publicidade

Dissection: porque Storm of the Light's Bane é tão singular?

Resenha - Storm of the Light's Bane - Dissection

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Cunha
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 10

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Aclamado como um dos fundadores do chamado "som de Gotemburgo", O Dissection foi formado em 1989 pelo guitarrista e vocalista Jon Nödtveidt. Hoje, considerado ícone do estilo Black metal, a banda tem uma discografia pequena (4 discos de estúdio), mas todos considerados clássicos do gênero.

Canal Barbônico: Dissection e Jon Nodtveidt, entre o Black e o DeathOzzy Osbourne: 25 coisas que você não sabe sobre ele

Storm Of The Light's Bane (1993), o segundo disco, é considerado por muitos o seu melhor até hoje. Aqui a banda apresenta grande amadurecimento e aprimora o que viria a se tornar sua marca: música extrema com harmonias elaboradas e apreço por melodias. As guitarras, com seus riffs sombrios e timbres graves, dão aspecto agradável aos ruídos intencionalmente borrados produzindo imagens que, para mim, dão vida a arte da capa. As batidas são rápidas, intrincadas e precisas, enquanto os vocais de Jon Nodtveidt são dotados de um felling maligno que puxam para o lado negro da força. A capa, acima mencionada, retrata o ceifador andando pela neve sobre um cavalo preto enquanto segura uma foice e uma ampulheta - um simbolismo que passa a idéia de que o tempo e a morte são uma e a mesma coisa. Nesse sentido, também é possível perceber que há um forte senso de unidade temática entre as estruturas e as melodias.

Embora a popularidade da banda ainda estivesse em ascensão, em 1997 um conflito interno levou a maioria a deixar a banda. Johan Norman e Tobias Kellgren, formaram a Soulreaper, deixando o fundador e líder Sem banda. Mais tarde, em 1998, Nödtveidt foi considerado culpado por participar do assassinato de Josef ben Meddour (que, segundo consta, era homossexual), ato que teria sido motivado pelo seu envolvimento com o grupo Satânismo Anti-Cósmico e isto colocou a banda em pausa por muito tempo.

Fora isto, era membro da Ordem Misantrófica Luciferiana (hoje conhecida como Temple of The Black Light) e da gangue sueca Werewolf Legion. Jon Nödtveidt apresentava diversos comportamentos maníacos, mas ninguém que o conhecia esperava que cometesse suicídio. No entanto, no dia 13 de agosto de 2006, foi encontrado morto eu seu apartamento e sua morte foi confirmada pela polícia como suicídio por tiro (na cabeça) de arma de fogo e o corpo estava rodeado por velas ainda acesas.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Dissection"


Canal Barbônico: Dissection e Jon Nodtveidt, entre o Black e o Death

Loudwire: os dez melhores álbuns de metal de 1995Loudwire
Os dez melhores álbuns de metal de 1995

Megadeth: Mustaine fala sobre bandas satânicasMegadeth
Mustaine fala sobre bandas satânicas

Dissection: Jon Nödtveidt se suicidou em Dissection
Jon Nödtveidt se suicidou em "ritual satânico"


Ozzy Osbourne: 25 coisas que você não sabe sobre eleOzzy Osbourne
25 coisas que você não sabe sobre ele

Black Sabbath: o dia em que Tony Iommi quase matou Bill WardBlack Sabbath
O dia em que Tony Iommi quase matou Bill Ward

Guitar World: os 100 piores solos de guitarra da históriaGuitar World
Os 100 piores solos de guitarra da história

Max Cavalera: triste ver uma banda tão importante virar uma merdaLed Zeppelin: Perguntas e Respostas sobre a bandaVocalistas: os menos conhecidos de bandas famosasMegadeth: veja o making of do vídeo feito no Brasil

Sobre Ricardo Cunha

Apaixonado por música e estudante de Filosofia, juntou os interesses para escrever principalmente sobre rock e metal.

Mais matérias de Ricardo Cunha no Whiplash.Net.

adClioIL