RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemTodos os rockstars que já recusaram ser condecorados pela rainha Elizabeth II

imagemAxl e o pequeno gesto com Slash comprovando que as tretas do passado ficaram pra trás

imagemMembro do Guns N' Roses vai na Galeria do Rock de SP e compra camiseta oficial

imagemBob Dylan revela como conhecer seu maior ídolo o fez deixar de venerar pessoas

imagemO hit de Cazuza feito durante internação e que seria indireta para affair Ney Matogrosso

imagemGuns N' Roses no Allianz Parque de SP: veja setlist e vídeos da apresentação

imagemA impensável ligação musical que existe entre Kelly Key e Almah

imagemA curiosa origem da rivalidade Sepultura x Sarcófago, segundo Jairo Guedz

imagemA banda que mostrou no Rock in Rio como se faz um show num festival gigantesco

imagemO dia que Renato Russo colocou companheiro da Legião em saia justa após piti homérico

imagemCasagrande diz que rock já bateu martelo na história da humanidade, porém...

imagemPink Floyd: Snowy White ensina como evitar o lado "feroz" de Roger Waters

imagemCinco perrengues que todo headbanger já passou em algum show de metal

imagemO motivo pelo qual Pete Townshend disse se arrepender de integrar o The Who

imagem"Hi Regis, I'm Paul!": o dia em que Paul McCartney ligou para Regis Tadeu


Stamp

Auri: segundo álbum valoriza o que projeto de Holopainen tem de bom

Resenha - II; Those We Don't Speak of - Auri

Por Victor de Andrade Lopes
Em 14/09/21

Nota: 7

Enquanto a pandemia não acaba de vez, o líder e tecladista do Nightwish, Tuomas Holopainen, achou por bem dar prosseguimento ao projeto paralelo que mantém com sua esposa, Johanna Kurkela (vocais), e seu colega de Nightwish Troy Donockley (sopros, violões, guitarra, vocais).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Rotulado por mim mesmo como "o Blackmore's Night de Tuomas", o Auri segue um caminho mais orgânico, místico e acústico que o quinteto de metal sinfônico, mas nem por isso menos pretensioso e profundo.

Tal como no disco anterior, II: Those We Don't Speak of é bastante contemplativo e parece ser feito mais para envolver do que para desafiar os ouvidos.

É bastante coeso, com quase todas as faixas seguindo uma fórmula que parece ter sacrificado a diversidade em nome da emoção. A fórmula, no caso, consiste em permitir que a penetrante voz de Johanna, vez ou outra acompanhada pela de Troy, seja adoçada por cordas singelas e flautas cirúrgicas para criar aquele som típico do trio.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Isso não privou a obra de alguns pontos fora da curva, como "Pearl Diving", talvez a música mais ousada e densa que eles já criaram, com direito a uma guitarra com aromas de Mike Oldfield, conterrâneo de Troy.

Outros destaques são "Scattered to the Four Winds", com uma dosagem sinfônica acima da média para o Auri, e "Kiss the Mountain", uma das mais tocantes. Mas escrevo isto ciente de que neste álbum, até mais do que em outros de outras bandas, a subjetividade fala muito alto e o que me pareceu banal pode ter sido espetacular para outros, e vice-versa.

Embora talvez menos impressionante que a estreia (da qual não sabíamos exatamente o que esperar), II: Those We Don't Speak of ainda empolga o suficiente para colocar um sorriso na boca da maioria dos fãs - e até na de quem ainda não se rendeu ao simpático trio anglo-finlandês.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Abaixo, o lyric video de "Pearl Diving".

FONTE: Sinfonia de Ideias
https://sinfoniadeideias.wordpress.com/2021/09/09/resenha-ii-those-we-dont-speak-of-auri/

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

NFL Steve Harris


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Nightwish: "single é um mal necessário mas por mim jamais lançaria um", desabafa Tuomas

Kiss: como foi demitir Eric Carr em seu leito de morte

O Whiplash.Net protege algumas bandas e prejudica outras?


Sobre Victor de Andrade Lopes

Victor de Andrade Lopes é jornalista (Mtb 77507/SP) formado pela PUC-SP com extensões em Introdução à História da Música e Arte Como Interpretação do Brasil, ambas pela FESPSP, e estudante de Sistemas para Internet na FATEC de Carapicuíba, onde mora. É também membro do Grupo de Usuários Wikimedia no Brasil e responsável pelo blog Sinfonia de Ideias. Apaixonado por livros, ciências, cultura pop, games, viagens, ufologia, e, é claro, música: rock, metal, pop, dance, folk, erudito e todos os derivados e misturas. Toca piano e teclado nas horas livres.

Mais matérias de Victor de Andrade Lopes.