Matérias Mais Lidas

imagemQuando Derico, do Programa do Jô, descobriu que Ian Anderson tocava tudo errado

imagemIron Maiden e o Rock in Rio: em detalhes, o que exatamente a banda pediu para o evento

imagemRob Halford compartilha a foto mais metal da semana; "O Rei e Eu"

imagemO clássico dos Paralamas do Sucesso que Lobão acusou de plágio

imagemPrika Amaral diz que fica feliz com o sucesso alcançado banda Crypta

imagemGordo diz que atualizou termos politicamente incorretos após puxão de orelha de filha

imagemFãs de Stranger Things do Tik Tok querem cancelar o Metallica

imagemDavid Ellefson diz que você conhece seus amigos quando a m*rda bate no ventilador

imagemA opinião de Marcelo Barbosa sobre cancelamento de Metallica e Pantera por racismo

imagemNova Fã que descobriu Metallica por Stranger Things quer cancelar banda e reúne provas

imagemGuitarrista do Skid Row diz que não fala com Sebastian Bach e não pensa em fazer pazes

imagemArtigo na Far Out Magazine aponta James Hetfield como pior letrista da história do metal

imagemFloor Jansen diz que achou que não fosse conseguir cantar nova música do Avantasia

imagemResenha - Max e Iggor Cavalera (Audio, São Paulo, 07/08/2022)

imagemAnthrax cancela mais um show que seria realizado no Texas


Dream Theater 2022

Rhapsody of Fire: nova formação evolui em segundo disco pós-Lione

Resenha - Glory for Salvation - Rhapsody of Fire

Por Victor de Andrade Lopes
Em 08/12/21

Nota: 8

Já a par da situação do nome "Rhapsody", o fã sabe muito bem que o grupo "original", que continua com o nome "Rhapsody of Fire", mantém atualmente apenas o tecladista Alex Staropoli, agora acompanhado por Giacomo Voli nos vocais, Roby De Micheli na guitarra, Alessandro Sala no baixo e a novidade Paolo Marchesich na bateria.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Com este time ainda um tanto desconhecido, o quinteto italiano de power metal sinfônico chega nesta reta final (será?) da pandemia com o segundo álbum de estúdio de sua nova fase. Se o disco anterior deles, The Eighth Mountain, agradava sem surpreender muito, neste aqui a história já é diferente.

Muito mais robusto, imponente e poderoso, Glory for Salvation é matador na maior parte de seus 60+ minutos de música. Não necessariamente pela velocidade das canções, mas também pela força e pelos arranjos.

"Son of Vengeance", "The Kingdom of Ice" e "Infinitae Gloriae" agradarão aos apreciadores do gênero em sua forma mais oldschool, mas cumprindo o manual desta vertente, temos aquela empolgante pausa folclórica em "Terial the Hawk", precedida pelo interlúdio acústico e igualmente folk "Eternal Snow".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Outro destaque que merece comentários à parte é a épica "Abyss of Pain II", que já é a obra-prima desta era pós-Lione, combinando corais apoteóticos com riffs dinâmicos e versos ora em inglês, ora em italiano.

Falando no nosso idioma irmão, a reta final de Glory for Salvation perde o gás em um punhado de baladas sem graça, incluindo uma que aparece duas vezes como faixas bônus, cada qual com letras diferentes. Quisera eu saber italiano para entender se valia tanto a pena assim ter a mesma música em duplicidade...

Vale ressaltar que a voz de Giacomo, mais azeitada na formação, já convence bem mais e começa a deixar seu próprio legado na história deste grupo que está prestes a trintar.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Eu finalizei minha resenha do disco anterior dizendo que seriam necessárias "mais uma ou duas produções para crucificarmos ou aplaudirmos com segurança a nova era do Rhapsody of Fire". Bom, a não ser que eles patinem muito na próxima obra, podemos dizer tranquilamente que os novos detentores do lendário nome estão mandando muito bem.

Abaixo, o vídeo de "Chains of Destiny":

FONTE: Sinfonia de Ideias
https://sinfoniadeideias.wordpress.com/2021/12/07/resenha-glory-for-salvation-rhapsody-of-fire/

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Fabio Lione e o encontrão que ele sofreu de Bruce Dickinson nos bastidores de festival

Itália: 10 bandas de heavy metal que foram formadas na terra de Michelangelo

Angra: banda errou na escolha de Fabio Lione?

Rhapsody: o Angra reabriu as portas do metal, diz Luca Turilli

Metallica: a letra que fez Hammett e Hetfield chorarem

Slash: por que ele usa óculos escuros o tempo todo?


Sobre Victor de Andrade Lopes

Victor de Andrade Lopes é jornalista (Mtb 77507/SP) formado pela PUC-SP com extensões em Introdução à História da Música e Arte Como Interpretação do Brasil, ambas pela FESPSP, e estudante de Sistemas para Internet na FATEC de Carapicuíba, onde mora. É também membro do Grupo de Usuários Wikimedia no Brasil e responsável pelo blog Sinfonia de Ideias. Apaixonado por livros, ciências, cultura pop, games, viagens, ufologia, e, é claro, música: rock, metal, pop, dance, folk, erudito e todos os derivados e misturas. Toca piano e teclado nas horas livres.

Mais matérias de Victor de Andrade Lopes.