Venus: O novo disco e o passado ao lado de Edu Falaschi

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Enviar Correções  





Provavelmente você pouco deve ter ouvido falar até agora e pouco deve conhecer sobre o Venus. Aliás, acho que até já seria muita coisa você saber que se trata de uma banda brasileira. Digo isto porque a banda durou muito pouco tempo enquanto esteve em atividade, no final dos anos noventa. Tão pouco que a banda apenas tinha lançado um disco, "Ordinary Existence" de forma totalmente independente. Mas ali, um pequeno embrião já surgia, trazendo ninguém menos que Edu Falaschi, um desconhecido para a época, nos vocais. Tivemos a oportunidade de conversar com o guitarrista Felipe Engel, que não só nos contou mais sobre o passado da banda como também já está nos abrindo algumas informações sobre o relançamento deste disco citado e sobre o próximo que já está a caminho.

Por Paulo Finatto Jr

Edição: Thiago Pinto Corrêa Sarkis

Whiplash! - "Ordinary Existence" foi originalmente lançado em 1998. Tempos depois o Venus encerrou as suas atividades. O que aconteceu para a banda se separar neste período?

Felipe Engel / Todo o processo de produzir um CD independente é muito cansativo e dispendioso. No final do disco, além desse estresse, eu fui passar um ano a trabalho em Fortaleza, no Ceará, e acabamos por deixar a banda de lado indefinidamente, mas sem dizer "acabou" em momento algum.

Whiplash! - O primeiro CD foi lançado com Edu Falaschi nos vocais, quando ainda nem havia a expectativa de uma dissolução do Angra. Como o Edu foi parar no line-up do Venus?

Durante as gravações do "Ordinary Existence" o nosso vocal à época, Ricardo Della Rosa, deixou a banda e fomos levando a gravação sem vocal mesmo. Chamamos o Edu que topou assim que ouviu o material. Na época ele inclusive ainda não era um membro efetivo do Symbols se não me engano, e estava produzindo o disco deles, depois acabou assumindo os vocais.

Whiplash! - E hoje, vocês já possuem um novo vocalista? O que podemos esperar desta pessoa perante a posição de ‘frontman’ da banda?

Felipe Engel / Hoje ainda não achamos nosso novo vocal. Estamos terminando a pré-produção do nosso novo CD e recebendo material de muita gente pelo e-mail [email protected], mas até agora não achamos "o cara". O que nós (risos) e o público podemos esperar é um cantor técnico, mas com bastante pegada e senso melódico. Procuramos experiência antes de mais nada e, principalmente, não temos nenhuma expectativa de comparações com o Edu ou coisa do tipo porque o nosso som também mudou bastante.

Whiplash! - Como vocês chegaram até a Hellion Records para o relançamento deste disco? A decisão de uma remixagem/remasterização partiu por parte da banda ou da gravadora?

Felipe Engel / A Hellion na realidade foi a primeira gravadora que procuramos a sério. Houve um contato anterior com uma outra gravadora, mas não tínhamos uma proposta muito compromissada deles. A Hellion topou e apoiou nossa idéia de remixar o disco que é um processo muito mais complexo do que uma simples ‘remaster’. Ficamos cerca de vinte dias no Creative Studio do Phillip Colodetti digitalizando e remixando as fitas originais e o resultado ficou muito legal, ficamos super contentes com a "vida nova" que o disco ganhou.

Whiplash! - "Ordinary Existence" recebeu também uma nova capa. Podemos dizer que a intenção da banda é, praticamente, dar novo início à carreira?

Felipe Engel / Sim, neste caso a idéia foi da gravadora, mas como foi um lançamento independente com duas mil cópias somente no primeiro lançamento, fez sentido um material mais rico para esse segundo e "real" lançamento. E de fato, desde a remixagem, temos trabalhado sem intervalos no novo CD.

Whiplash! - Este álbum, por sair por uma gravadora de renome na cena brasileira, atingirá diversos cantos do nosso país. Quais as expectativas de vocês para o reconhecimento do Venus tanto aqui no Brasil como no exterior?

Felipe Engel / Recebemos vários ‘reviews’ positivos aqui, nos ‘sites’ e nas principais revistas mas o que nos surpreendeu até certo ponto foram ‘reviews’ igualmente positivos em países como Alemanha e Japão onde, afinal de contas, um CD relativamente datado estava sendo ouvido pela primeira vez . Por esse motivo não tínhamos grandes expectativas a não ser é claro pelo interesse gerado pelo fato do vocal ser o Edu Falaschi do Angra que é um inegável cartão de visitas. Tem sido realmente muito legal a repercussão do lançamento e é ótimo ter uma gravadora séria como a Hellion, mesmo que com recursos de divulgação limitados já que é uma empresa nacional e que também está na batalha para crescer.

Whiplash! - Como foi a repercussão de "Ordinary Existence" na época do lançamento original?

Felipe Engel / Na época, apesar da divulgação mínima que fizemos, foi muito legal. ‘Reviews’ bacanas e tudo mais. Hoje recebemos um tipo de boas vindas das pessoas do meio que conhecem bem o underground e nos conhecem do início da carreira que é muito recompensador. Um reconhecimento que nos honra e muito. E para nossa surpresa, muita gente que é acompanha o metal há menos tempo e tem seu primeiro contato com a banda, também curte o som e nos escreve e isso é o máximo... Isso nos deixa realmente felizes. O fato de contar com uma distribuição mais estruturada como a da Hellion ajuda muito já que hoje se pode encontrar o CD em lojas como Americanas.com, Submarino, Livraria Cultura e etc. E isso não rola para artistas independentes.

Whiplash! - Acredito que músicas como "I Will Remember", "Like a Criminal", "Leaving the Light" e "Dream on Tomorrow" sejam as melhores do disco. Realmente são elas que possuem um maior impacto com o público?

Felipe Engel / Isso é muito louco... Essas são as minhas preferidas também e eu acrescentaria "On My Own" e "The Immortal". Porém tem gente que não curte essas e aponta de repente uma música nada a ver como a melhor... Até críticos! Sei lá... Mas essas são realmente as mais votadas. (risos)

Whiplash! - E agora, qual é o próximo passo do Venus? Uma turnê para voltar a divulgar este ‘debut’ ou vocês já planejam o CD de reestréia?

Felipe Engel / Não, nem pensamos em turnê na verdade... Estamos trabalhando no próximo CD que está na fase final de pré-produção e tem, por enquanto, doze músicas novas!

Whiplash! - "Cold Hearted" aparece como bônus neste álbum em uma versão acústica. Vocês possuem mais faixas gravadas neste formato para quem sabe serem lançadas também?

Felipe Engel – "Cold Hearted" apareceu porque durante a remixagem, descobrimos coisas que havíamos até esquecido, como os violões gravados para ela. Fizemos uma ‘mix’ só com eles e pronto! "Cold Hearted" acústica! Um presentinho para quem tem os agora raros CDs originais.

Whiplash! - Como vocês se sentem em meio a tantos retornos de bandas aqui no Brasil, com o Atomica, Witchhammer e Symbols, por exemplo?

Felipe Engel / Nos sentimos muito bem! Acho toda essa onda de bandas voltando muito bacana porque há muita gente talentosa que simplesmente parou por um motivo ou por outro. A tecnologia também tem um papel importante nisso porque hoje é muito mais barato gravar um CD do que a seis ou sete anos atrás. Se antes sonhávamos em gravar um disco e ralávamos muito para bancar a brincadeira, hoje é muito mais acessível e o importante é ter algo para mostrar!

Whiplash! – O que você pensa da atual cena underground brasileira? Falta muito para ela se tornar uma das maiores do mundo?

Felipe Engel / Não consigo fazer uma comparação entre o underground daqui e o de fora... O que vejo são muitas bandas e artistas pintando com trabalhos de qualidade e trazendo muita coisa original até mesmo num gênero que não faz parte da cultura brasileira como é o metal. À medida que temos lugares legais aparecendo com estrutura para receber as bandas e fazendo shows legais, com mais profissionalismo, a seleção natural acontece e a cena só melhora; e isso vem acontecendo nos últimos tempos ainda que numa velocidade menor do que gostaríamos. Mas o importante é que está rolando!

Whiplash! - Obrigado pela entrevista. Peço que deixem uma mensagem para os que acompanharam esta matéria aqui no Whiplash!.

Felipe Engel / Mais uma vez foi um prazer falar com vocês que foram o primeiro espaço a se abrir para nós lá no lançamento de "Ordinary Existence"... Na verdade aquela foi minha primeira entrevista! Estamos fazendo um disco novo que vai abrir os olhos de muita gente e espero voltar para falar dele com vocês daqui a alguns meses!

Site Oficial - http://www.venusmetal.com