Barok-Projekto: Metal com música barroca

Resenha - Sovaga Animo - Barok-Projekto

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Victor Freire, Fonte: Rock'N'Prosa
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Já pensou no que a mistura de metal com música barroca originaria? Confesso que nunca imaginei escutar uma banda como o Barok-Projekto. O álbum Sovaga Animo (2016) traz esse conceito bem excêntrico nas bandas de metal. A banda é formada por Karliene Araújo (vocais), Rafael Milhomem (guitarra, flauta e teclado), Muniz (violão e guitarra), Thiago Alberto (baixo) e Júnior Nieri (bateria) e vem de Catalão/GO.

Sexo: os clipes mais sensuais do Metal segundo a Metal HammerBig Four: astros da cena Heavy escolhem banda preferida

Após uma introdução falada em um idioma até então desconhecido, intitulada Antauparolo de prapatra kaciko, com a presença de instrumentos de cordas diversos, o metal é iniciado de fato em Tauba kaj Kerana. Os riffs carregam pouco peso, destacando solos e uma atmosfera dada pelo teclado. Os vocais me lembraram um pouco aquela clima do Cirque du Soleil, onde eles cantam em uma linguagem própria, sendo que aqui a linguagem de fato existe. Posso estar enganado, mas após pesquisa rápida descobri a língua Esperanto. O idioma foi criado na Polônia com o objetivo de ser uma língua neutra, que não pertencia a nenhuma nação. Essa língua não foi só escolhida pela banda para as letras, mas para toda a parte gráfica do álbum.

Ce ni estas Abasai' dá continuidade ao álbum com um início bem heavy metal, destaco ainda a presença de elementos de música celta na composição. No entanto, o metal é o elemento principal. O que gosto é que não só a música, mas o álbum como um todo, possuem aquele clima de ópera, como se estivéssemos assistindo a algum espetáculo ou até mesmo o Cirque du Soleil, como citei antes. Droniga pasio possui início bem nessa linha, com inclusão de cravo, que logo é combinado com as guitarras. Regino de la nokto traz um dueto com vocal gutural, bem legal, gostei também do refrão - mais dentro do metal melódico. A faixa-título, Sovaga animo, vem logo em seguida, trazendo todo um clima céltico. Muito boa a música inteira no violão, flauta e percussão.

O peso volta a dominar o álbum com La sep filoj. Arrisco a dizer que é a música com mais elementos do heavy metal presentes. Mais flautas voltam a soar em La sagoj de Ruda', mas, novamente, o metal volta a ser o elemento principal. Gostei das variações na batida e melodias. Aliás, esse é o maior destaque de todo o álbum: variações. A banda varia muito dentro da linha de composição, incluindo novos instrumentos e a própria sequência das músicas não deixa o álbum monótono - músicas rápidas e lentas intercaladas.

O álbum ainda conta com duas "kroma trako": Kaapora e La plej bona casisto. Confesso que foi o álbum mais diferente que escutei de uma banda do Brasil. Primeiro, o idioma. Apesar de não entender nada, as palavras no Esperanto soam muito bem aos ouvidos e combinam muito bem com o metal. Segundo, a mistura de elementos. A banda firmou a base no metal, mas incluiu elementos diversos da música barroca, como o cravo e o violão. Além disso, combinações de vozes - masculina e feminina (gutural e não) - é outra característica marcante nas músicas.

Meu sentimento com o Sovaga Animo (2016) é que ele deve ser escutado na íntegra, como um álbum do Pink Floyd, por exemplo. Não dá para isolar as faixas. Elas se complementam na obra - como uma verdadeira ópera. O Barok-Projekto conseguiu criar um som próprio e isso é transferido para as músicas, elas não se assemelham com nada que escutei antes.

#Tracklist:

1.Antauparolo de prapatra kaciko
2.Tauba kaj Kerana (Malbeno - 1a parto)
3.Ce ni estas Abasai'
4.Droniga pasio
5.Regino de la nokto
6.Sovaga animo
7.La sep filoj (Malbeno - 2a parto)
8.La segoj de Ruda'
9.Malodio de Akuanduba
10.Kaapora (faixa bônus)
11.La plej bona casisto (faixa bônus)




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Barok' Projekto"


SexoSexo
Os clipes mais sensuais do Metal segundo a Metal Hammer

Big FourBig Four
Astros da cena Heavy escolhem banda preferida

Guns N' RosesGuns N' Roses
Pobreza, sexo, drogas e Rock n' Roll em nova biografia

Sexo: os clipes mais sensuais do Metal segundo a Metal HammerBig Four: astros da cena Heavy escolhem banda preferidaDead Kennedys: casal faz sexo durante um show do grupoKid Vinil: a lenta despedida de uma geração de dinossauros

Sobre Victor Freire

Professor universitário e mestre em Engenharia Mecânica pela UFRN. Nascido no deserto de Mossoró/RN. É fã e colecionador de itens relacionados ao rock'n'roll. Editor-chefe do blog Rock'N'Prosa e guitarrista do Godhound. Acessa o Whiplash! desde a infância e colabora com o site sempre que possível.

Mais matérias de Victor Freire no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336