Cannibal Corpse: como descrever um álbum clássico da banda?

Resenha - Tomb of the Mutilated - Cannibal Corpse

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por César Rezende
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 10

"Tomb of the Mutilated" é um marco histórico para o Death Metal a nível mundial. Caríssimo(a) - com o perdão do uso da alusão - comecemos a 'julgar o livro pela capa'.

Cannibal Corpse: clássico disco Torture é relançado em versão deluxe no BrasilAerosmith: curiosidades sobre a voz de Steven Tyler

Mesmo nos dias atuais deparamo-nos com censuras, imaginai vós como tudo funcionava há 26 anos atrás. A arte da capa do disco em pauta foi censurada em muitos países devido à ilustração, digamos: mórbida e excêntrica. A ilustração do disco aqui demonstrada é a versão pós-censura.

Porém, aqui no Brasil, a capa original foi lançada pelo selo Rock Brigade e encontra-se disponível em meio físico. Para quem curte, vale a pena conferir!

O disco lançado em 1992 inicia-se com a música que foi, é ou será um grande desafio para baixistas iniciantes e até mesmo experientes que almejam ser exímios músicos. A lendária "Hammer Smashed Face" é a música mais tocada e o grande "hit" do Cannibal Corpse, tendo marcado presença até mesmo no filme Ace Ventura, estrelado por Jim Carrey.

"I Cum Blood", sempre tocada nos shows, é uma forte música, de cadência mais marcada. Lógico que as passagens velozes com pontes de guitarra sem abafamento (técnica de apoiar a lateral da mão em cima da ponte da guitarra para 'abafar' o som produzido) e saltos de cordas são utilizadas, dando assim as características mais fundamentais do Death Metal norte-americano.

"Addicted to Vaginal Skin" apresenta a grande habilidade do mestre Alex Webster de forma mais clara em passagens técnicas e velozes de contrabaixo limpo e sem distorção.

O disco segue a temática supracitada até desencadear na excelente "Post Mortal Ejaculation" que possui claras referências de Heavy Metal em sua introdução com dobradinha de guitarras, uma bela demonstração de Death Metal progressivo, passando por uma genial etapa que remete o ouvinte ao som do Black Metal oriundo dos países nórdicos. Na minha opinião esta música é o melhor "lado B" da carreira do Cannibal Corpse.

Por fim, esta obra prima encerra-se com a faixa "Beyond the Cemetery". Nas versões prensadas posteriormente a 2002, o ouvinte encontra "I Cum Blood" tocada ao vivo, como faixa bônus.

Integrantes:
Chris Barnes (Vocal);
Jack Owen (Guitarra);
Bob Rusay (Guitarra);
Alex Webster (Baixo);
Paul Mazurkiewicz (Bateria).

Track-List:
1) Hammer Smashed Face
2) I Cum Blood
3) Addicted to Vaginal Skin
4) Split Wide Open
5) Necropedophile
6) The Cryptic Stench
7) Entrails Ripped from a Virgin's Cunt
8) Post Mortal Ejaculation
9) Beyond the Cemetery
10) I Cum Blood (Live) - faixa bônus a partir da versão de 2002.



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Cannibal Corpse"


Cannibal Corpse: clássico disco Torture é relançado em versão deluxe no BrasilCannibal Corpse: álbum "Torture" é relançado em versão deluxe no Brasil

Cannibal Corpse: quem nunca fez sexo ouvindo a banda?Cannibal Corpse
Quem nunca fez sexo ouvindo a banda?

Cannibal Corpse: fã com culhões de aço no moshpitCannibal Corpse
Fã com culhões de aço no moshpit

Cannibal Corpse: o segredo para se fazer música obscuraCannibal Corpse
O segredo para se fazer música obscura


Aerosmith: curiosidades sobre a voz de Steven TylerAerosmith
Curiosidades sobre a voz de Steven Tyler

Brian May: eu não sabia que Freddie era GayBrian May
"eu não sabia que Freddie era Gay"

Autismo: rockstars famosos autistas, ou com suspeita de autismoAutismo
Rockstars famosos autistas, ou com suspeita de autismo

Filhas de Rockstars: conheça algumas das mais bonitasFilhas de Rockstars
Conheça algumas das mais bonitas

The Voice Kids: garotinha canta Led Zeppelin e conquista todosThe Voice Kids
Garotinha canta Led Zeppelin e conquista todos

Motorhead: Phil Taylor deixou R$6,4 milhões, nada pra ex-mulherMotorhead
Phil Taylor deixou R$6,4 milhões, nada pra ex-mulher

Mustaine: A7X ou Trivium? Não, ouça Metallica, Megadeth, SlayerMustaine
A7X ou Trivium? Não, ouça Metallica, Megadeth, Slayer


Sobre César Rezende

César Rezende. 28 anos. Duque de Caxias - RJ.

Mais matérias de César Rezende no Whiplash.Net.