Geezer Butler: "é chato tocar as mesmas coisas"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por César Enéas Guerreiro, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar Correções  

Michael Senft, do jornal The Arizona Republic, entrevistou recentemente o legendário guitarrista Tony Iommi e o baixista Geezer Butler (BLACK SABBATH, HEAVEN AND HELL).

Sobre como o SABBATH se reuniu com o cantor Ronnie James Dio pela primeira vez:

Butler: "(Em 1979) não havia entusiasmo na banda. Ozzy não estava mais a fim de nada. Tony (Iommi) e eu fomos pros EUA para começar a trabalhar em um novo álbum com Ozzy, mas ele não apareceu. Não sabíamos se ele viria da Inglaterra ou não. Então Tony mencionou o Ronnie. Ele disse: 'Ele já esteve no RAINBOW, tem uma excelente voz e é muito entusiasmado. Você está a fim de fazer algumas jams com ele enquanto esperamos pelo Ozzy?’"

publicidade

Sobre como surgiu a idéia da turnê do HEAVEN AND HELL:

Butler: "No Ozzfest, Tony e eu sempre tocávamos músicas do 'Heaven and Hell' durante as passagens de som, só pra quebrar a monotonia. Então começamos a conversar, dizendo que era uma pena não podermos mais tocar aquelas músicas ao vivo. E, coincidentemente, a gravadora entrou em contato conosco a fim de fazer uma coletânea tipo ‘best-of’ dos álbuns da era Dio".

publicidade

Sobre a coletânea do SABBATH, "The Dio Years", que contém três faixas inéditas, além de mais treze dos quatro álbuns que tiveram a participação de Dio:

Iommi: "A gravadora me perguntou se eu tinha alguma raridade guardada. Eu tinha alguns fragmentos, mas nada completo, então eu sugeri que gravássemos algumas músicas novas. Eu me encontrei com Ronnie quando ele estava fazendo sua turnê solo pela Inglaterra e ele gostou da idéia. Aí sentamos e escrevemos as músicas novas. Foi como se todos os problemas que tivemos no passado nunca tivessem acontecido".

publicidade

Sobre a decisão de chamar a banda de HEAVEN AND HELL ao invés de BLACK SABBATH:

Iommi: "Se usássemos o nome BLACK SABBATH, as pessoas esperariam ouvir 'Iron Man', 'Black Sabbath' e 'War Pigs', então mudamos o nome da banda. Mas todos sabem que é o BLACK SABBATH e ninguém grita pedindo ‘Paranoid’. Não que haja algo de errado com o material antigo do SABBATH, mas é que é um desafio tocar algo que não tocávamos há tanto tempo".

publicidade

Butler: "Já tocamos em Ozzfests durante 10 anos e o set list parecia não mudar nunca. É chato tocar sempre as mesmas oito músicas".

Sobre os futuros planos para o HEAVEN AND HELL:

Iommi: "Não temos outros planos e não queremos fazer nenhum plano concreto. Isso sempre nos trouxe problemas no passado".




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Pink Floyd: Perguntas e respostas e curiosidadesPink Floyd
Perguntas e respostas e curiosidades

The Voice: candidato faz power metal cantado em portuguêsThe Voice
Candidato faz power metal cantado em português


Sobre César Enéas Guerreiro

Nascido em 1970, formado em Letras pela USP e tradutor. Começou a gostar de metal em 1983, quando o KISS veio pela primeira vez ao Brasil. Depois vieram Iron, Scorpions, Twisted Sister... Sua paixão é a música extrema, principalmente a do Slayer e do inesquecível Death. Se encheu de orgulho quando ouviu o filho cantarolar "Smoke on the water, fire in the sky...".

Mais informações sobre César Enéas Guerreiro

Mais matérias de César Enéas Guerreiro no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin