahl: "Exato."

Rock Hard: Pode falar mais sobre isso?

Gaahl: "Eram coisas relacionadas à época e ao ambiente em que eu vivia naquela. No início dos anos 90 haviam muitas gangues juvenis na Noruega e uma coisa levava a outra. Eu estive envolvido em lutas de gangues. Não se tratavam de fortes convicções políticas, mas mais de marcar território. Eventualmente isso levou a violência. Quer dizer, gangues não são criadas para discutir verbalmente."

Rock Hard: Você diria que foi por algum tempo um Nazista radical?

Gaahl: "Não. Não havia interesse político. Não para mim, nem para meus amigos. Mas você precisava se filiar a algum grupo se quisesse se defender e não ser surrado. Acho que eu e meus amigos nos sentíamos assim naquela época, mas alguns deles enveredaram para alguns grupos extremistas."

Rock Hard: Ocorreram incidentes por motivos raciais?

Gaahl: "Tudo girava em torno das gangues. Quem atacou primeiro e quem apenas se defendeu é algo impossivel de ser precisado depois de tanto tempo. Mas sem dúvidas houve agressões violentas. Alguns de nós tinham armas."

Rock Hard: Quando sua atitude frente a esse tipo de coisa mudou?

Gaahl: "Foi um processo lento que levou anos e não foi motivado por um fato isolado. Eu sempre tive amigos de diferentes formações culturais, então sempre fui exposto a diferentes maneiras de pensar. Talvez por isso eu não desenvolvi uma crença política. Mas sem dúvida houve mudanças e evolução em minha maneira de pensar. Sou uma pessoa diferente hoje."

Rock Hard: Quem é você exatamente?

Gaahl: "Eu sou eu. Eu sou um individualista."

Rock Hard: Há pessoas de direita em seu círculo de amizades?

Gaahl: "Sim, assim como há pessoas de esquerda. Eu não julgo pessoas pelas suas convicções políticas."

Rock Hard: Como essas pessoas respondem ao fato de você ser gay?

Gaahl: "Houve muito poucas reações negativas. Espero que seja porque meus amigos me respeitam ao ponto de que este meu lado não os aborreça. Se eu fosse outro tipo de cara, as reações poderiam ser mais drásticas."

Rock Hard: Você foi preso várias vezes. Alguma vez isso foi causado por sua opção política ou sexual?

Gaahl: "Não. De forma alguma."

Rock Hard: Um assassino foi contratado para matar você e você o agrediu tão gravemente que foi parar na prisão. Quem armou isso para você?

Gaahl: "Foi relacionado a uma passagem anterior que tive pela prisão. Alguém com quem eu tinha problemas queria se vingar. Mas como não queria sujar as mãos, contratou alguém que deveria me atacar, que invadiu a minha casa com uma arma."

Rock Hard: Que tipo de problemas você tinha com este alguém?

Gaahl: "Eu fui atacado em um bar, aparentemente por alguém que se sentiu ofendido pela minha aparência ou por algo que eu falei. Alguém que tinha reputação de ser 'perigoso'. O fato terminou em uma briga com sérias consequências. Eu terminei na cadeia e a 'vítima' saiu livre."


Rock Hard: Você deve se sentir muito bem. Você está livre e não tem mais nada a esconder.

Gaahl: "É verdade. Mas eu nunca realmente escondi algo, para começar. Eu apenas nunca havia me apaixonado antes."

Rock Hard: Nunca?

Gaahl: "Não. Não até o ano passado."

Rock Hard: Uma garota que viveu com Jenny, da Rock Hard, na Noruega, dizia ser sua ex-namorada.

Gaahl: (risos) "Então ela mentiu. Nunca estive junto com ninguém até o ano passado."

Rock Hard: Quantos anos você tem agora?

Gaahl: "33."

Rock Hard: E você era um lobo solitário até os 32?

Gaahl: "Sim. Estou vivendo a puberdade agora!" (risos)

Rock Hard: Muito legal que você fale tão abertamente sobre estas coisas.

Gaahl: "Bem, é a maneira que as coisas são." (risos)

Rock Hard: Como isso tudo vai afetar o GORGOROTH?

Gaahl: "Sobre a minha revelação, King estava mais nervoso sobre isso do que eu. Ele está'feliz que todos estejam aceitando isso."

Rock Hard: O que mais você tem feito não-relacionado ao GORGOROTH?

Gaahl: "Tenho trabalhado em um álbum de ambient music. Coisa realmente interessante em minha opinião. Fora isso gasto muito tempo pintando. Me tornei realmente criativo nos últimos tempos."

Rock Hard: Que tipo de imagens você pinta?

Gaahl: "Difícil descrever. Definitivamente não tem nada a ver com o GORGOROTH. As pessoas podem pensar que pinto coisas como cabeças cortadas, mas não é o caso."

Rock Hard: Então o que você pinta? Rob Halford fazendo poses na motocicleta?

Gaahl: "Exatamente." (risos)

Leia mais sobre a revelação de Gaahl nas notas abaixo.

Gorgoroth: Gaahl e amigo investem em moda femininaDani Filth: "Gaahl é o ápice do individualismo no Black Metal"

Qual a sua posição sobre a saída de Gaahl do armário? Comente logo abaixo, em nosso fórum.

Por que destacamos matérias antigas?



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Sexo"Todas as matérias sobre "Homossexualidade"Todas as matérias sobre "Gorgoroth"


Sexo e Rock and Roll: músicas com conotação sexualSexo e Rock and Roll
Músicas com conotação sexual

Os estranhos relacionamentos de Janis JoplinOs estranhos relacionamentos de Janis Joplin
Os estranhos relacionamentos de Janis Joplin

Sexo: os clipes mais sensuais do Metal segundo a Metal HammerSexo
Os clipes mais sensuais do Metal segundo a Metal Hammer


Guitar World: os 100 piores solos de guitarra da históriaGuitar World
Os 100 piores solos de guitarra da história

Enjaulados: Os crimes mais chocantes da história do rockEnjaulados
Os crimes mais chocantes da história do rock

Steve Perry: 5 fatos curiosos sobre o ex-vocalista do JourneySteve Perry
5 fatos curiosos sobre o ex-vocalista do Journey

Max Cavalera: "Deveríamos ter demitido aqueles dois e mantido o nome"Krisiun: "Edu Falaschi não viveu o underground"Fones de Ouvido: a história da reprodução musical introspectivaDuff McKagan: "Advogados acabaram com o Guns e Velvet!"