Gangrena Gasosa - Entrevista exclusiva.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Enviar correções  |  Ver Acessos

Eis que das profundezas das trevas aquecidas por enxofre surge a Gangrena Gasosa, formada por Angelo Arede (vocal), Ronaldo "Chrorão" (vocal), Fábio Lessa (percussão), Felipe (baixo), Vladimir (guitarra) e Mutley (bateria). A banda, com seus nove anos de estrada, sendo natural do Rio de Janeiro (capital), chega ao seu segundo CD intitulado de "Smells Like a Tenda Spirita" (Qualquer semelhança com o Nirvana não é merca coincidência). Sempre apoiada em sua temática principal, ou seja, a macumbaria, a banda destila hardcore e thrash em uma mistura genial com tambores (típico de terreiros), denominada de "saravá metal".

Axl Rose: Afinal de contas, o que houve com sua voz?Humor: Ser prog metal é mais que saber tocar em modo frígio

Nesta entrevista o leitor poderá perceber que a Gangrena Gasosa é um grupo que usa e abusa de muito humor, mas sem deixar de ser séria e comprometida com suas metas dentro do saravá metal. Para esta ocasião conversamos com Angelo Arede e Vladimir, respectivamente um dos vocalistas e o guitarrista; você simplesmente irá delirar com as novas siglas do cenário banger brasileiro, ou seja, "LCCENS" e "BAPBR". Para finalizar, quem adivinhar levará como prêmio a maldição do Exú-Morcego. Quer saber qual é? Confira!

Por André Toral.

Whiplash! / Como vocês poderiam definir a evolução do Gangrena Gasosa desde os tempos das demos, passando pelo primeiro CD e chegando em Smells Like a Tenda Espírita, seu segundo álbum?

Angelo Arede / No começo, como todos sabem, foi somente a vontade de formar uma banda para abrir um show do RxDxPx. De saravá metal na demo "Saravá Metal, o santo de casa também faz milagres!", só tinha mesmo as vinhetas entre uma música e outra, que eram o puro suco do hardcore tosco. Depois, entre algumas mudanças de formação, juntamos material para o "Welcome to Terreiro" depois de conseguirmos abrir o show do Ratos de Porão no Circo Voador e sermos convidados pelo André X (baixista da Plebe Rude), que era sócio do Dado Villa-Lobos (da Legião Umbanda) na Rockit! (eca!). A repercussão deste LP (sim, LP, bolachão) foi ótima, tendo exposição em todo meio de mídia da época, sem jabá nem ajuda nenhuma da Rockit! (eca!). Só que depois disso, o nosso ilustríssimo camarada, amigão do peito, o Dado Villa-Lobos (da Legião Umbanda) nos amarrou a um contrato que só nos beneficiou e enriqueceu demais; claro, nos proibindo de lançar qualquer coisa que não fosse pela Rockit! (eca!). Sabemos que até aí "morreu neves", só que quando percebemos o erro "Inês" já era morta! O problema foi que o do Dado Villa-Lobos (da Legião Umbanda) depois da 1º prensagem (3000 LPs esgotados em 3 meses), além de alegar dificuldades para fazer outra, não aceitava nenhum material novo pelo simples fato de, infelizmente para ele, não estarmos fazendo um som alternativo e gay!. Ficamos nessa 5 anos e a banda quase acabou. Mais eis que no ano de 1998 ressurge, em meio à uma fumaça de enxofre, para o desespero do BAPBR (Batalhão de Alternativos em Prol da Boiolização do Rock), o ícone de toda maldade, do cinismo, da cara-de-pau... a GANGRENA GASOSA!!! "Smells Like a Tenda Spirita" foi feito em 1998, mesmo ainda sem estarmos com nenhuma gravadora, pois fizemos a parceria com a Tamborete Entertainment somente em 1999. Decidimos fazer outro pacto com o além aumentando a hipoteca de nossas almas. Agora sim, vamos mais longe.

Vladimir / Lançamos a primeira demo em 91 com quatro músicas que fazem parte do primeiro Cd (Welcome to terreiro '93) com músicas do início da banda; depois participamos da coletânea No Major Babes com "Arizé" e "Benzer até morrer/Kurimba ruim" na coletânea Traidô. E agora "Smells Like a tenda Spirita", de 1999.

Whiplash! / Durante toda a existência da banda, o tema principal sempre foi a macumba e afins. Em Smells Like a Tenda Spirita a banda quis, de vez, afirmar sua diferenciação?

Angelo / É um processo natural. Depois de 9 anos nós aprendemos a tocar mais de 4 acordes, mais de 3 ritmos, e a fazer 2 tipos de grunhido. Como divulgar a macumba faz parte do nosso pacto, enfiamos isso pela goela abaixo dos metaleiros com força e com vontade.

Vladimir / Nós simplesmente não procuramos estar na moda ou dentro de alguma tendência e sim fazer a música que nós gostamos.

Whiplash! / É importante para o Gangrena Gasosa ser diferente, explorando um nicho no meio musical, que é a temática de macumba?

Angelo / É importantíssimo. Principalmente levando-se em conta que caso não divulgássemos as peripécias do além-túmulo, não conseguiríamos pagar a hipoteca de nossas almas, que para conseguirmos algo, foi muito cara!

Vladimir / Não estamos nem aí pro mercado, tendência; procuramos fazer o que gostamos.

Whiplash! / Na primeira página do encarte do CD, existe uma carta que, segundo consta, foi psicografada por um pai de santo chamado William de Angola, isso é verdade mesmo? Como aconteceu?

Vladimir / Sim.

Angelo / Ele é um pai-de-santo de Duque de Caxias e foi o nosso mediador no pacto. Ele recebeu o Exú-Morcego que nos disse para explicarmos e praticarmos sua maldição. Você sabe qual é?(A maldição do Exú- Morcego é meu pau no teu rego, traduzindo)

Whiplash! / Aliás, ao longo do mesmo encarte, existem várias histórias em quadrinhos divertidíssimas. De onde surgiu tanta inspiração?

Angelo / A inspiração é do Allan Sieber, super camarada que nos emprestou seu talento. Ele inclusive já ganhou vários prêmios (até internacionais) por suas obras.

Vladimir / Nós já a tínhamos a dois anos e é tão legal que não poderia deixar de entrar.

Whiplash! / A banda adaptou a história do Centro do Pica Pau Amarelo para realidade de conteúdo que se propõem a apresentar. Inclusive, vocês se referem a Monteiro Lobato(o inventor desta literatura infantil), como "Macumbeiro Lobato". Apesar de ser uma brincadeira, a banda realmente enxerga outras versões em clássicos de literatura, televisão etc.?

Angelo / Acho que não é nenhum segredo para muitos que nosso camarada Monteiro Lobato era ultra-mega-macumbeiro. Segundo dizem, ele tinha um pacto parecido com o nosso. Repare bem. Todos os personagens do "Sítio do pica-pau amarelo" são na verdade entidades já desencarnadas.

Vladimir / Sempre estamos conversando sobre o que se passa na TV ou no cinema desde coisas muito ruins até coisas muito boas.

Whiplash! / A música Headbanger Voice é um protesto à seção de mesmo nome da revista Rock Brigade?

Angelo / Na verdade, esta música é como um apanhado de todas as cartas que aqueles "blackdoomsatanásgrindcoresplattermetal" que escrevem para a Brigade e enchem o saco dizendo que preferiam a revista quando era apenas um fanzine em preto e branco por que colocavam mais bandas satanás, dizendo que o falso metaleiro tem que morrer, e coisas assim. Meus amiguinhos LCCENS (Lambedores de Cú de Cachorro Em Nome de Satanás), louvem os diabos do Brasil, que são bem melhores e falam português.

Whiplash! / Benzer Até Morrer e Kurimba Ruim também foi uma adaptação de Beber Até Morrer, original do Ratos de Porão. Sua letra é totalmente diferente e narra um assunto típico de saravá metal. O Gangrena Gasosa ficou sabendo da opinião do João Gordo ou algum integrante do Ratos? Qual foi?

Angelo / A melhor possível. Tanto é, que no tributo ao Ratos - do qual participamos com a 1º faixa - a letra até saiu no encarte, pois o Phú (do DxFxCx, que teve a idéia do Tributo) e o Gordo acharam muito legal.

Vladimir / A galera em geral gostou, principalmente o Phú que colocou como primeira faixa e deu destaque à letra.

Whiplash! / Além de ser um clássico, Bloodline Chupacabra trata de um tema extraterrestre. Alguém na banda acredita na existência de alienígenas?

Angelo / Já fizemos contato, inclusive.

Vladimir / Eu acredito; o Enéas é um ET(Aquele do "meu nome é Enéias; dá-lhe bomba atômica)!

Whiplash! / Chorão e Angelo dividem o vocal. Que critérios de divisão foram utilizados, tanto em Smells Like a Tenda Espírita quanto em shows?

Angelo / Quem alcançar 4387 decibéis primeiro fica com as partes mais legais.

Vladimir / A banda tem dois vocais desde o início e já é uma coisa natural a divisão das letras.

Whiplash! / A produção também ficou excelente para o estilo hardcore e thrash que a banda faz. Como se chegou a este nível?

Angelo / Obra do nosso camarada Rogério Lopez (guitarrista da banda Vitória-Régia, que era do Tim Maia), que, sem sacanagem nenhuma, é um gênio. Mesmo sem termos na época muitas expectativas com o CD por estarmos desacreditados, ele foi mais otimista e trabalhou mais do que os próprios integrantes da banda; era para ter ficado bem melhor se não houvesse tantos problemas na época.

Vladimir / Nós tínhamos pouco dinheiro até para uma produção independente. Então resolvemos, ao invés de investirmos em qualidade de estúdio, procurar ficar o maior tempo possível experimentando timbres e sons de percussão, que foram a maior dificuldade para se trabalhar com elementos musicais tão diferentes. Tivemos sorte em contar com a ajuda do Rogério Lopez que não só foi um produtor mas também um irmão e mais um membro da banda. Nós mesmo não acreditávamos que com pouco dinheiro o resultado sairia tão legal porque a maioria dos estúdios que trabalhamos não compreendiam o trabalho e sempre colocavam empecilhos e dificuldades nas idéias que tínhamos. Daí levamos até as ultimas conseqüências essas idéias mesmo que o trabalho não saísse tão bom, mas tivemos sorte em trabalhar em um estúdio onde as pessoas tinham mente aberta para compreender o resultado final.

Whiplash! / Existe um público que, por não conhecerem, associam o Gangrena Gasosa a uma banda engraçadinha, mas a musicalidade é eficiente e madura. Vocês acham que é incômodo quando o povo enxerga desta maneira?

Angelo / É só ir a um show nosso ou ouvir o "Smells Like a Tenda Spirita" que essa cambada de palhaços vai ver que o buraco é mais embaixo, o pau come solto na casa de "Noca", amigo. Mas não incomoda não, afinal sempre teremos as mães deles para chamarmos de puta!(risos)

Vladimir / Não me importo como as pessoas que não conhecem a banda, pois sei que depois do show as opiniões sempre mudam.

Whiplash! / Normalmente, as pessoas pensam que os integrantes do Gangrena Gasosa fazem parte de algum grupo que se reúne em terreiros de macumba. Afinal, a banda é macumbeira e freqüenta terreiros?

Angelo / A maioria dos integrantes sim.

Vladimir / Freqüento desde moleque, mas agora estou meio afastado.

Whiplash! / Para trabalhos futuros, a banda continuará com o saravá metal ou existe a possibilidade de abrir espaço para outros temas?

Angelo / Como já dissemos antes, nosso pacto foi feito com a condição de divulgar o poder das entidades.

Vladimir / Não posso falar sobre as letras já que sou músico, mas musicalmente só mudaria para ficar mais agressivo ainda.

Whiplash! / Como você analisa a receptividade para Smells Like a Tenda Espírita em todo o Brasil?

Angelo / Está boa. Pessoas de todas as partes do Brasil escrevem para nossa Cx. Postal ou mandam e-mails pedindo o CD. O nosso problema está na distribuição que, por ser feita por uma gravadora independente, é fraca. Mas já acabou a primeira prensagem.

Vladimir / Acima do esperado. Ficamos seis anos fora da mídia e de repente lançamos o CD; vimos ele sumir rapidamente mesmo com pouca divulgação e distribuição. As pessoas acabam dando um jeito de entrar em contato com a gente.

Whiplash! / A nível internacional, a banda tem se esforçado para conquistar espaço, apesar de cantar em idioma português?

Angelo / Estamos com boas novidades que só poderão ser reveladas mais tarde.

Vladimir / Estamos em contato com várias pessoas de fora do país e esperamos, para o ano que vem, fazer uma tournê na Europa e lançar o "Smells..." por lá. Existem várias pessoas ajudando a gente aqui no Brasil. O pessoal do Ação Direta, Mukeka di Rato e Ratos de Porão sempre nos ajudaram neste sentido.

Whiplash! / O que você diria para aquele fã que nunca presenciou um show do Gangrena Gasosa?

Angelo / Quem quer ver neguinho descendo a lenha, virando um concreto, vai ao show certo; não tem descanso. Quem sabe até pode dar a sorte de catar um frango ou uma garrafa de cachaça do nosso despacho.

Vladimir / Se você quer música pesada e sem frescura está no lugar certo.

Whiplash! / Que recado você tem para os fãs já conquistados?

Angelo / Ao invés de louvar aqueles capetas lá de fora, arreie um despacho ouvindo saravá metal em casa no maior relax e louvando os diabos brasileiros, o resultado é bem mais rápido. Ah, quem não achar nosso CD na sua cidade pode nos escrever (Email ou Cx. Postal), ou telefonar, que providenciaremos imediatamente.

Vladimir / Fuck off e valeu a força.

Whiplash! / Deixe um recado para o site Whiplash!

Angelo / É ótima a iniciativa de vocês apoiarem o underground e a música pesada na Internet, hoje em dia tão recheada de viadagem. Se depender de nós, estaremos sempre aí para ajudar e contribuir para o aumento da legião de psicóticos, ladrões, estelionatários, traficantes, esquizofrênicos que curtem não só o saravá metal como qualquer música de sujeito macho na parada.

Vladimir / Espero que mais sites como o do Whiplash! se disponham a dar a mesma força que vocês nos estão dando. Agradeço o espaço. Valeu!

Para contactar a banda : thraxango@zipmail.com.br

Para acessar o site oficial da banda : http://welcome.to/terreiro

Endereço : GANGRENA GASOSA A/C Ronaldo Chorão
Cx. Postal 37773 - CEP 22642-970 - RJ/RJ

Telefone para contatos : (21) 9234-5523 (Vladimir)



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Gangrena Gasosa"


Metal: 5 músicas inacreditavelmente insanas. Isso existe mesmo?Metal
5 músicas inacreditavelmente insanas. Isso existe mesmo?


Axl Rose: Afinal de contas, o que houve com sua voz?Axl Rose
Afinal de contas, o que houve com sua voz?

Humor: Ser prog metal é mais que saber tocar em modo frígioHumor
Ser prog metal é mais que saber tocar em modo frígio