Almora: Kalihora's Song é uma contribuição turca Para o Folk Metal

Resenha - Kalihora's Song - Almora

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por José Sinésio Rorigues
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Eu procuro ser eclético dentro do Metal, e ouço tudo o que é som pesado: Gótico, Stoner, Hardcore, Industrial, Death Metal, Black Metal... Até um "grunginho" - por que não? - rola de vez em quando. Mas o Folk Metal é, certamente, meu estilo favorito. Assim, é com satisfação que escrevo este texto sobre o álbum Kalihora's Song, da banda ALMORA, da Turquia. Este álbum não é apenas um ponto alto, mas o verdadeiro pináculo na carreira do ALMORA. Sim, todas as músicas são muito bem executadas, com perfeito casamento entre vocal e instrumental, perfeita sintonia entre o vocal masculino e o feminino (ainda que praticamente não apareçam juntos, nas mesmas faixas), perfeita sintonia entre sonoridade folk e sonoridade sinfônica, havendo ainda pitadas de Power Metal (dá para acreditar que o pessoal conseguiu enfiar tudo isso na mesma panela, sem que o resultado fosse algo indigesto?).

Ultraje a Rigor: Roger diz que foi tratado como lixo pela equipe dos StonesSepultura: Andreas Kisser comenta os primórdios da banda

Tudo começa com a instrumental ''Tears Of The Angels''. Quando o negócio é som instrumental, eu fico meio desconfiado: sendo instrumental, a música tem de ser muito boa para fazer com que eu a ouça até o fim, sem pular para a faixa seguinte. E esta faixa consegue tal façanha, com guitarra, bateria, baixo e violino em perfeita sintonia. A seguir, há a bela ''Cehennem Geceleri''. Esta faixa, batizada e cantada em turco, tem apenas vocais femininos operísticos (mas nada enjoativos, o que também é uma façanha), variações incríveis na sonoridade, com guitarras cavalgadas em alguns momentos, agressivas em outros. Acertaram em cheio, pois aumenta ainda mais a vontade de manter o álbum rodando. Surgem os primeiros acordes de ''Forever Free'', música rápida, pesada, com vocal masculino, flautas e violinos muito bem executados, muito bem encaixados. Que música perfeita! Até aqui, já temos um álbum cheio de variações: a primeira faixa é instrumental; a segunda faixa é batizada e cantada em turco; e esta, em inglês.

A música ''Show Must Go On'', a seguir, é pesada. Em seguida, o instrumental se reduz a uns acordes de guitarra, lentos, e aparece o vocal feminino, feérico, angelical, muito belo. A música alterna peso e momentos tranquilos. Nenhum resquício de vocal masculino. ''Kursun Asker'', outra faixa batizada em turco, vem com instrumental forte, violinos atacando ao lado de guitarra, baixo, bateria e vocal masculino gritado. Som contagiante, no capricho, guitarra animalescamente pesada, violino tocado por quem sabe o que está fazendo. Excelente!

A faixa-título surge com vocal masculino falando, por mais de um minuto (vai saber o que o sujeito está falando...). O vocal feminino vem em seguida, majestosamente, com o instrumental atacando. A esta altura tenho que dizer: este pessoal aprendeu a fazer música! Eu já havia escutado trabalhos anteriores desta banda, mas aqui eles mostram uma inquestionável evolução musical. ''Princess Of Rain'', a seguir, tem vocal masculino e som bem calminho. A guitarra vem pesada, mas não rápida. Como o título já evidencia, ela é em inglês, alternando momentos de instrumental pesado e momentos mais leves. Volto a dizer: a banda sabe o que está fazendo. Outra faixa em inglês, ''Rage Of The Falcon'', é pesada, mas mantendo a levada folk, o vocal masculino atacando. Ao fim, temos ''The Hell-Nights'', que nada mais é que a bela faixa ''Cehennem Geceleri'', mas agora cantada em inglês.

De um modo geral, este trabalho do ALMORA me impressionou muito. Incrivelmente inspirado, bem produzido, maduro, ricamente variado, com guitarras trazendo peso na medida certa, baixo volumoso, bateria bem microfonada e tocada, flautas e violino alternando entre agressivos e viajantes. O som, como eu já deixei claro, é operístico-folk-sinfônico de primeira. Magnífico!

Track List do álbum Kalihora's Song:

01. Tears Of The Angels
02. Cehennen Geceleri
03. Forever Free
04. Show Must Go On
05. Kusrsun Asker
06. Kalihora's Song
07. Princess Of Rain
08. Rage Of The Falcon
09. The Hell Nights

Bandas semelhantes:

METALWINGS, da Bulgária;
ILLUMINANDI, da Polônia;
WITHIN TEMPTATION, da Holanda (em algumas vocalizações);
GALNERYUS, do Japão;
EDENBRIDGE, da Áustria;
VISIONS OF ATLANTIS, da Áustria;
RHAPSODY OF FIRE, da Itália;
DIABULUS IN MUSICA, da Espanha;
NIGHTWISH, da Finlândia;
HAGGARD, da Alemanha;
TIARRA, da Romênia;
DARK MOOR, da Espanha;
THERION, da Suécia;
EDENBRIDGE, da Áustria




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Almora"


Ultraje a Rigor: Roger diz que foi tratado como lixo pela equipe dos StonesUltraje a Rigor
Roger diz que foi tratado como lixo pela equipe dos Stones

Sepultura: Andreas Kisser comenta os primórdios da bandaSepultura
Andreas Kisser comenta os primórdios da banda

Slayer: assista Ivete Sangalo cantando Dead Skin MaskSlayer
Assista Ivete Sangalo cantando "Dead Skin Mask"

Buckethead: uma rara imagem do guitarrista sem a máscaraHalloween: dez clássicos do Heavy Metal para curtir a dataKreator: Millie Petrozza fala sobre respeito devido ao MetallicaKiss: Paul Stanley começa a quebrar guitarras da Ibanez

Sobre José Sinésio Rorigues

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adClio336|adClio336