Helter Skelter: a canção que Manson roubou dos Beatles

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Paulo Severo da Costa
Enviar correções  |  Comentários  | 

Em nove de agosto de 1969, a casa do cineasta ROMAN POLANSKI foi invadida por um grupo pseudo-religioso de fanáticos conhecidos como Família Manson, resultando no espancamento e assassinato de seus ocupantes, entre eles a esposa do diretor, a atriz SHARON TATE. O grupo, liderado por CHARLES MANSON, atacou novamente na noite seguinte, matando o casal LENO e ROSEMARY LA BIANCA, escrevendo nas paredes, com o sangue das vítimas, as frases “morte aos porcos” e “Helter Skelter”, título de uma canção dos BEATLES lançada em novembro do ano anterior.

547 acessosBeatles: Sgt. Peppers vai ganhar versão mega especial de 50 anos5000 acessosPagando mico: 10 maneiras de ser expulso ou humilhado em um show

O caso acabou tomando proporções tão gigantescas que a frase “a canção que Charles Manson roubou dos Beatles” se tornou uma identificação posterior quando o U2 gravou a faixa, e o simbolismo da ocorrência, juntamente com os acontecimentos do show de Altamont dos STONES, são utilizados por vários historiógrafos como o fim da era flower-power e, o duro início dos anos setenta, marcados por recessões econômicas, consumo voraz de drogas pesadas e a mudança nos rumos sonoros do rock n´roll.

“Helter Skelter”, lançada no chamado “Àlbum Branco “- que a exemplo do “Álbum Preto” do METALLICA não tem nome e ficaram assim conhecidos – foi acusada de conter mensagens subliminares - e toda espécie de cretinice esperada pela bancada de oposição ao rock n´roll. MANSON, no alto de sua insanidade, declarou que havia entendido o recado da banda de Liverpool – segundo ele, a letra continha a conclamação de uma guerra racial necessária e iminente.

Pirações a parte, a canção foi desenvolvida a partir de uma crítica feita por CHRIS WELCH na revista Melody Maker a respeito de “I Can See for Miles”, em que, entre várias menções elogiosas, disse que a faixa do THE WHO era o “rock n´roll mais alto e rouco, a coisa mais sórdida que já tinham feito”.

Esse comentário foi o suficiente para cutucar com vara curta o ego colossal de PAUL McCARTNEY. Sempre procurando a superação – louvável, por sinal – de seus pares, o baixista escreveu o grosso da canção, gravado em julho de 68 em um take “bruto” de uma hora, transformado na versão definitiva em setembro daquele ano. “Helter” é reconhecida como uma das primeiras faixas de proto-metal da história, construída sobre um riff cru e furioso, alicerçado pelo vocal semi-psicótico de PAUL. A bateria desesperada de RINGO fez com que ele jogasse suas baquetas longe, e o grito de “estou com bolha nos meus dedos!”, entrou para o take final da gravação.

Quarenta e quatro anos depois, a canção ainda é motivo de controvérsia e debate, com muita gente insistindo em achar significados ocultos no registro. Mas a melhor das interpretações sobre a faixa, ainda veio de JOHN LENNON: “Para mim era só barulho”.

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Paul McCartneyPaul McCartney
De volta ao Brasil no final do ano, diz jornal

547 acessosBeatles: Sgt. Peppers vai ganhar versão mega especial de 50 anos1983 acessosRingo Starr: quem é maior, Beatles ou Justin Bieber?3559 acessosBeatles: documentário será lançado no cinema em Maio1023 acessosThe Beatles: tracklist detalhado da nova edição do "Sgt. Peppers"0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Beatles"

BBCBBC
As canções com maior poder de cura da história

David GilmourDavid Gilmour
Ouça canção dos Beatles com seu toque genial

ObservadorObservador
Os 15 discos mais vendidos de todos os tempos

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 28 de março de 2014

0 acessosTodas as matérias da seção Curiosidades0 acessosTodas as matérias sobre "Beatles"

Pagando micoPagando mico
10 maneiras de ser humilhado em um show

SlayerSlayer
Araya fala sobre fé e sua relação com o cristianismo

Novas caras do metalNovas caras do metal
40 bandas que você precisa conhecer

5000 acessosFreddy Frenzzy: O vocal que trocou Hard Rock por forró ostentação5000 acessosPaulo Schroeber: nota oficial sobre falecimento do guitarrista5000 acessosMegadeth: novo álbum fez Slash ser multado5000 acessosAC/DC: como Angus responde a um copo de cerveja atirado?5000 acessosBill Wyman: ex diz que ele a desvirginou aos 13 anos5000 acessosTatuagens: os piores rabiscos de rockstars transplantados para fotos reais

Sobre Paulo Severo da Costa

Paulo Severo da Costa é ensaísta, professor universitário e doente por rock n´roll. Adora críticas, mas não dá a mínima pra elas. Email para contato: joaopsevero@bol.com.br.

Mais matérias de Paulo Severo da Costa no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online