Angra - Entrevista exclusiva com Rafael Bittencourt

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Enviar correções  |  Comentários  | 


O novo Angra, depois de menos de um ano após o lançamento do álbum “Rebirth”, está lançando um mini álbum entitulado "Hunters and Prey". Nessa entrevista exclusiva, Rafael Bittencourt fala sobre o mini álbum, sobre a tour do "Rebirth " e muito mais.
1122 acessosAngra: discografia de volta ao Spotify5000 acessosAnthrax: Scott Ian apresenta a solução para o Phil Anselmo

Entrevista concedida à Rodrigo Vinhas

Whiplash! - Os novos integrantes corresponderam as expectativas de vocês?

Rafael / Sim, completamente. Não são pessoas inexperientes que estavam em uma posição de fãs do Angra, e sim, músicos profissionais competentes que estavam há muitos anos batalhando por uma boa oportunidade. Mas, como estavam no underground, nos ajudaram muito a compreender os pontos de vista do público e nos ajudaram a nos aproximar dos nossos fãs acabando com a era de estrelismo.

Whiplash! - Como está indo a tour do Rebirth?

Rafael / Muito bem, o fato de termos conquistado o disco de ouro no Brasil está nos ajudando muito. Fizemos programas de T.V. importantes, inclusive na Globo, o telefone toca o tempo inteiro para contratar o nosso show, viajamos o Brasil inteiro e ainda estamos viajando, passamos um mês na Europa com muitos shows cheios e, em junho, iremos fazer cinco shows no Japão e Taiwan.

Whiplash! - Hoje em dia você está atuando como músico fora do Angra?

Rafael / Sim, eu leciono Linguagem e Estruturação Musical (LEM) na Escola de Música e Tecnologia (EMT), cursos de guitarra particulares no EMT e no Conservatório Souza Lima e workshops por todo o Brasil. Acabo de fechar um patrocínio com a Peavey do Brasil que tem me ajudado muito em minha carreira pessoal.

Whiplash! - Quanto tempo levou para ser gravado “Hunters and Prey”?

Rafael / Um mês, mais ou menos, mas algumas bateras já haviam sido gravadas na Alemanha.

Whiplash! - O produtor Dennis Ward veio ao Brasil para acompanhar as gravações certo? Por que esse processo não foi usado em "Rebirth" ao invés de deslocar toda a banda a Alemanha?

Rafael / Porque antes o Dennis não conhecia o potencial dos estúdios nacionais e também, porque depois do sucesso de Rebirth foi mais fácil negociar bons preços com os estúdios, afinal vários estúdios queriam ter o Angra gravando lá.

Whiplash! - Você acha que gravando 2 músicas em uma versão acústica, o Angra pode atingir um público mais abrangente fora do meio heavy metal?

Rafael / Sim, mas não foi esta a razão principal pela qual nós fizemos isto. O nosso público é muito fiel e procuramos sempre agradá-lo, mas as rádios e tvs se negavam em executar nossa música o que estava dificultando um pouco a divulgação de Rebirth. Acredito que o Angra é um dos grandes responsáveis pela ampliação do mercado de Heavy-Metal no Brasil e não fizemos isto sem esforço. Para que o Heavy-Metal continue crescendo e existindo ele tem que ser rentável para as gravadoras e músicos, ou seja, ele precisa ser melhor divulgado e melhor aceito. Por isto fizemos as versões acústicas que foi como ter passado uma vaselina nos ouvidos dos programadores de rádio e tvs. Depois que entramos um pouquinho, foi mais fácil colocar o resto!!!

Whiplash! - Os teclados do Rebirth foram feitos por você e pelo Kiko certo? Os timbres das orquestras estão muito diferentes de músicas antigas do Angra como a Rainy Nights, Lisbon, Wings of Reality entre outras, você concorda? Vocês usaram os timbres de um teclado mesmo? Ou os timbres foram tirados de um sampler?

Rafael / Alguns timbres foram samplers, outros de teclados e alguns cellos foram gravados ao vivo por um cellista russo. Concordo que os timbres estão diferentes, principalmente porque o produtor é novo conosco. Nunca tivemos nenhuma pretensão de fazer este trabalho soar como os outros, é um novo disco, com uma nova formação em uma Nova Era!

Whiplash! - Qual é o processo de composição do Angra atualmente? Vocês não trabalham com colangens de idéias certo? Tudo que vai ser feito já é pré determinado? Fale sobre isso.

Rafael / Isto varia muito, a colagem de idéias é o método mais evitado! Cada um tem um estilo e jeito de encarar as idéias e desenvolvê-las. Na banda todos têm a liberdade de nos trazer material e a maneira que trabalhamos às vezes muda a cada trabalho ou a cada música. Mas as melhores idéias são aquelas que nascem de um improviso.

Whiplash! - Você sempre fez a maioria das músicas do Angra, agora o Kiko está compondo muito , isso causa algum desentendimento na banda, pois sempre foi estagnado, que o Kiko era o "guitar Hero" da banda e você o compositor. Fale sobre isso.

Rafael / Da mesma meneira que o Kiko está se desenvolvendo como compositor eu estou me desenvolvendo como guitarrista. Isto nunca gerou nenhum desentendimento porque sabemos a nossa evolução se deve ao convívio e ao aprendizado mútuo. Eu sou muito grato por tudo que ele já me ensinou na guitarra e sei que ele é grato também pelo o que ele aprendeu comigo sobre composição.

Whiplash! - Por que vocês resolveram regravar 2 músicas que sobraram de Holy Land, você não acha que seria melhor que você gravasse músicas feitas especialmente para voz do Edu? Ou vocês mudaram linhas melódicas das músicas?

Rafael / Por que eram músicas de parceria minha e do Kiko que nunca foram utilizadas oficialmente com a banda antiga. Com a voz do Edu as músicas melhoraram tanto que não conseguimos resistir a tentação de dividir com os fãs.

Whiplash! - Quem fez a arte da capa?

Rafael / Isabel De Amorim, a mesma que fez a do Fireworks, com a diferença de que o conceito estava mais amadurecido desta vez.

Whiplash! - Eu li em uma entrevista que no fim do ano vocês já pretendem entrar novamente em estúdio, você acredita que esse excesso de lançamentos, um tão perto do outro não acaba desgastando a banda? Além disso vocês terão que encurtar a tour do Rebirth, correto?

Rafael / Se o excesso se der por uma imposição de gravadoras e cláusulas contratuais, isto pode prejudicar a qualidade e desgastando a banda, mas, na verdade, estamos indo para o estúdio por uma necessidade criativa. Estamos todos muito contentes e aliviados que a parte mais difícil para a nova formação já passou, não temos mais que provar nada para ninguém e queremos, agora, desfrutar desta liberdade para podermos experimentar mais etc. Estamos nos sentindo muito inspirados por todas as conquistas positivas que estamos passando e queremos traduzir isto em músicas boas. A boa hora para se compor é quando estamos bem, não é bom deixar este momento para depois.

Whiplash! - O Angra hoje está num patamar muito alto, em questão de vendas e popularidade. Você acha que isso se deve a um modo de compor, fazendo músicas bem menos expermentais do que em antigos trabalhos da banda como Holy Land e Fireworks?

Rafael / Não, música é uma ciência inexata e os critérios vão muito além da quantidades de elementos musicais ou de notas na partitura. Acredito que este grande sucesso se deu porque as pessoas notaram a sinceridade com que foram feitas cada música deste trabalho, o excelente entrosamento dos novos membros com os antigos, a força dos diferentes talentos na banda e também, é claro, a qualidade das idéias.

Whiplash! - Como as aparições do Angra na televisão tem impulsionado a banda?

Rafael / Melhor impossível, temos vendido mais discos e shows por todo o Brasil e America Latina. A TV é um ponto crucial para que as pessoas percebam que o Heavy-Metal moderno é muito mais do que fazer cara de mau, e está relacionado muito mais com um jeito de se fazer música do que com a atitude dos músicos.

Whiplash! - Deixe uma mensagem para os fãs do Angra.

Rafael / Para todos os fãs do Angra que lerem estas linhas, eu desejo muita força e luz em suas vidas. Obrigado por continuarem conosco e espero poder estar sempre lhes satisfazendo. Valeu!

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

AngraAngra
Veja Rafael "ensinando" Valverde a tocar bateria

1122 acessosAngra: discografia de volta ao Spotify1290 acessosAngra e Hangar: Fábio Laguna conta como entrou nas bandas2419 acessosAngra: "reunião" durante aniversário de Paulo Baron, veja vídeo640 acessosBruno Sa: comenta a morte de Paul O'Neill e relembra audição1075 acessosAquiles Priester: No lugar onde montou a sua primeira bateria0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Angra"

Dr. SinDr. Sin
Felipe Andreoli, do Angra, lamenta o fim da banda

Kiko LoureiroKiko Loureiro
"Randy Rhoads foi como um grande herói para mim"

Kiko LoureiroKiko Loureiro
"O Megadeth percebe o que trago da experiência do Angra"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Angra"0 acessosTodas as matérias sobre "Rafael Bittencourt"

AnthraxAnthrax
Scott Ian apresenta a solução para o Phil Anselmo

SlayerSlayer
Kerry King explica como se deve balançar a cabeça

AC/DCAC/DC
Axl foi mal no ensaio, mas banda teve paciência

5000 acessosContra-baixo: as melhores introduções do Heavy Metal5000 acessosSlipknot: Joey Jordison revela o verdadeiro motivo de sua saída5000 acessosSebastian Bach: descrevendo o horror de urinar com Phil Anselmo4308 acessosDeep Purple: Procurando as popozudas no Casseta e Planeta em 20034009 acessosMarilyn Manson: "a cantora Lady Gaga é parecida comigo"5000 acessosKamelot: ex-vocalista Roy Khan canta "You Raise Me Up"

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online