Matérias Mais Lidas

imagemQuando Derico, do Programa do Jô, descobriu que Ian Anderson tocava tudo errado

imagemIron Maiden e o Rock in Rio: em detalhes, o que exatamente a banda pediu para o evento

imagemRob Halford compartilha a foto mais metal da semana; "O Rei e Eu"

imagemO clássico dos Paralamas do Sucesso que Lobão acusou de plágio

imagemPrika Amaral diz que fica feliz com o sucesso alcançado banda Crypta

imagemGordo diz que atualizou termos politicamente incorretos após puxão de orelha de filha

imagemFãs de Stranger Things do Tik Tok querem cancelar o Metallica

imagemDavid Ellefson diz que você conhece seus amigos quando a m*rda bate no ventilador

imagemA opinião de Marcelo Barbosa sobre cancelamento de Metallica e Pantera por racismo

imagemNova Fã que descobriu Metallica por Stranger Things quer cancelar banda e reúne provas

imagemGuitarrista do Skid Row diz que não fala com Sebastian Bach e não pensa em fazer pazes

imagemArtigo na Far Out Magazine aponta James Hetfield como pior letrista da história do metal

imagemFloor Jansen diz que achou que não fosse conseguir cantar nova música do Avantasia

imagemResenha - Max e Iggor Cavalera (Audio, São Paulo, 07/08/2022)

imagemAnthrax cancela mais um show que seria realizado no Texas


Stamp

Dissection: porque Storm of the Light's Bane é tão singular?

Resenha - Storm of the Light's Bane - Dissection

Por Ricardo Cunha
Em 18/08/17

publicidade

Nota: 10

Aclamado como um dos fundadores do chamado "som de Gotemburgo", O Dissection foi formado em 1989 pelo guitarrista e vocalista Jon Nödtveidt. Hoje, considerado ícone do estilo Black metal, a banda tem uma discografia pequena (4 discos de estúdio), mas todos considerados clássicos do gênero.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Storm Of The Light’s Bane (1993), o segundo disco, é considerado por muitos o seu melhor até hoje. Aqui a banda apresenta grande amadurecimento e aprimora o que viria a se tornar sua marca: música extrema com harmonias elaboradas e apreço por melodias. As guitarras, com seus riffs sombrios e timbres graves, dão aspecto agradável aos ruídos intencionalmente borrados produzindo imagens que, para mim, dão vida a arte da capa. As batidas são rápidas, intrincadas e precisas, enquanto os vocais de Jon Nodtveidt são dotados de um felling maligno que puxam para o lado negro da força. A capa, acima mencionada, retrata o ceifador andando pela neve sobre um cavalo preto enquanto segura uma foice e uma ampulheta – um simbolismo que passa a idéia de que o tempo e a morte são uma e a mesma coisa. Nesse sentido, também é possível perceber que há um forte senso de unidade temática entre as estruturas e as melodias.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Embora a popularidade da banda ainda estivesse em ascensão, em 1997 um conflito interno levou a maioria a deixar a banda. Johan Norman e Tobias Kellgren, formaram a Soulreaper, deixando o fundador e líder Sem banda. Mais tarde, em 1998, Nödtveidt foi considerado culpado por participar do assassinato de Josef ben Meddour (que, segundo consta, era homossexual), ato que teria sido motivado pelo seu envolvimento com o grupo Satânismo Anti-Cósmico e isto colocou a banda em pausa por muito tempo.

Fora isto, era membro da Ordem Misantrófica Luciferiana (hoje conhecida como Temple of The Black Light) e da gangue sueca Werewolf Legion. Jon Nödtveidt apresentava diversos comportamentos maníacos, mas ninguém que o conhecia esperava que cometesse suicídio. No entanto, no dia 13 de agosto de 2006, foi encontrado morto eu seu apartamento e sua morte foi confirmada pela polícia como suicídio por tiro (na cabeça) de arma de fogo e o corpo estava rodeado por velas ainda acesas.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Dream Theater 2022


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Death metal: os melhores álbuns do estilo lançados em 1993, pelo canal Ruthless Metal

Megadeth: Mustaine fala sobre bandas satânicas

Metal Extremo: os 25 melhores álbuns de todos os tempos

Power Metal: os dez álbuns essenciais do gênero

Andreas Kisser: "Eloy Casagrande talvez não seja humano"


Sobre Ricardo Cunha

Editor no site Esteriltipo - Marketing de Conteúdo.

Mais matérias de Ricardo Cunha.