Whitesnake: novo álbum reafirma a sonoridade clássica

Resenha - Flesh & Blood - Whitesnake

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig, Fonte: Collectors Room
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

O Whitesnake é uma banda fora do seu tempo. E isso fica evidenciado em seu novo álbum, "Flesh & Blood". Tanto para o bem quanto para o mal.

Resenha - Rock Ao Vivo (Ginásio Gigantinho, Porto Alegre, 01/10/2019)Legião Urbana: Eduardo e Mônica, uma análise psico-neurótica

Lançado no Brasil de forma simultânea ao resto do mundo pela Hellion Records (com direito a pôster e adesivos exclusivos), "Flesh & Blood" é o décimo-terceiro disco da banda do vocalista David Coverdale e o primeiro com material inédito desde "Forevermore" (2011) - no meio do caminho, o grupo gravou releituras do Deep Purple, banda que revelou Coverdale, em "The Purple Album" (2015). Ao lado do frontman estão os guitarristas Reb Beach e Joel Hoekstra, o tecladista Michele Luppi e o baixista Michael Devin, além do baterista Tommy Aldridge, parceiro das antigas de David e com duas passagens anteriores pelo grupo - entre 1987 e 1991 e mais recentemente, entre 2002 e 2007.

"Flesh & Blood" vem com treze músicas, todas explorando a sonoridade que tornou o Whitesnake uma mega banda a partir do multiplatinado álbum autointitulado de 1987. Ou seja: o que ouvimos é um hard rock que bebe direto na estética sonora californiana da segunda metade dos anos 1980, cheio de melodias grudentas e refrãos fortes, prontos para serem cantados em grandes arenas. Não há nada aqui que remeta ao passado hard blues, a famosa e idolatrada fase "chapéu e bigode", que teve como ponto de ruptura o clássico "Slide It In" (1984). E, na boa, seria surpreendente se a uma altura dessas o Whitesnake fizesse uma mudança tão drástica em sua música, convenhamos.

O lado bom de ser uma banda deslocada da realidade atual é que o Whitesnake faz uma música mais simples, um hard rock que não apresenta maiores preocupações a não ser a de entregar boas faixas para cantar junto e alguns momentos feitos sob medida para embalar casais apaixonados e corações partidos, como é o caso de "When I Think of You (Color Me Blue)" e a acústica "After All". A banda não tenta, em nenhum momento, subverter ou revolucionar o estilo que executa, e transita sem maiores percalços por um universo que domina e que os fãs já estão habituados.

Já o lado não tão legal dessa escolha é que o Whitesnake, em certos momentos, soa datado. Isso se percebe principalmente em relação às letras e ao temas cantados por Coverdale, e fica evidente em faixas como "Shut Up & Kiss Me", "Trouble is Your Middle Name" e similares. Na voz de um cara de vinte e poucos anos essas canções teriam mais credibilidade do que quando entoadas por um senhor de quase 70 - David Coverdale completará 68 anos em setembro. Além disso, em um mundo onde a equidade de sexo e gênero é cada vez mais efetiva e permanente, ouvir alguns versos com trechos que insistem em trazer aspectos machistas soa desnecessário e meio constrangedor.

Musicalmente, no entanto, "Flesh & Blood" é um bom disco. A banda, que tem como principal referência a guitarra de Red Beach e bateria de Tommy Aldridge, soa bem em todas as músicas, sem se aventurar por caminhos inesperados e arriscados, mas fazendo muito bem aquilo que se propõe a fazer. O resultado são canções que agradam o ouvido como "Good to See You Again", "Hey You (You Make Me Rock)", "Always & Forever", "Well I Never", a grandiosa faixa título e "Heart of Stone", que revisita sutilmente o passado mais bluesy do grupo.

A conclusão é que o Whitesnake mantém o mesmo bom nível dos dois discos lançados desde o retorno da banda - "Good to Be Bad" (2008) e "Forevermore" (2011) -, com um álbum que agradará em cheio quem já é fã do grupo. Se você é um apreciador de hard rock e quer um disco pra curtir na boa, "Flesh & Blood" é uma boa pedida e não irá decepcionar os seus ouvidos.


Outras resenhas de Flesh & Blood - Whitesnake

Whitesnake: uma nova coleção de clássicos do rockWhitesnake: Cala a boca e beija... Digo, ouça!




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Whitesnake"


Resenha - Rock Ao Vivo (Ginásio Gigantinho, Porto Alegre, 01/10/2019)Rock In Rio 1985: História & Bastidores - Parte 1 (vídeo)

Rock in Rio: Whitesnake e Foo Fighters velhos e novos clássicos na Cidade do RockRock in Rio
Whitesnake e Foo Fighters velhos e novos clássicos na Cidade do Rock

Enciclopédia do Rock: Whitesnake por Adriano FalabellaWhitesnake: Galeria de fotos do show em Curitiba

Resenha - Rockfest (Allianz Parque, São Paulo, 21/09/2019)Resenha - Rockfest (Allianz Parque, São Paulo, 21/09/2019)

Rockfest SP: veja vídeos e repertórios de Scorpions, Whitesnake, Helloween e EuropeRockfest SP
Veja vídeos e repertórios de Scorpions, Whitesnake, Helloween e Europe

David Coverdale: no Rock in Rio 1985, voo com Freddie Mercury e jingle com Roupa NovaDavid Coverdale
No Rock in Rio 1985, voo com Freddie Mercury e jingle com Roupa Nova

Whitesnake: David Coverdale comemora aniversário com Scorpions em São PauloWhitesnake
David Coverdale comemora aniversário com Scorpions em São Paulo

Europe: Com tempestade, show não contou com seu maior clássico pela primeira vezEurope
Com tempestade, show não contou com seu maior clássico pela primeira vez

Scorpions, Whitesnake e Europe: veja o repertório das bandas no show em CuritibaScorpions, Whitesnake e Europe
Veja o repertório das bandas no show em Curitiba

Em Curitiba: granizo interrompe show do Europe e atrasa Whitesnake; veja vídeoEm Curitiba
Granizo interrompe show do Europe e atrasa Whitesnake; veja vídeo

Whitesnake: Coverdale trará a família para acompanhar os shows do BrasilWhitesnake
Coverdale trará a família para acompanhar os shows do Brasil

Whitesnake: vídeo da nova faixa "Trouble Is Your Middle Name"

Whitesnake: assista ao novo clipe da música Trouble Is Your Middle NameWhitesnake
Assista ao novo clipe da música "Trouble Is Your Middle Name"

Planet Rock: as maiores vozes da história do rockPlanet Rock
As maiores vozes da história do rock

Deep Purple: sem Blackmore, Coverdale só ligou para Hughes no Rock HallDeep Purple
Sem Blackmore, Coverdale só ligou para Hughes no Rock Hall

Debandados: saíram de uma banda e formaram outras de igual pra melhorDebandados
Saíram de uma banda e formaram outras de igual pra melhor


Legião Urbana: Eduardo e Mônica, uma análise psico-neuróticaLegião Urbana
Eduardo e Mônica, uma análise psico-neurótica

Slayer: Kerry King fala sobre sua relação com religiõesSlayer
Kerry King fala sobre sua relação com religiões

Rock In Rio I: Pra quem tem menos de quarenta é difícil imaginarRock In Rio I
Pra quem tem menos de quarenta é difícil imaginar

Lemmy Kilmister: A vida dele fazia Keith Richards parecer uma menininhaLemmy Kilmister
A vida dele fazia Keith Richards parecer uma menininha

Rolling Stone: as melhores músicas com mais de sete minutosRolling Stone
As melhores músicas com mais de sete minutos

Nu-Metal: 10 trabalhos que definem as raízes do gêneroNu-Metal
10 trabalhos que definem as raízes do gênero

Kiss: de onde os palcos de Lady Gaga e McCartney vieram?Kiss
De onde os palcos de Lady Gaga e McCartney vieram?


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336