Caravela Escarlate: grande álbum de rock progressivo brasileiro

Resenha - Caravela Escarlate - Caravela Escarlate

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Roberto Rillo Bíscaro
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Para os não-entusiastas do subgênero, pode surpreender que o sambado e funkeado Rio de Janeiro tenha cena fértil de rock progressivo. Mas, tem. E é de lá que vem o segundo LP do Caravela Escarlate.

Metalhead: as mulheres mais sexys do Heavy MetalKiss: "Rock and roll é um trabalho para otários!"

Idealizado por David Paiva no longínquo início dos anos 90, a Caravela tem passado longos períodos no estaleiro e trocado diversas vezes de tripulação, que atualmente é composta por David Paiva (vocais, guitarra, baixo, violão), Ronaldo Rodrigues (teclados) e Élcio Cáfaro (bateria).

Em 2016, o Caravela lançou seu primeiro álbum, Rascunho, mas ainda como dupla (Paiva e Rodrigues). Como trio plenamente sinfônico, o álbum homônimo lançado dia 30 de novembro é o primeiro. Nas oito faixas com vocais evocativos dos anos 70 e letras ecológico-sci fi, a predominância sinfônica permite laivos de psicodelia e MPB, afinal, que progger brasileiro conseguiu passar imune não apenas a ancestrais veneráveis como Terço ou Moto-Perpétuo, mas também ao Clube da Esquina? Além disso, o batera Cáfaro já tocou com medalhões como Edu Lobo e Chico Buarque.

Atmosfera abre em clima meio fusion com temperos até de MPB, para se sinfonizar no meio e já antever (anteouvir?) um trabalho cheio de ótimos solos de teclado, baixo inquieto e bateria sofisticada; os caras tocam muito. E atmosfera é algo que o Caravela sabe muito bem criar, como seus contemporâneos italianos do Ingranaggi della Valle; confira Planeta-Estrela: começa com efeitos de viagem sideral, que se vitamina pra virar hard prog quase, tem larga ponte muito climática meio jazz-rock e de repente tudo para para um solo de teclado fantasmagórico de filme sci fi anos 50; só então entra um bocadinho de vocal, enquanto o instrumental prepara para o arranque dos dois minutos finais, quando baixo e bateria ziguezagueiam sob solaço de teclado. Uma senhora faixa!

Mesmo soando contemporâneas, a construção das canções mostra como a rapaziada conhece bem as várias tradições em que está inserida; dá para sentir como o prog clássico de bandas como PFM ou ELP está no DNA de faixas como Futuro Passado, onde até o título remete ao clássico cinquentenário do The Moody Blues, sem falar do final evocativo de The Prophet, do Yes. Longe de ser cópia, é esse rearranjar de sonoridades com a adição de toques pessoais, que torna bandas prog sinfônicas contemporâneas, como o Wobbler, tão interessantes e dignas de escuta. Como o Caravela, que evoca um Vangelis psicodélico, em Cosmos.

E quem sabe, se estivéssemos entre 1978-1981, Toque de Constelações, em versão editada, não viraria single para tocar em rádios FM? Sua pegada pop-prog não desagradaria a fãs de Flávio Venturini, Azymuth & Cia.

"A caravela escarlate agora está fora do mar/entre as nuvens e aves/agora ela está a voar" declaram os versos de abertura da faixa-título. Se essa nau prefere o céu, problema dela, viva a diversidade. Só esperemos que esse voo prossiga cada vez mais alto e que ela aterrisse mais vezes, pelo menos de vez em quando, para nos trazer música tão boa.

Mais informações sobre a banda e aquisição do CD na página do Caravela no Facebook.

https://www.facebook.com/caravelaescarlate

O álbum pode ser ouvido em streaming no Youtube, em canal aprovado pela banda.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Caravela Escarlate"


Metalhead: as mulheres mais sexys do Heavy MetalMetalhead
As mulheres mais sexys do Heavy Metal

Kiss: Rock and roll é um trabalho para otários!Kiss
"Rock and roll é um trabalho para otários!"

Steven Tyler: primeira vez aos 7 anos, com duas gêmeasSteven Tyler
Primeira vez aos 7 anos, com duas gêmeas

Freddie Mercury: Características vocais do cantorFreddie Mercury
Características vocais do cantor

Metallica: a lista de exigências da banda em 1983Metallica
A lista de exigências da banda em 1983

Kiss: Paul Stanley é quem manda na banda, segundo Eric SingerKiss
Paul Stanley é quem manda na banda, segundo Eric Singer

Pantera: último vídeo com Dimebag disponível online; assistaPantera
último vídeo com Dimebag disponível online; assista


Sobre Roberto Rillo Bíscaro

Roberto Rillo Bíscaro é professor universitário e edita o Blog do Albino Incoerente desde 2009.

Mais matérias de Roberto Rillo Bíscaro no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336