Deep Purple: Mais um clássico da MK II

Resenha - Fireball - Deep Purple

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Edivaldo S.
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

O Deep Purple já teve várias formações, mas inegavelmente a MK II (Ian Gillan, Ritchie Blackmore, Jon Lord, Ian Paice e Roger Glover) foi a mais produtiva e famosa.

3241 acessosDeep Purple: Ritchie Blackmore toparia subir ao palco com a banda5000 acessosHeavy Metal Fail: os Trues também saem mal na foto

Durante essa formação, foram lançados álbuns seminais como "In Rock", "Fireball", "Machine Head" e um dos melhores álbuns ao vivo da história do rock, o clássico "Made In Japan".

Estranhamente, os membros da banda não consideram esse álbum como um clássico, talvez por ter sido lançado entre o "In Rock" e "Machine Head". Ian Gillan afirma que esse é o seu álbum preferido no Purple, pois sem ele não haveria o "Machine Head", e também porque abriu novas possibilidades de expressão, liricamente falando.

O virtuoso guitarrista Ynwgie Malmsteen, ganhou o álbum quando era criança e afirma hoje, que esse álbum mudou tudo pra ele. Lars Ulrich, baterista do Metallica, comprou o álbum logo após ir para um show do Deep Purple com o seu pai, e foi um álbum que aumentou bastante seu interesse na música, principalmente no rock pesado. Também foi um dos primeiros álbuns comprados do King Diamond na adolescência, tendo bastante influência na sua carreira posteriormente.

E além disso tudo, estreou no TOP 10 das paradas musicais de 12 países, tendo em 5 deles atingindo o primeiro lugar. Portanto, é sem dúvida um clássico.

O disco abre com a faixa-título e single "Fireball", que revela todo o poder do Deep Purple, em especial com a incrível performance e habilidade de Ian Paice na bateria, o baixo frenético de Roger Glover e a ótima performance Vocal de Ian Gillan.

Logo em seguida, vem "No No No", um hard rock cadenciado, com uma excelente linha de baixo, um ótimo solo de teclado do Jon Lord e um de guitarra, do Mr. Blackmore.

"Strange Kind Of Woman", mais um single, é uma das músicas mais conhecidas da banda. Um blues-rock autêntico, tem um ritmo dançante, um ótimo solo e um refrão viciante capaz de ficar na sua cabeça por várias horas.

"Ame-a ou odeie-a" é a descrição perfeita para "Anyone's Daughter", um Country (isso mesmo, um Country!) que até hoje divide a opinião dos fãs. Há quem goste, há quem não goste. O próprio vocalista disse que foi divertido gravá-la, mas que foi um erro no álbum, principalmente em estar nele. O fato é que é um estilo totalmente diferente do que o Purple faz.

"The Mule" é mais outra faixa que tem um trabalho excelente de Ian Paice na bateria, além de ter um bom riff. Ao vivo ela costuma ter bastantes improvisos.

"Fools" mostra um lado mais experimental da banda, flertando com o rock progressivo. Com seus 8 minutos e variações de ritmo e peso, se mostra uma excelente composição. Além disso, tem um belíssimo solo do Blackmore.

E por fim, "No One Came" baixa um pouco a bola em relação as anteriores, sendo a mais fraca do álbum.

OBS: Vale lembrar que "Demon's Eye" foi lançada somente na edição Europeia.

TRACK-LIST (Edição Americana/Japonesa/Canadense)

1. FIREBALL
2. NO NO NO
3. STRANGE KIND OF WOMAN
4. ANYONE'S DAUGHTER
5. THE MULE
6. FOOLS
7. NO ONE CAME

(Edição Europeia)

1. FIREBALL
2. NO NO NO
3. DEMON'S EYE
4. ANYONE'S DAUGHTER
5. THE MULE
6. FOOLS
7. NO ONE CAME

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Deep PurpleDeep Purple
Ritchie Blackmore toparia subir ao palco com a banda

905 acessosBanda dos sonhos: qual seria a sua?454 acessosLoudwire: em vídeo, 10 maiores riffs de metal dos anos setenta0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Deep Purple"

O ExorcistaO Exorcista
A relação de músicas do Purple e Ozzy com o filme

Deep PurpleDeep Purple
Ao infinito... E além!

Dream TheaterDream Theater
10 dos melhores covers tocados pela banda

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Deep Purple"

Heavy Metal FailHeavy Metal Fail
Os Trues também saem mal na foto

Motley CrueMotley Crue
Como a banda aperfeiçoou a arte de beber e se drogar

Legião UrbanaLegião Urbana
O dia em que Renato calou a plateia do Programa Livre

5000 acessosSkank: banda foi enganada ao participar de programa da Xuxa5000 acessosWest Ham: o time do coração de Steve Harris5000 acessosAndre Matos: o que ele faria se fosse mulher por um dia?5000 acessosLed: tem quem ame Peart ou Moon, mas Bonham é amado por todos3910 acessosHeavy Metal: as dez melhores bandas sul-americanas do gênero5000 acessosSlipknot: ouça "Duality" na versão do Asking Alexandria

Sobre Edivaldo S.

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online