Angra - Entrevista exclusiva com Rafael Bittencourt

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Enviar correções  |  Comentários  | 


O novo Angra, depois de menos de um ano após o lançamento do álbum “Rebirth”, está lançando um mini álbum entitulado "Hunters and Prey". Nessa entrevista exclusiva, Rafael Bittencourt fala sobre o mini álbum, sobre a tour do "Rebirth " e muito mais.

201 acessosRafael Bittencourt: "Eu nunca fui tão feliz", making of #235000 acessosPlayback.FM: saiba qual a música mais tocada nas rádios no dia que você nasceu

Entrevista concedida à Rodrigo Vinhas

Whiplash! - Os novos integrantes corresponderam as expectativas de vocês?

Rafael / Sim, completamente. Não são pessoas inexperientes que estavam em uma posição de fãs do Angra, e sim, músicos profissionais competentes que estavam há muitos anos batalhando por uma boa oportunidade. Mas, como estavam no underground, nos ajudaram muito a compreender os pontos de vista do público e nos ajudaram a nos aproximar dos nossos fãs acabando com a era de estrelismo.

Whiplash! - Como está indo a tour do Rebirth?

Rafael / Muito bem, o fato de termos conquistado o disco de ouro no Brasil está nos ajudando muito. Fizemos programas de T.V. importantes, inclusive na Globo, o telefone toca o tempo inteiro para contratar o nosso show, viajamos o Brasil inteiro e ainda estamos viajando, passamos um mês na Europa com muitos shows cheios e, em junho, iremos fazer cinco shows no Japão e Taiwan.

Whiplash! - Hoje em dia você está atuando como músico fora do Angra?

Rafael / Sim, eu leciono Linguagem e Estruturação Musical (LEM) na Escola de Música e Tecnologia (EMT), cursos de guitarra particulares no EMT e no Conservatório Souza Lima e workshops por todo o Brasil. Acabo de fechar um patrocínio com a Peavey do Brasil que tem me ajudado muito em minha carreira pessoal.

Whiplash! - Quanto tempo levou para ser gravado “Hunters and Prey”?

Rafael / Um mês, mais ou menos, mas algumas bateras já haviam sido gravadas na Alemanha.

Whiplash! - O produtor Dennis Ward veio ao Brasil para acompanhar as gravações certo? Por que esse processo não foi usado em "Rebirth" ao invés de deslocar toda a banda a Alemanha?

Rafael / Porque antes o Dennis não conhecia o potencial dos estúdios nacionais e também, porque depois do sucesso de Rebirth foi mais fácil negociar bons preços com os estúdios, afinal vários estúdios queriam ter o Angra gravando lá.

Whiplash! - Você acha que gravando 2 músicas em uma versão acústica, o Angra pode atingir um público mais abrangente fora do meio heavy metal?

Rafael / Sim, mas não foi esta a razão principal pela qual nós fizemos isto. O nosso público é muito fiel e procuramos sempre agradá-lo, mas as rádios e tvs se negavam em executar nossa música o que estava dificultando um pouco a divulgação de Rebirth. Acredito que o Angra é um dos grandes responsáveis pela ampliação do mercado de Heavy-Metal no Brasil e não fizemos isto sem esforço. Para que o Heavy-Metal continue crescendo e existindo ele tem que ser rentável para as gravadoras e músicos, ou seja, ele precisa ser melhor divulgado e melhor aceito. Por isto fizemos as versões acústicas que foi como ter passado uma vaselina nos ouvidos dos programadores de rádio e tvs. Depois que entramos um pouquinho, foi mais fácil colocar o resto!!!

Whiplash! - Os teclados do Rebirth foram feitos por você e pelo Kiko certo? Os timbres das orquestras estão muito diferentes de músicas antigas do Angra como a Rainy Nights, Lisbon, Wings of Reality entre outras, você concorda? Vocês usaram os timbres de um teclado mesmo? Ou os timbres foram tirados de um sampler?

Rafael / Alguns timbres foram samplers, outros de teclados e alguns cellos foram gravados ao vivo por um cellista russo. Concordo que os timbres estão diferentes, principalmente porque o produtor é novo conosco. Nunca tivemos nenhuma pretensão de fazer este trabalho soar como os outros, é um novo disco, com uma nova formação em uma Nova Era!

Whiplash! - Qual é o processo de composição do Angra atualmente? Vocês não trabalham com colangens de idéias certo? Tudo que vai ser feito já é pré determinado? Fale sobre isso.

Rafael / Isto varia muito, a colagem de idéias é o método mais evitado! Cada um tem um estilo e jeito de encarar as idéias e desenvolvê-las. Na banda todos têm a liberdade de nos trazer material e a maneira que trabalhamos às vezes muda a cada trabalho ou a cada música. Mas as melhores idéias são aquelas que nascem de um improviso.

Whiplash! - Você sempre fez a maioria das músicas do Angra, agora o Kiko está compondo muito , isso causa algum desentendimento na banda, pois sempre foi estagnado, que o Kiko era o "guitar Hero" da banda e você o compositor. Fale sobre isso.

Rafael / Da mesma meneira que o Kiko está se desenvolvendo como compositor eu estou me desenvolvendo como guitarrista. Isto nunca gerou nenhum desentendimento porque sabemos a nossa evolução se deve ao convívio e ao aprendizado mútuo. Eu sou muito grato por tudo que ele já me ensinou na guitarra e sei que ele é grato também pelo o que ele aprendeu comigo sobre composição.

Whiplash! - Por que vocês resolveram regravar 2 músicas que sobraram de Holy Land, você não acha que seria melhor que você gravasse músicas feitas especialmente para voz do Edu? Ou vocês mudaram linhas melódicas das músicas?

Rafael / Por que eram músicas de parceria minha e do Kiko que nunca foram utilizadas oficialmente com a banda antiga. Com a voz do Edu as músicas melhoraram tanto que não conseguimos resistir a tentação de dividir com os fãs.

Whiplash! - Quem fez a arte da capa?

Rafael / Isabel De Amorim, a mesma que fez a do Fireworks, com a diferença de que o conceito estava mais amadurecido desta vez.

Whiplash! - Eu li em uma entrevista que no fim do ano vocês já pretendem entrar novamente em estúdio, você acredita que esse excesso de lançamentos, um tão perto do outro não acaba desgastando a banda? Além disso vocês terão que encurtar a tour do Rebirth, correto?

Rafael / Se o excesso se der por uma imposição de gravadoras e cláusulas contratuais, isto pode prejudicar a qualidade e desgastando a banda, mas, na verdade, estamos indo para o estúdio por uma necessidade criativa. Estamos todos muito contentes e aliviados que a parte mais difícil para a nova formação já passou, não temos mais que provar nada para ninguém e queremos, agora, desfrutar desta liberdade para podermos experimentar mais etc. Estamos nos sentindo muito inspirados por todas as conquistas positivas que estamos passando e queremos traduzir isto em músicas boas. A boa hora para se compor é quando estamos bem, não é bom deixar este momento para depois.

Whiplash! - O Angra hoje está num patamar muito alto, em questão de vendas e popularidade. Você acha que isso se deve a um modo de compor, fazendo músicas bem menos expermentais do que em antigos trabalhos da banda como Holy Land e Fireworks?

Rafael / Não, música é uma ciência inexata e os critérios vão muito além da quantidades de elementos musicais ou de notas na partitura. Acredito que este grande sucesso se deu porque as pessoas notaram a sinceridade com que foram feitas cada música deste trabalho, o excelente entrosamento dos novos membros com os antigos, a força dos diferentes talentos na banda e também, é claro, a qualidade das idéias.

Whiplash! - Como as aparições do Angra na televisão tem impulsionado a banda?

Rafael / Melhor impossível, temos vendido mais discos e shows por todo o Brasil e America Latina. A TV é um ponto crucial para que as pessoas percebam que o Heavy-Metal moderno é muito mais do que fazer cara de mau, e está relacionado muito mais com um jeito de se fazer música do que com a atitude dos músicos.

Whiplash! - Deixe uma mensagem para os fãs do Angra.

Rafael / Para todos os fãs do Angra que lerem estas linhas, eu desejo muita força e luz em suas vidas. Obrigado por continuarem conosco e espero poder estar sempre lhes satisfazendo. Valeu!

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

201 acessosRafael Bittencourt: "Eu nunca fui tão feliz", making of #23237 acessosRedeTV!: Sonoridades entrevista a banda Angra nesta quinta-feira512 acessosAngra Fest: Fabio Lione e Pompeu convidam fãs para o festival3679 acessosNando Moura: a trolagem do Megadeth e o Top 5 do Kiko Loureiro3747 acessosAngra: "É o melhor baixista com quem eu já trabalhei, um MONSTRO!"5000 acessosKiko Loureiro: "minha resposta para o Nando Moura"0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Angra"

Temple of ShadowsTemple of Shadows
A saga do Caçador da Sombra

Kiko LoureiroKiko Loureiro
Como ele vê ser chamado de melhor guitarrista por Dave Mustaine

Kiko LoureiroKiko Loureiro
Entrar no Megadeth não mudará nada no Metal Nacional

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Angra"0 acessosTodas as matérias sobre "Rafael Bittencourt"


Playback.FMPlayback.FM
A música mais tocada nas rádios quando você nasceu

Iron MaidenIron Maiden
Veja Bruce abandonando o palco em 1999

Dream TheaterDream Theater
Estranhas semelhanças na capa de álbum

5000 acessosTico Santa Cruz: um comovente texto sobre suicídio de Champignon5000 acessosMegadeth: Pepeu Gomes comenta convite e fala sobre Kiko Loureiro5000 acessosSilverchair: a história por trás da capa de Freak Show5000 acessosUltimate Classic Rock: as melhores músicas do Iron Maiden desde 19995000 acessosPink Floyd: as dez músicas mais pesadas da banda4035 acessosMarilyn Manson: de bigode e vestido em capa de revista

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.


Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online