RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemOs 10 maiores vocalistas de heavy metal de todos os tempos, em lista do Ruthless Metal

imagemA música de Raul Seixas que salvou a carreira de Chitãozinho e Xororó

imagemComo Tommy Lee e o Mötley Crüe ajudaram Axl Rose a escrever "November Rain"

imagemQual era a opinião de Tony Iommi sobre Ozzy Osbourne solo e Randy Rhoads em 1984?

imagemEx-guitarrista do Megadeth não liga para Mustaine e diz que está "fazendo dinheiro para ele"

imagemOs 10 maiores álbuns da história do grunge, em lista do Brave Words

imagemPor que Lemmy odiava tocar "Ace of Spades" nos shows do Motörhead

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical

imagemSlash se sente feliz por não existir internet nos primórdios do Guns N' Roses

imagemPaul McCartney quase foi atropelado ao tentar recriar famosa cena de capa de disco

imagemOs 4 fatores determinantes que levaram Renato Russo a dependência química

imagemPara John Lennon, os Beatles poderiam ter acontecido sem George e Ringo

imagemA atitude punk da Legião Urbana que causou irritação e deu trabalho na gravação

imagemO brasileiro com a voz parecida com a de Axl Rose que viralizou no TikTok

imagemQuatro músicas de artistas brasileiros que citam Os Paralamas do Sucesso


Beseech: sem forçar melancolia em My Darkness, Darkness

Resenha - My Darkness, Darkness - Beseech

Por Marcondes Pereira
Postado em 22 de março de 2019

Nota: 8

Dos anos 2007 até 2016, os suecos do Beseech lançaram materiais como compilações, vídeos, singles e no mesmo ano também surgiu o álbum "My Darkness, Darkness".

O referido trabalho mistura o jeito gritantemente acessível de "Drama" (2004) com influências notórias de grupos de Gothic Metal cujos os vocais masculinos são dominantes, e os vocais femininos aparecem como complementos brandos.

Ainda sobre os vocais de Klas Bohin, eles ficam muito próximos das declamações que fizeram o Theatre Of Tragedy famoso no meio Gothic/Doom/ Symphonic Metal. Já as vozes de Angelina Sahlgren Söder ficam divididas entre algo de inocente e pop.

Com os efeitos da programação sob responsabilidade de Robert Vintervind, o álbum demonstra bastante variação nas suas melodias, característica que pode agradar até alguns fãs de Rock e/ou Metal progressivo mais flexíveis.

"My Darkness, Darkness" (2016) é um álbum de Gothic Metal que se permite ter uma certa imprevisibilidade, tendo em vista que não tenta ser o registro sonoro mais triste ou operístico já feito na história. Como o clima de faroeste da faixa-título demonstra de uma maneira divertida e delicada em alguns momentos.

Beseech- My Darkness, Darkness
2016/ Despotz Records

Faixas:
1. Beating Pulse
2. The Shimmering
3. Bloodline Fever
4. Mr Uninvited
5. My Darkness, Darkness
6. Atmosphere
7. Highwayman (Jimmy Webb cover)
8. The Ingredients
9. One Last Call
10. Darksome
11. The Symbol

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Marcondes Pereira

Marcondes Pereira, paulista, poeta, escritor e tradutor em início de carreira. Gosta de escutar e estudar todos os sub-estilos de Heavy Metal, também faz algumas palestras para difundir o fascinante universo do Metal e tem fascínio pelos discos conceituais.
Mais matérias de Marcondes Pereira.