Joe Satriani: ao lado de Glenn Hughes e Chad Smith em um baita disco

Resenha - What Happens Next - Joe Satriani

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Entrando em sua sexta década de vida, Joe Satriani chega ao seu décimo-sexto álbum. "What Happens Next" foi lançado dia 12 de janeiro de 2018 pela Sony Music e tem produção de Mike Fraser (AC/DC, Blackberry Smoke, The Cult). Um dos grandes atrativos do disco é que ao lado de Satriani estão Glenn Hughes e Chad Smith, este último companheiro de banda também no Chickenfoot, com a dupla dando um brilho todo especial ao trabalho. E até vale um pensamento: Hughes está com 66 anos e Smith com 56, comprovando que a longa estrada fez bem para ambos.

Humor: Ser prog metal é mais que saber tocar em modo frígioDavid Lee Roth: o vergonhoso teste de Matt Sorum para a banda

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"What Happens Next" é o sucessor de "Shockwave Supernova" (2015) e possui uma sonoridade bastante orgânica e agressiva. A força do trio Satriani-Hughes-Smith pulsa por todo o disco, que trilha predominantemente o caminho do rock mas dá umas pisadas fora da curva em alguns momentos.

Satriani é um monstro na guitarra, um dos grandes responsáveis por tornar o rock instrumental viável comercialmente. Afinal, dois de seus discos - "Surfing with the Alien" (1987) e "The Extremist" (1992) - estão entre os grandes best sellers da música instrumental de todos os tempos e o restante de sua discografia jamais deixou de se destacar em vendas. A presença de Glenn e Chad dá contornos ainda mais fortes para a musicalidade de Joe, fazendo as composições do guitarrista alcançarem um nível altíssimo. É um power trio com ênfase no power, além, é claro, na exuberância técnica e no brilho individual, já que todos os músicos dominam seus instrumentos como poucos.

É possível detectar também em "What Happens Next" algumas homenagens de Joe Satriani para outros ícones das seis cordas, com o músico explorando caminhos sonoros associados de maneira marcante a outros guitarristas. É o caso de "Smooth Soul", por exemplo, onde Santana é trazido à tona sem timidez. Já em "Headrush" temos a velocidade de Alvin Lee baixando em Satriani, enquanto o encerramento com a linda "Forever and Ever" é um arrepiante tributo a Jimi Hendrix.

O funk presente no DNA de Glenn Hughes e Chad Smith dá as caras no groove de "Catbot", enquanto o baterista solta a mão sem medo na segunda metade de "Cherry Blossoms", mostrando que seu repertório vai muito além daquele apresentado no Red Hot Chili Peppers. Já Hughes deixa claro mais uma vez o grande baixista que sempre foi com performances de cair o queixo em canções como "Looper" e "Super Funky Badass". E, aliado a tudo isso, ainda há a presença de uma pequena pérola pop como "Righteous", cuja melodia agradável acompanha o ouvinte pelo restante do dia.

Tudo isso faz de "What Happens Next" um dos melhores discos de Joe Satriani. Há inspiração, há feeling, há coração pulsando em todas as faixas, que soam quentes e vivas. Ao término da audição fica a certeza de que a união do trio foi uma escolha muita acertada, tanto que já dá pra imaginar os próximos passos desta parceria.


Outras resenhas de What Happens Next - Joe Satriani

Joe Satriani: rock instrumental que ele faz sempre com tanto esmero




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Joe Satriani"


Malmsteen: Slash, Vai, Satriani e Wylde falam do guitarristaMalmsteen
Slash, Vai, Satriani e Wylde falam do guitarrista

Joe Satriani: os álbuns que mudaram a vida do guitarristaJoe Satriani
Os álbuns que mudaram a vida do guitarrista


Humor: Ser prog metal é mais que saber tocar em modo frígioHumor
Ser prog metal é mais que saber tocar em modo frígio

David Lee Roth: o vergonhoso teste de Matt Sorum para a bandaDavid Lee Roth
O vergonhoso teste de Matt Sorum para a banda


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

adGoo336