Rock em Análise: alguns grandes covers e seus originais 3

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fábio Cavalcanti, Fonte: Rock em Análise
Enviar correções  |  Ver Acessos

No mundo da música, covers podem ser encontrados em álbuns dos mais diversos artistas. Infelizmente, o ouvinte mais "leigo" pode cair facilmente na armadilha de apreciar a genialidade de determinada música sem perceber que a mesma se trata de... um cover!

Top 5: Os roqueiros mais chatos da históriaFama: 5 bandas que são grandes no exterior e nem tanto no Brasil

Citarei aqui alguns covers que chamaram atenção - tanto do público quanto da crítica - pela sua boa execução, criatividade ou refinamento em sua produção. O que está valendo aqui são aquelas versões que trouxeram algo de realmente "novo" e autoral, de modo que se torna difícil - ou impossível - considerar tais músicas como sendo exclusivas dos artistas originais.

With a Little Help from my Friends
(Joe Cocker, 1968).
Versão original: The Beatles, 1967.

Começando logo com um "clássico de um clássico", temos aqui o cover que marcou o nome de Joe Cocker na história do rock. Com uma mistura de gospel com blues, tal versão conseguiu realmente se distanciar - no melhor sentido de todos - da versão original dos Beatles. Tenho certeza de que você já escutou essa pérola em algum lugar...

I Just Don't Know What to Do With Myself
(The White Stripes, 2003).
Versões originais: Tommy Hunt, 1962, e Dusty Springfield, 1964.

Engraçado como um ouvinte da "nova geração" deve conhecer este que é um dos mais bem sucedidos singles do White Stripes, sem ter a mínima idéia de que o mesmo se trata de um cover. Do belo pop da Dusty Springfield ao blues rock garageiro do White Stripes, podemos dizer que a canção continua bastante... "sexy", digamos assim.

Step On
(Happy Mondays, 1990).
Versão original: John Kongos, 1971.

Assim como ocorreu com o cover do White Stripes citado anteriormente, a "turminha indie" sempre ignorou a contagiante canção "He's Gonna Step On You Again" de John Kongos, em função da "clássica" releitura dos Happy Mondays - curiosamente abreviada para "Step On". Seja como for, a eletrizante versão do grupo britânico se tornou um exemplo perfeito do que era o movimento 'Madchester'.

Mr. Soul
(Rush, 2004).
Versão original: Buffalo Springfield, 1967.

O Rush é uma daquelas bandas que realmente não precisam de covers em sua discografia. Por outro lado, quando o trio resolveu apostar em um mero EP de covers - "Feedback", de 2004 -, o resultado foi um punhado de canções que nos levam de volta ao Rush "hard rocker" do início dos anos 70. Um bom exemplo é a peculiar versão para "Mr. Soul", do Buffalo Springfield.

Superstar
(Sonic Youth, 1994).
Versão original: Delaney and Bonnie, 1969, e Carpenters, 1971.

Para quem já conhecia o grande sucesso pop "Superstar", deve ter sido chocante perceber como a letárgica versão do Sonic Youth conseguia se diferenciar da versão dos Carpenters, mas sem perder o apelo mais acessível da canção.

Cum On Feel the Noize
(Quiet Riot, 1983).
Versão original: Slade, 1973.

Um bom exemplo da transição do "glam rock" setentista para o "hair metal" oitentista pode ser notado no hino "Cum On Feel the Noize". Enquanto a versão original do Slade puxa para o rock 'n' roll mais cru, o cover feito pelo Quiet Riot é uma síntese perfeita da grande "festa musical" que era o tal "hard farofa". Temos aqui dois clássicos, cada um em sua década...

Agora, como diria o Guns N' Roses no encarte do seu álbum de covers "The Spaghetti Incident": faça um favor a você mesmo e procure as versões originais!


Grandes Covers e Seus Originais

Rock em Análise: alguns grandes covers e seus originais 1

Rock em Análise: alguns grandes covers e seus originais 2

Todas as matérias sobre "Grandes Covers e Seus Originais"




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção CuriosidadesTodas as matérias sobre "Grandes Covers e Seus Originais"


Top 5: Os roqueiros mais chatos da históriaTop 5
Os roqueiros mais chatos da história

Fama: 5 bandas que são grandes no exterior e nem tanto no BrasilFama
5 bandas que são grandes no exterior e nem tanto no Brasil

Guitarristas: você consegue identificar todos nesta imagem?Guitarristas
Você consegue identificar todos nesta imagem?

Vocalistas: cantora clássica analisa cinco ícones do Heavy MetalVocalistas
Cantora clássica analisa cinco ícones do Heavy Metal

Noisecreep: os 10 clipes mais assustadores do heavy metalNoisecreep
Os 10 clipes mais assustadores do heavy metal

Guns N' Roses: Versão de Paradise City pelos caipiras finlandesesGuns N' Roses
Versão de "Paradise City" pelos caipiras finlandeses

Metallica: 30 curiosidades sobre o clássico Master Of PuppetsMetallica
30 curiosidades sobre o clássico "Master Of Puppets"


Sobre Fábio Cavalcanti

Baiano, sempre morou em Salvador. Trabalha na área de Informática e ¨brinca¨ na bateria em momentos vagos, sem maiores pretensões. Além disso, procura conhecer novas - e antigas - bandas dos mais variados subgêneros do rock. Por fim, luta para divulgar, sempre que possível, o pouco conhecido cenário rocker da tão sofrida ¨Terra do Axé¨.

Mais matérias de Fábio Cavalcanti no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336