Matérias Mais Lidas

imagemA resposta de John Lennon quando perguntado se retornaria aos Beatles em 1975

imagemO clássico dos Paralamas que Gilberto Gil escreveu a letra e ditou pelo telefone

imagemCinco curiosidades sobre "The Sick, The Dying... And The Dead!", do Megadeth

imagemEric Clapton comenta a lenda do pacto com o diabo feito por Robert Johnson

imagemO clássico da Legião inspirado em novela da TV Globo e acusado de plagiar The Doors

imagemTúnel do Tempo: 25 músicas que mostram por que 1991 é um ano tão celebrado

imagemTúnel do Tempo: 25 músicas que mostram por que 1984 é um ano vital para o metal

imagemBob Dylan explica a diferença entre suas composições e as de Paul McCartney

imagemQuantos discos o Guns N' Roses vendeu no Brasil e no mundo? Veja os números

imagemKiss: Tommy Thayer responde se Gene Simmons e Paul Stanley se dão bem

imagemTúnel do Tempo: 25 músicas que mostram por que 1988 é um ano inesquecível

imagemCadáveres, sangue e girombas: a história da capa de "Reign In Blood", do Slayer

imagemNey Matogrosso relembra como foi abrir o Rock in Rio de 1985

imagemO rock está morto? Alice Cooper responde Gene Simmons: "Não acredito!"

imagemComo o clássico "Angel Dust" fez o guitarrista Jim Martin sair do Faith No More


Stamp

Mick Jagger: viciado, deu em cima até da terapeuta sexual

Por Breno Airan
Fonte: Rock na Velha
Em 17/07/12

Quando tinha seus 15 anos, MICK JAGGER se exercitava bastante e praticava muitos esportes a mando de seu pai, formado em Educação Física, coisa que ele não gostava muito.

Num dos habituais jogos de basquete, o futuro cantor dos ROLLING STONES recebeu uma violenta cotovelada que culminou num "corte" em sua língua.

Decerto, a palavra "corte" não seria adequada, porque o pequeno Jagger mordeu um pedaço da ponta da língua, que acabou ‘pulando fora’.

Mesmo com esse fator decisivo para a sua introspecção, Mick continuou a flertar as garotas e aumentar seu sex appeal. Segundo a biografia "Mick: The Wild Life and Mad Genius of Jagger", do jornalista Christopher Andersen, já ficaram a seus pés mais de 4 mil mulheres.

E uma dessas milhares foi sua terapeuta sexual.

De acordo com Andersen, o frontman dos Stones era um viciado em sexo.

Quando percebeu que estava "doente", o vocalista procurou ajuda. Foi até uma terapeuta para se tratar. Mas, no meio das sessões, acabou dando em cima da especialista – que, claro, não resistiu às investidas.

Em entrevista ao CBS News, o autor da biografia disse que a modelo e atriz Jerry Hall foi quem o ouviu confessar que era um "sex addict".

O guitarrista e amigo de infância Keith Richards também teria o alertado a procurar um analista, a fim de que o problema foi dissipado. "Quando procurou a ajuda da terapeuta sexual, Mick a seduziu. Quero dizer, esse é o tipo de cara com quem estamos lidando... Alguém que tem demônios pessoais e compulsões, eu acho", comentou Chris Andersen.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp




Sobre Breno Airan

Acima de tudo, um forte. Ser roqueiro no Nordeste é estar cercado de olhares de soslaio. Mas ele sabe ser simpático. Começou a escutar Heavy Metal ainda na barriga da mãe. A seu pai, uma verdadeira enciclopédia do estilo, deve tudo. Aos 14 anos, pediu para uma tia R$ 12 de presente de Natal, foi a uma loja de CDs usados e catou logo o "Rust in Peace", do Megadeth - em perfeito estado, inclusive. Daí por diante, a paixão só vem aumentando. É editor do blog Rock na Velha, integrante do blog Combe do Iommi e colaborador da revista alagoana Rock Meeting. Ainda tem tempo para ser jornalista e de tocar baixo em sua banda de Hard Rock, a Azul Manteiga.

Mais matérias de Breno Airan.