Perpetual Dreams: O passado, o presente e o futuro da banda Catarinense

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Enviar correções  |  Ver Acessos





Entrevista por Paulo Finatto Jr.

Edição: Thiago Pinto Corrêa Sarkis

O segundo disco da banda catarinense Perpetual Dreams, "Eyes of Infinite", foi lançado em 2003 pelo selo Hellion Records. O procedente de "Forever" alcançou um grande nível quanto a reconhecimento no Brasil, e chegou inclusive a levar a banda para grandes shows até o seu lançamento no exterior. Preparando o seu próximo lançamento, conversamos com a banda, mais precisamente com o tecladista Jan Findeiss e com o guitarrista Deny Bonfante, que não apenas nos deram informações em primeira mão quanto ao novo disco do Perpetual Dreams, como comentou toda a trajetória do grupo até os dias atuais.


Whiplash! - Em primeiro lugar, o disco que lançou vocês aqui no site foi o "Forever". Que tipo de repercussão aquele material rendeu para vocês em relação ao que vocês passam hoje?

Jan Findeiss / Bem, o "Forever" foi lançado como nossa segunda demo no ano 2000. Ele acabou sendo nosso material de divulgação até o lançamento do debute "Eyes Of Infinite". Conseguimos uma repercussão muito boa com o "Forever", obtendo resenhas bastante positivas em várias revistas e sites, inclusive no Whiplash!. Foi através desta demo que conseguimos abrir os shows do Blaze e do Shaaman em 2002, e ainda participar de eventos de destaque na cena do Sul como o Natal Metálico (Balneário Camboriú), o River Rock (Indaial), shows em São Paulo, no Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina. Acho que, para a época, foi uma demo bem gravada e isso ajudou bastante na repercussão e também nos contatos.

Whiplash! - Como você mencionou, com o "Forever" nas costas vocês conseguiram fazer um grande show em 2002, ao abrir para o Blaze em Blumenau (SC). Que tipo de projeção a nível nacional vocês obtiveram fazendo aquele show na cidade natal de vocês?

Deny Bonfante / Aquele show foi fantástico! Nunca esqueceremos! Tivemos bastante contato com o Blaze e com sua banda. Eles inclusive assistiram uma parte do nosso show, e nos elogiaram no final! Foram todos muito legais conosco e nos trataram realmente muito bem. Foi uma oportunidade legal abrir aquele show, pois ele foi divulgado em todo o país e fora dele também. Após o show saíram resenhas em vários sites e revistas com comentários bastante positivos, o que foi muito gratificante para a gente. Acabamos atraindo a atenção da mídia e de gravadoras também, além de conseguirmos abrir contatos para shows fora do nosso estado. Através deste show também acabamos sendo convidados para abrir o show do Shaaman em Balneário Camboriú, que o Jan falou anteriormente, e este também foi um show muito legal onde conseguimos uma boa repercussão na cena em nível nacional. Neste show também tivemos um contato muito legal com o pessoal do Shaaman. O André Matos foi muito gente fina conosco nos dando a maior força quando tivemos um problema com o sistema de iluminação em nosso show. Agora estamos gravando nosso CD novo e os teclados já foram todos gravados no Estúdios Brainless Brother's, com a supervisão do Fábio Ribeiro (tecladista do Shaaman). Esses contatos todos acabaram surgindo em virtude desses shows.

Whiplash! - O outro disco que vocês lançaram foi o "Eyes Of Infinite", pela Hellion Records. Como vocês chegaram até a gravadora para oficializar este lançamento? O disco chegou a sair em outros países e continentes?

Deny / O "Eyes Of Infinite" é o nosso primeiro lançamento oficial. O disco foi gravado no Estúdio Clínica, em Curitiba, e contou com a produção de Murillo Da Rós, produtor e músico experiente que já trabalhou com bandas de metal como Steel Warrior, Dragonheart, Sad Theory, etc. As gravações ocorreram entre fevereiro de 2002 e abril de 2003, e quando estávamos com a matriz pronta, inclusive a parte gráfica e a faixa interativa, fomos até São Paulo apresentar o trabalho para o Moisés da Hellion. Ele analisou todo o trabalho, e nos fez uma boa proposta para o lançamento do álbum, e nós aceitamos. O álbum chegou às lojas em setembro de 2003, e a repercussão tem sido muito boa. Já obtivemos resenhas bastante positivas em várias revistas, sites e zines em toda a América Latina, em diversos países da Europa e até nos EUA. Já participamos de diversos programas de rádio e televisão, inclusive os conceituados Backstage e Stay Heavy, e temos feitos muitos shows de divulgação do álbum. O lançamento do álbum no exterior já foi acertado pelo Moisés com uma gravadora da Europa, que irá lançá-lo em todo o continente Europeu. A data de lançamento ainda não foi definida, mas creio que será logo.

Whiplash! - O que chama um pouco a atenção do disco é a boa produção concebida, tanto gráfica quanto sonora. Vocês podem nos explicar o conceito da capa o disco? Também sobre a experiência de trabalhar com o conceituado produtor Murillo Da Rós?

Deny / Obrigado pelo elogio! Bem, a idéia do nome do álbum era abranger todas as músicas do disco, por isso optamos por uma expressão que englobasse o título da primeira música "Eyes Of Tomorrow", e o da última "Infinite". A arte da capa representa a humanidade (a figura da mulher) caminhando em sua evolução infinita (o deserto com o horizonte ao fundo), sendo o tempo todo observada pelos olhos da Força Criadora de Tudo. As duas colunas, uma em cada lado, possuem símbolos esculpidos. Cada um desses símbolos representa uma música do álbum, estando relacionados com as respectivas letras. Com relação à parte sonora, ficamos realmente bastante satisfeitos com resultado alcançado. O Murillo é um excelente produtor, certamente um dos melhores do país, e, além disso, é um músico excepcional e que conhece metal. Para se ter uma idéia, ele já estudou música e produção musical na Europa, tocou guitarra em uma banda cover do Rush e é considerado o melhor violonista flamenco do país. Inclusive ele gravou uma participação especial no álbum, fazendo os violões flamencos da música "Shadows And Lies", que ficaram ótimos! Acabamos nos tornando grandes amigos, e apesar de morarmos em cidades relativamente distantes conversamos freqüentemente. Com relação à gravação, foi um grande aprendizado para nós. Tudo foi bem estudado, desde os timbres dos instrumentos, os arranjos, os 'takes', à mixagem e a masterização. Apesar de já termos entrado em estúdio com tudo bem arranjado e estudado, em todos os pontos o trabalho do Murillo foi fundamental para o resultado final.

Whiplash! - Acho que as melhores músicas do disco são "Eyes Of Tomorrow", "Dark Away" e "Paradise". No momento, quais são as que vêm obtendo melhor retorno nos shows da banda?

Jan / Estas que você citou sempre são muito bem recebidas pelo público. São músicas com uma pegada forte e um pique legal, e isso funciona bem nos shows. A "Dark Way" é a música que abre os shows de divulgação desse álbum, pois é uma música forte, daquele tipo que já vem "mostrando as travas da chuteira" (risos). Além delas, outras que costumam ser muito bem recebidas pelo público são a "Shadows And Lies" e a "To Live Forever". Nestes shows mais recentes também temos tocado uma música do próximo álbum que se chama "Push". Ela foi feita em homenagem ao show do Iron Maiden que vimos no início do ano passado, e realmente vem empolgando o pessoal. Temos algumas delas, inclusive a nova, para download gratuito em nosso site - www.perpetualdreams.net - todos estão convidados a conferir

Whiplash! - "Paradise" conta com a participação especial de André Fabian, da conhecida Steel Warrior. Como pintou a oportunidade de ter ele dividindo os vocais com Carlos D'Ávila nesta faixa?

Deny / O André é nosso grande amigo há um bom tempo. Dividimos o palco muitas vezes, e por isso acabamos desenvolvendo uma amizade, um respeito e uma admiração forte e recíproca entre nossas bandas.

Jan / E nada melhor que dividir os vocais com outro vocalista, já que a idéia da letra da música é falar sobre união para a construção de algo melhor. Como o André é um grande amigo nosso, resolvemos convidá-lo para uma participação especial em nosso álbum. Ele aceitou prontamente, e fez um ótimo trabalho! E olha que ele ainda teve que gravar a sua parte no dia do seu próprio aniversário!

Deny / Depois disso, eu tive a honra de participar do segundo CD da Steel Warrior "Army of the Time", gravando um solo na música "When We Were Kings". Fiquei realmente contente e honrado em ter participado do álbum deles.

Whiplash! - Outro fator que me chama a atenção é a parte multimídia do CD, contando com o histórico da banda, fotos, e muitas informações adicionais. Quem deu a idéia de fazer este tipo de trabalho "paralelo" ao CD?

Jan / Não lembro ao certo de quem foi a idéia inicial, mas depois todo mundo deu uns toques de como seria interessante fazer este trabalho. Quem esteve mais envolvido na produção da faixa fui eu mesmo por uma questão de divisão das tarefas, mas todos davam suas opiniões. Quando você abre a interativa, aparece uma imagem semelhante à da capa do CD, e os símbolos localizados nos pilares em cada lado da imagem abrem as seções da faixa multimídia. A interativa é algo que de certa forma agrega valor ao trabalho, e como este era nosso debute achamos que seria interessante apresentar a banda oferecendo informações como histórico, biografia dos músicos, fotos, papéis de parede, etc. Acho interessante que os álbuns tenham algum material extra. Isso deixa o trabalho mais completo.

Whiplash! - No bônus do CD temos uma versão editada de "To Live Forever". É uma alternativa para inserir a música em programas de rádio, criar um videoclipe e tudo mais para a promoção da faixa e conseqüentemente do Perpetual Dreams?

Deny / A idéia da versão editada de "To Live Forever" era realmente essa que você mencionou. De fato esta versão tocou em diversas rádios em programas de metal e até na programação normal em algumas delas. Ela acabou se tornando nossa "música de trabalho" para este álbum, até porque já havia uma versão demo no "Forever", então ela era uma música já um pouco mais conhecida que as demais. No início tínhamos a idéia de fazer um clipe para ela, mas acabou não rolando, e como agora já estamos trabalhando no próximo álbum, acho que não faz sentido fazermos um vídeo dela neste momento. Vídeos são realmente importantes na divulgação do trabalho da banda, mas no "Eyes Of Infinite", por diversos motivos, acabamos não fazendo um. No próximo álbum teremos um videoclipe da faixa "Push".

Whiplash! - Com o fim da promoção em torno do disco, que tipo de balanço vocês fazem, tanto em relação às vendas, quanto ao reconhecimento e os shows realizados?

Deny / Ainda faremos shows de divulgação do "Eyes Of Infinite" até junho. O álbum tem vendido muito bem, mas o mais importante é que as pessoas curtem o disco. Isto é gratificante para nós. Este reconhecimento é demonstrado nos shows, onde o público sempre tem nos recebido muito bem, curtindo o show e conversando conosco sobre o álbum. No geral, colhemos ótimos frutos com este trabalho, pois através da Hellion, que faz um excepcional trabalho de distribuição e divulgação de suas bandas, nosso som ficou conhecido em muitas partes do Brasil e do mundo. Também tivemos a oportunidade de mostrar nosso trabalho na mídia com a divulgação do álbum em propagandas, resenhas e entrevistas para diversas revistas, sites e zines, além de termos participado de vários programas de rádio e de televisão. A quantidade de shows aumentou bastante após o lançamento do álbum, e tivemos a oportunidade de tocar em lugares onde nunca tínhamos tocado. Ainda temos um longo caminho pela frente, mas temos certeza que o "Eyes Of Infinite" foi um ótimo primeiro passo. Isso nos deixa bastantes gratos com o público, com a Hellion e com a imprensa.

Whiplash! - Hoje vocês já estão planejando o próximo álbum da banda. Os fãs, o que podem esperar sobre o mesmo?

Jan / Na realidade já iniciamos o planejamento do próximo álbum no início de 2004. Gravamos uma pré-produção ainda no ano passado e já a apresentamos ao Moisés. Desta vez o a produção será do Deny, que montou um estúdio com acústica e equipamentos muito legais, o RVB Estúdios. Além do nosso, ele já gravou os trabalhos novos de várias bandas de metal do Sul como Steel Warrior, Before Eden, Mastervoid, Symmetry, Lyberty Expression, Transylvania, entre outras. O restante da banda supervisionará o trabalho. Como já falamos, os teclados foram gravados em SP no Brainless Brother's Estúdios com a supervisão do Fábio Ribeiro do Shaaman, que nos auxiliou na escolha de timbres e nos deu várias dicas para a produção dos teclados. Usamos os mesmos teclados que ele usa nas gravações e nos shows do Shaaman. São instrumentos incríveis com timbres inacreditáveis. Para nós foi uma experiência muito legal contar com o trabalho do Fábio que é um músico excepcional e uma ótima pessoa.

Deny / Também, neste próximo álbum, estamos trabalhando melhor o conceito sonoro do CD. Teremos um trabalho mais agressivo e direto, uma sonoridade mais pesada e sombria que no "Eyes Of Infinite". Como já dissemos, achamos a produção do "Eyes Of Infinite" excelente, mas para o álbum novo optamos por algo mais direto e pesado, principalmente pelo fato das músicas novas requererem este tipo de textura sonora. Na parte musical teremos músicas rápidas e pesadas, com partes instrumentais bem intensas e ao mesmo tempo com um 'feeling' agressivo e passagens clássicas. Além dos trabalhos específicos dos teclados, fizemos um trabalho especial com as baterias, que foram gravadas em uma sala de 48m2 com 4m de altura, o que lhe deu uma ambiência natural muito legal, e com as guitarras, que foram gravadas com amplificadores e distorção totalmente valvulados. Isso vai dar um som encorpado e com um 'drive' bastante forte. Além disto teremos um quarteto de cordas de verdade que fará um interlúdio orquestrado na música "Braveheart", faixa título do álbum. Ainda estamos confirmando algumas participações especiais de respeito que certamente contribuirão positivamente para o trabalho. Nossa previsão de lançamento é julho deste ano, pela Hellion Records.

Whiplash! - Qual a opinião de vocês sobre a atual cena underground brasileira? Ser uma banda de Santa Catarina atrapalha o trabalho de vocês a nível de divulgação no centro do país e exterior?

Jan / A cena underground é realmente forte. Já fizemos shows pelo Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, e Santa Catarina e tivemos a oportunidade de perceber que em todos esses lugares o público não apenas "curte" heavy metal, mas é realmente apaixonado pelo estilo! Essa paixão pelo metal faz com que a cena cresça forte e com consistência, diferente do que ocorre nos estilos criados pelas "modinhas". Além de forte a cena mostra-se unida. Isso acaba dando forças e oportunidades para as bandas alcançarem seus espaços. Em nosso estado temos vários eventos super bem organizados e com público grande e fiel como o River Rock, em Indaial, o Natal Metálico, em Balneário Camboriú, o Steel Festival, em Criciúma, o Floripa Metal Force, em Florianópolis, o Tschumi Stock, em Rio do Sul, e vários outros espalhados pelo estado. Com relação a ser de Santa Catarina, isto de certa forma dificulta um pouco as coisas, pois estamos um pouco longe do centro do país. Por exemplo, para fazer um show no Rio de Janeiro, nossa despesa acaba sendo bem maior do que a de uma banda de São Paulo, pois a distância para nós é maior, e, portanto, a nossa locomoção custará mais caro. Por outro lado, há algo positivo nisto, pois significa que se mesmo sendo de um lugar distante estamos conquistando nosso espaço, é porque temos potencial para isto. Acho que o público dos grandes centros tem um respeito muito legal com as bandas que vêm de lugares mais distantes. Eles sabem que se uma banda está tendo certo destaque mesmo com as dificuldades impostas pelas grandes distâncias, é porque esta banda tem potencial. Veja o exemplo da Khallice, de Brasília e da Steel Warrior, de Itajaí: são bandas estabelecidas longe dos grandes centros, mas mesmo assim, por suas qualidades e méritos alcançaram um grande destaque em todo o país, inclusive nos grandes centros.

Whiplash! - Com certeza. Obrigado pela entrevista, para finalizar peço que vocês deixem uma mensagem a todos que conferiram esta matéria no Whiplash!.

Jan / Gostaríamos de agradecer ao Whiplash pela oportunidade de divulgação de nosso trabalho e também parabenizar o site por todo apoio que sempre presta a cena metal nacional. Aproveitamos para convidar todos a visitarem nosso site - www.perpetualdreams.net - e conferirem nosso som. Temos algumas músicas para download grátis, inclusive uma do próximo álbum. Esperamos que vocês gostem! Esperamos vocês em algum show por aí! Se quiserem entrar em contato mandem e-mail para: perpetualdreams@perpetualdreams.net . Um abraço e até a próxima!



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Perpetual Dreams"


Perpetual Dreams: A coleção dos integrantes da banda catarinensePerpetual Dreams
A coleção dos integrantes da banda catarinense

Metal Catarinense: 10 bandas para se conhecer [Parte 1]Metal Catarinense
10 bandas para se conhecer [Parte 1]


Sexo e Rock and Roll: músicas com conotação sexualSexo e Rock and Roll
Músicas com conotação sexual

Mulheres no Rock: resistência em um meio machistaMulheres no Rock
Resistência em um meio machista