Morrissey: Envelhecendo com honestidade

Resenha - Low in High School - Morrissey

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Tarcisio Lucas Hernandes Pereira, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

Mês de novembro chegou e com ele o novo disco de um dos músicos mais icônicos, odiado e idolatrado, de nossa era: o eterno ex-vocalista do The Smiths, Morrissey.

Morrissey: Veja show completo em Nova YorkG.G. Allin: o extremo dos extremos

Verdade seja dita, e sejamos justos: apesar de, logicamente, ele ter ganhado fama e reconhecimento nos anos 80 com a sua banda originária, que foi sem dúvida um dos maiores marcos da música daquela década, o cantor construiu uma carreira solo extremamente sólida e ininterrupta, repleta de bons discos e músicas marcantes.

Conhecido pela habilidade de escrever letras absurdamente pessoais ao mesmo tempo em que não poupa críticas a sociedade moderna, verdade é que o músico chega ao seu 11° álbum de estúdio ainda nos brindando com músicas consistentes e relevantes.

"Low in High School" tem todos os elementos que os fãs esperam encontrar em um disco do Moz como ele é carinhosamente apelidado pelos fãs mais fiéis: melancolia, letras inteligentes, arranjos bem feitos e uma acidez com relação ao mundo atual. Se o papel do rock, entre muitos outros, é ser contraventor e causar incômodos ao status quo, certamente temos aqui um disco de rock em sua essência!

Ao contrário dos últimos lançamentos do músico, os ótimos "Years of Refusal", de 2009, e "World Peace is none of your business", de 2014, que apresentavam uma faceta mais intimista e pessoal, "Low in High School" é mais politizado, abordando as guerras e conflitos que assolam o mundo e nossos noticiários.

O nome que Morrissey escolhe para suas músicas sempre foi um destaque à parte. Poucos artistas conseguem ter tanta criatividade e sacadas inteligentes ao escolherem o título das canções como ele.

Trata-se de um disco com guitarras presentes em vários momentos. Ao contrário do que possa se esperar, é um disco denso e que precisa de algumas audições para ser plenamente digerido.

As músicas que podem ser consideradas destaques são: "Spent the day in bed", "All the Young people must fall in love", "I wish you lonely" e "When you open your legs".

Em resumo, ainda que não se compare à outros discos mais clássicos do artista, como os fenomenais "Vauxhall and I" de 1994, ou mesmo "You are the quarry", de 2004, trata-se de um lançamento honesto, de um cara que está sabendo envelhecer sem perder musicalmente suas características.

Tracklist

1. My Love I'd Do Anything For You
2. I Wish You Lonely
3. Jacky's Only Happy When She's Up On The Stage
4. Home Is A Question Mark
5. Spent The Day In Bed
6. I Bury The Living
7. In Your Lap
8. The Girl From Tel-Aviv Who Wouldn't Kneel
9. All The Young People Must Fall In Love
10. When You Open Your Legs
11. Who Will Protect Us From The Police?
12. Israel




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Morrissey"Todas as matérias sobre "Smiths"


Morrissey: Veja show completo em Nova YorkJohnny Marr: Ouça a viciante nova faixa do ex-Smiths

Watchmojo: as 10 músicas mais difíceis de se tocar na guitarraWatchmojo
As 10 músicas mais difíceis de se tocar na guitarra

Q Magazine: os melhores dos anos 80Q Magazine
Os melhores dos anos 80

Out: os 100 álbuns mais gays de todos os tempos segundo a revistaOut
Os 100 álbuns mais gays de todos os tempos segundo a revista


G.G. Allin: o extremo dos extremosG.G. Allin
O extremo dos extremos

Slayer: Gary Holt é realmente um cara mal-agradecidoSlayer
Gary Holt é realmente um cara mal-agradecido

Haja pente: os músicos mais cabeludos e barbudos do RockHaja pente
Os músicos mais cabeludos e barbudos do Rock

Eric Clapton: saiba mais sobre a doença que o acometeuEric Clapton
Saiba mais sobre a doença que o acometeu

Separados no nascimento: sou só eu, ou eles são parecidos?Separados no nascimento
Sou só eu, ou eles são parecidos?

Gibson: Top 10 de baixistas que também lidam com vocaisGibson
Top 10 de baixistas que também lidam com vocais

Guns N' Roses: Axl agradece Grohl pela cadeira, veja alteraçõesGuns N' Roses
Axl agradece Grohl pela cadeira, veja alterações


Sobre Tarcisio Lucas Hernandes Pereira

Tarcisio Lucas é formado em música-licenciatura pela UNICAMP. Fã de praticamente todos os subgêneros do Rock e do Metal, não dispensa também um bom Jazz ou erudito! Entre suas bandas favoritas estão: YES, Sepultura, Marillion, Mythological Cold Towers, Amorphis e Misfits.

Mais matérias de Tarcisio Lucas Hernandes Pereira no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336