Forkill: O Thrash Metal Carioca a todo vapor

Resenha - Sound of the Devil's Bell - Forkill

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Barcellos
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Formada em 2010, com um full-lenght já na pista (Breathing Hate, de 2013) o Forkill está de volta com os dois pés na porta com o eficiente "The Sound of the Devil's Bell", lançado pela Dark Sun Records e disponível em todas as plataformas digitais.

Forkill: Novo vocalista é oficializado e lançamento de lyric videoAxl Rose: Um dos vocalistas com maior alcance

O capricho e profissionalismo começa na embalagem da parada. Com pôster, brindes e uma arte conceitual INCRÍVEL o CD físico se faz obrigatório para quem já é ou vai se tornar fã da banda.

A capa incrivelmente foda é um trampo do artista Rafael Tavares,que já fez algumas capas de bandas no cenário nacional, como Torture Squad.

Agora vamos ao disco: o Forkill nos entrega um álbum direto, thrash bate cabeça do início ao fim.

A belíssima introdução "Succubus' Lamment" nos transporta diretamente aos anos 80, com aquele dedilhadinho safado que as bandas de thrash costumavam inciar seus álbuns clássicos. O arranjo de vozes é de muito bom gosto, e meio que te "amacia" pra porrada que abre de fato o disco, "Emperor of Pain". Thrashão para abrir roda e bater cabeça até cansar.

A banda mostra ao longo do disco as influências clássicas de Thrash, mas algo da escola alemã (Kreator, Destruction) e principalmente Sepultura saltam aos meus ouvidos, mas a grande parada é que o Forkill consegue ter a sua própria cara, e não soa como cópia.

"Let There be Thrash" segue com o ritmo acelerado, e na "Keepers of Rage" cadencia o headbanging com um riff matador, um dos favoritos de todo o disco.

A "Warlord" tem uma levada que traz algo de Slayer aos ouvidos, e na "When Hell Rises" a banda mostra uma boa mistura de riffs melodiosos e pesados em seus quase 6 minutos e se mostra a mais diferenciada e trabalhada do disco. Grande composição!!

Aí entra "Leviathan", mais uma faixa com um arranjo dedilhado de muito bom gosto que com certeza vai nos preparar para a trinca "R.E.D.", "Killed at Last" e "Old Skullz". Todas elas com cerca de 3 minutos e não terão piedade do seu pescoço.

"In Your Face", minha favorita do disco, tem um instrumental inspirado e um refrão com umas vozes de fundo que ficaram bem diferente e originais.

Aí vem a última (E igualmente linda) faixa com arranjo acústico, "Knights of Apocalypse" que fecha com chave de ouro um disco de Thrash Metal digno de figurar nos melhores lançamentos do ano.

Ah sim, ainda vem como faixa bônus, "Vendetta", do primeiro álbum.

E em tempos aonde o digital vem prevalecendo sobre o físico, eu vos digo: Comprem esse CD físico. O material é de qualidade, e os caras fazem valer seu suado dinheiro. Tanto na qualidade sonora quanto na arte gráfica.

Let There Be Thrash!!




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Forkill"


Forkill: Novo vocalista é oficializado e lançamento de lyric video

Axl Rose: Um dos vocalistas com maior alcanceAxl Rose
Um dos vocalistas com maior alcance

Separados no nascimento: sou só eu, ou eles são parecidos?Separados no nascimento
Sou só eu, ou eles são parecidos?

Quem ouve Heavy Metal ouve apenas Heavy Metal?Quem ouve Heavy Metal ouve apenas Heavy Metal?
Quem ouve Heavy Metal ouve apenas Heavy Metal?

Sexo e Satã: as mensagens subliminares em capas de Rock / MetalAlfabeto do Rock: as 15 melhores músicas de MetalJimmy Page: "não ouçam Led Zeppelin em MP3"Dream Theater: o vacilo na capa de "A Dramatic Turn of Events"

Sobre Thiago Barcellos

Analista de TI, músico multi-instrumentista e ainda compra CDs das suas bandas favoritas até hoje.

Mais matérias de Thiago Barcellos no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336