Megadeth: "música provocativa e estimuladora"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Emmanuella Conte, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Eden Munro, da Vue Weekly, recentemente conduziu uma entrevista com o cabeça do MEGADETH, Dave Mustaine, que falou sobre turnês, letras das músicas e conexão com os fãs, dentre outras coisas.

3343 acessosMegadeth: cinco vezes onde a banda foi melhor que o Metallica5000 acessosSlayer: Araya fala sobre fé e sua relação com o cristianismo

Sobre fazer turnês:

"Eu estou na estrada desde o último ano e está sendo ótimo. Há muita gente lá fora, e com pessoas vêm os relacionamentos e relacionamentos são difíceis de se manter, a menos que você seja um tagarela completo e então você pode fingir que gosta de alguém e realmente odiá-lo. Mas eu sou o tipo de pessoa que, se eu não gosto de você, é difícil para mim não dizer nada".

Sobre as interconexões entre diferentes grupos que fazem parte da comunidade musical em que está o MEGADETH:

"Nó sempre tentamos ser gentis, porque a relação que nós sempre tivemos com vocês - a imprensa - e eles - o público - nós sempre reconhecemos que sem os três não existiríamos. Eu sei que há um monte de jornalistas que gostam de mim e um outro monte que não. Sei que há um monte deles que gosta de mim, mas eles não necessariamente gostam da minha música. Eu estou legal com tudo isso - eu sei que é um trabalho e sei que isso não significa necessariamente que você seja uma boa ou uma má pessoa por causa do que você faz. Eu também sei que nós temos alguns fãs que são grandes pessoas e que temos fãs que não são exatamente caras legais. Existem algumas pessoas que são fãs nossos, que amam a nossa música, mas usam isso para fazer coisas ruins."

Em 2006, houve um atentado em Dawson College, em Montréal, Canadá, onde o atirador declarou ter sido inspirado por "A Tout Le Monde", do MEGADETH, uma canção de 1994 que Mustaine regravou para o álbum mais recente da banda, "United Abomination":

"O que aconteceu aquela vez em Dawson foi terrível. Essa música pertence ao povo maravilhoso de Montreal e não era pra ninguém fazer nada como aquilo e eu me recuso a permitir que essa música seja roubada por ele... Eu acho que você tem que ter autoridade sobre coisas como essas e se você deixar os caras maus vencerem, você está deixando os caras maus vencerem."

Sobre suas letras:

"Eu sempre tentei usar letras inteligentes. Eu acho que é uma vergonha quando o cantor diz 'Fuck' só por dizer. Você pode ver quando os caras são uns frescos e usam um monte de palavrões em suas músicas só para conseguir algum crédito. Na minha carreira inteira acho que devo ter dito 'Fuck' umas duas vezes em mais de cem músicas... Mas então tem aqueles caras, sabe, que chamam as mulheres de 'vadias' e eles glorificam toda essa estupidez que fazem as pessoas tirarem sarro do Heavy Metal".

"Eu gosto de escrever sobre coisas que são importantes para nós, pessoas, ignorando a qual nacionalidade pertencemos. Gosto de escrever coisas inteligentes para nós como uma raça que não considera nossa idade ou sexo. A música do MEGADETH é algo que é provocativo e estimulador e foi desse jeito desde o começo. Eu sempre tentei escrever letras que fazem você sentar e dizer: 'Uau, eu imagino sobre o que ele está falando', e então fazer alguma ligação com isso. Eu nunca disse 'vote nesse, vote naquele, eu sou assim, então é melhor você ser assado' e tal".

Leia a entrevista inteira (em inglês) neste link.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

MegadethMegadeth
Cinco vezes onde a banda foi melhor que o Metallica

3049 acessosHeavy Metal: os 10 melhores riffs dos anos noventa505 acessosMarty Friedman: ouça "Miracle", single do novo álbum solo3510 acessosMetallica: e se James Hetfield cantasse no Megadeth?0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Megadeth"

MegadethMegadeth
Compare Tornado Of Souls de Kiko, Broderick e Friedman

MegatallicaMegatallica
Mashup do Iron Maiden com Judas Priest

HumorHumor
Quais são os rockstars mais chatos do mundo?

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Megadeth"

SlayerSlayer
Araya fala sobre fé e sua relação com o cristianismo

AngraAngra
Banda errou na escolha de Fabio Lione?

Separados no nascimentoSeparados no nascimento
Ozzy Osbourne e Renato Aragão

5000 acessosMetal Extremo: algumas bandas que você precisa ouvir5000 acessosSimone Simons: "Rammstein me faz querer mexer a bunda"5000 acessosA História Impopular dos Rolling Stones - Livro 2 - Mick Taylor5000 acessosBlind Faith: uma das capas mais polêmicas da história5000 acessosSlayer: tirando um som brutal de instrumentos infantis5000 acessosHeavy Metal: as 10 maneiras de se segurar a guitarra

Sobre Emmanuella Conte

Emmanuella Conte é paranaense residente em Goiás; está graduando em Biologia e trabalha na área ambiental. Nas horas vagas, dedica-se ao curso de Alemão, vai às apresentações das bandas locais ou fica pela internet procurando por notícias e fotos de suas bandas favoritas. Entre os estilos que mais gosta estão o Classic Rock, Hard Rock/AOR, Heavy/Thrash/Power/Speed/Symphonic Metal, Industrial, Metalcore e o Punk, sendo grande simpatizante do movimento setentista. Aspirante a beatlemaníaca por culpa do pai, indentifica-se com a cultura trash em geral, desde filmes de terror-B ao Horror Rock, por culpa da mãe. Pelo resto, ela se responsabiliza.

Mais matérias de Emmanuella Conte no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online