Geezer Butler: "é chato tocar as mesmas coisas"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por César Enéas Guerreiro, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Michael Senft, do jornal The Arizona Republic, entrevistou recentemente o legendário guitarrista Tony Iommi e o baixista Geezer Butler (BLACK SABBATH, HEAVEN AND HELL).

2303 acessosInglaterra: político acusado de ser nazista por causa do Sabbath5000 acessosCharlie Brown Jr.: mãe de Chorão acusa neto de abandono

Sobre como o SABBATH se reuniu com o cantor Ronnie James Dio pela primeira vez:

Butler: "(Em 1979) não havia entusiasmo na banda. Ozzy não estava mais a fim de nada. Tony (Iommi) e eu fomos pros EUA para começar a trabalhar em um novo álbum com Ozzy, mas ele não apareceu. Não sabíamos se ele viria da Inglaterra ou não. Então Tony mencionou o Ronnie. Ele disse: 'Ele já esteve no RAINBOW, tem uma excelente voz e é muito entusiasmado. Você está a fim de fazer algumas jams com ele enquanto esperamos pelo Ozzy?’"

Sobre como surgiu a idéia da turnê do HEAVEN AND HELL:

Butler: "No Ozzfest, Tony e eu sempre tocávamos músicas do 'Heaven and Hell' durante as passagens de som, só pra quebrar a monotonia. Então começamos a conversar, dizendo que era uma pena não podermos mais tocar aquelas músicas ao vivo. E, coincidentemente, a gravadora entrou em contato conosco a fim de fazer uma coletânea tipo ‘best-of’ dos álbuns da era Dio”.

Sobre a coletânea do SABBATH, "The Dio Years", que contém três faixas inéditas, além de mais treze dos quatro álbuns que tiveram a participação de Dio:

Iommi: “A gravadora me perguntou se eu tinha alguma raridade guardada. Eu tinha alguns fragmentos, mas nada completo, então eu sugeri que gravássemos algumas músicas novas. Eu me encontrei com Ronnie quando ele estava fazendo sua turnê solo pela Inglaterra e ele gostou da idéia. Aí sentamos e escrevemos as músicas novas. Foi como se todos os problemas que tivemos no passado nunca tivessem acontecido”.

Sobre a decisão de chamar a banda de HEAVEN AND HELL ao invés de BLACK SABBATH:

Iommi: "Se usássemos o nome BLACK SABBATH, as pessoas esperariam ouvir 'Iron Man', 'Black Sabbath' e 'War Pigs', então mudamos o nome da banda. Mas todos sabem que é o BLACK SABBATH e ninguém grita pedindo ‘Paranoid’. Não que haja algo de errado com o material antigo do SABBATH, mas é que é um desafio tocar algo que não tocávamos há tanto tempo”.

Butler: "Já tocamos em Ozzfests durante 10 anos e o set list parecia não mudar nunca. É chato tocar sempre as mesmas oito músicas”.

Sobre os futuros planos para o HEAVEN AND HELL:

Iommi: “Não temos outros planos e não queremos fazer nenhum plano concreto. Isso sempre nos trouxe problemas no passado”.

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

InglaterraInglaterra
Político acusado de ser nazista por causa do Sabbath

558 acessosHeavy Lero: Black Sabbath na edição #100, por Gastão e Clemente890 acessosBlack Sabbath: vídeo raro do Bilzen Pop Fest no canal oficial1887 acessosBlack Sabbath: Quer relaxar ao som da banda? Então ouça este mix0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Black Sabbath"

Tony IommiTony Iommi
Glenn Hughes era muito mais drogado que Ozzy Osbourne

Heavy MetalHeavy Metal
Discos que são obras-primas pouco lembradas - Parte 1

DioDio
Escolhendo suas músicas de Heavy Metal/Rock favoritas

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Black Sabbath"0 acessosTodas as matérias sobre "Heaven And Hell"

Charlie Brown Jr.Charlie Brown Jr.
Mãe de Chorão acusa neto de abandono

Guns N Roses e TeslaGuns N' Roses e Tesla
A história do "plágio" de "Patience"

DepressãoDepressão
10 músicas que devem ser evitadas

5000 acessosGigwise: as capas mais polêmicas dos anos 20005000 acessosSlayer: maluco encara furacão na Flórida ao som da banda5000 acessos50 a menos: Cientistas descobrem que o Número da Besta é 6163139 acessosSlipknot: "Eu odeio turnês", diz Shawn 'Clown' Crahan5000 acessosIron Maiden: Os baixos de Steve Harris5000 acessosRock Of Ages: um sensacional mashup de clássicos

Sobre César Enéas Guerreiro

Nascido em 1970, formado em Letras pela USP e tradutor. Começou a gostar de metal em 1983, quando o KISS veio pela primeira vez ao Brasil. Depois vieram Iron, Scorpions, Twisted Sister... Sua paixão é a música extrema, principalmente a do Slayer e do inesquecível Death. Se encheu de orgulho quando ouviu o filho cantarolar "Smoke on the water, fire in the sky...".

Mais informações sobre César Enéas Guerreiro

Mais matérias de César Enéas Guerreiro no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online